abril 27, 2011

Cade vai analisar contratos entre a Globo e os clubes para a transmissão de jogos



O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) vai examinar os contratos da Rede Globo com os clubes de futebol para a aquisição de direitos de transmissão do Campeonato Brasileiro de 2012 a 2014. O anúncio foi feito pelo presidente do órgão, Fernando Furlan, em audiência pública nesta quarta-feira (27) na Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE), presidida pelo senador Roberto Requião (PMDB-PR).

Em outubro de 2010, a Globo e o Clube dos 13 assinaram com o Cade um termo de cessação de conduta (TCC), após a Secretaria de Direito Econômico (SDE) do Ministério da Justiça apurar indícios de lesão à livre concorrência no contrato para a transmissão de jogos do Campeonato Brasileiro, assinado pela emissora com a entidade.

Sol e Calor deixam a pele sensível às doenças

As idas à praia ou ao clube durante o verão, fazem com as pessoas fiquem com a pele úmida por mais tempo, abrindo uma janela para várias doenças de pele.

“As doenças mais comuns do verão são as que ocorrem por infecção por bactérias, fungos ou vermes, todas  provocadas pelo sol e pela transpiração”, diz a professora doutora do departamento de dermatologia da Faculdade de Medicina de Botucatu, Maria Regina Cavariani Silvares.

A doença mais comum neste período é a micose de praia (ou pano branco), ganha esse nome por se tornar mais evidente nos períodos de calor e sol, quando as pessoas procuram ficar mais bronzeadas.

O temível pirata Barba Negra realmente existiu


Como muitos outros piratas, Barba Negra começou como um ativo corsário a serviço do Império Britânico durante a Guerra da Sucessão Espanhola (1701-1713).

O primeiro ato conhecido como pirata está datado de 1716. No ano seguinte, ele converteu um navio mercante francês capturado em um poderoso vaso de guerra de 40 canhões, e foi daí que surgiu o navio “Queen Anne’s Revenge”, e logo ficou notório por suas afrontas ao longo da Virgínia, Carolina do Norte e nas costas do Mar Caribenho. 

A Espera do Tempo: Filmando com Kurosawa

Reunião de textos escritos e ilustrados por Teruyo Nogami sobre o trabalho que exerceu ao lado do cineasta Akira Kurosawa como continuísta e diretora associada por aproximadamente meio século.

De “Rashomon” até “Madadayo”, Nogami manteve uma espécie de diário em que registrava curiosidades sobre as filmagens, os bastidores e as locações, entre outras coisas. Seus relatos em primeira pessoa, sempre acompanhados por desenhos das “cenas” mais marcantes, eram confeccionados durante as folgas entre as filmagens, enquanto a equipe esperava pelo tempo perfeito para o trabalho.