janeiro 27, 2010

Conheça o sistema Ning e crie a sua rede social

Apesar da infinidade de redes sociais disponíveis na internet, ainda se fazia necessário um sistema que permitisse a criação de espaços para serem compartilhados por grupos de amigos, profissionais e até mesmo cidades.

Nesse cenário surge o Ning, um sistema que permite a qualquer pessoa criar sua rede social de forma rápida e com pouco conhecimento em programação. Contratar um web designer para a criação tornou-se desnecessário.

O Ning oferece dois sistema, no gratuito o proprietário disponibiliza de 10GB de armazenamento e  100GB de largura de faixa. O que garante uma rede social com aproximadamente 5.000 fotos ou  500 vídeos.

Com o crescimento da rede o proprietário pode contratar opções  garantindo vários benefícios, como o aumento de banda, acréscimo de anúncios e até mesmo utilizar um domínio próprio.

A rede é totalmente customizável e oferece vários temas aos iniciantes. Utilizam esse sistema a rede social Artesanato em Rede,   Clube Caiubi de Compositores  e a Botucatu Amizade.

Gostou da idéia?  Quer criar a sua rede social? Então vamos lá
Entre no site www.ning.com

No primeiro campo da página que se abrirá preencha o nome da Rede Social. Como sou adepto do Steampunk criarei uma erede social para os apreciadores dessa arte.

Em Ning Network Address, você digitará a URL que pretende batizar a rede. Clique em Create

Na página seguinte mantenha o nome da rede social e nos campos de opção opte em tornar a rede pública ou privada.

Em Tagline escreva um texto breve de apresentação,  ele aparecerá no cabeçalho da rede social. Em Description descreva os objetivos da rede social.

Em Keywords coloque palavras chaves que descrevam a sua rede social, separe as palavras com vírgula.

Em Language determine o idioma que será utilizado em sua rede social e em Country selecione o país, nesse momento aparecerá o campo City – Escreva o nome da cidade onde a rede terá a sua base. Clique em Next

A página que se abre agora garante a possibilidade de adicionar recursos À rede social. Recomendo que deixe isso para depois, primeiro compreenda melhor o sistema. Clique em Next.

Agora você foi  encaminhado para uma página com vários temas e as possibilidades de configuração, Básica, Todas as Opções e Avançado.

Trabalhe as configurações que achar necessário e clique em iniciar. Pronto, sua rede social foi criada.

Falta de apoio faz produtor cultural abandonar a atividade

Por Renato Fernandes

O produtor cultural Robson Marques anunciou na segunda-feira (25), que está deixando de operar, apontando como razão  a falta de apoio da Secretaria Municipal de Cultura. “Não trabalho mais como produtor enquanto continuar essa gestão”, com essas palavras iniciou a entrevista.

Segundo ele, o problema começou no ano passado quando não conseguiu ser atendido, adequadamente, para discutir detalhes do projeto “Primavera Cultural”. “Fiquei decepcionado com a postura da Secretaria de Cultura de uma forma geral. Decidi que, se é para ser atendido da forma como eu fui, é melhor não trabalhar mais como produtor aqui em Botucatu. Pelo menos, enquanto não tiver uma mudança séria da secretaria, na minha opinião, a solução é mudar a figura do secretário”, declarou

A trajetória de Marques como produtor teve início em 2006. Desde então , ele responde por eventos como: Toquinho, Leila Pinheiro, O Retrato de Doryan Grey, O Teatro Mágico, Nany People, Zé Geraldo, Ballet da Ucrânia, entre outros.

O profissional garante que sempre trabalhou com produção artística por gostar da atividade. “É algo que gosto e que colabora com o meio cultural da cidade. No segmento que atuo, teatro e shows intimistas o objetivo não é viver profissional e unicamente das produções. O ano passado encontrei uma série de dificuldades, posturas inadequadas com relação ao apoio. Bastava  abrir as portas para ouvir o que temos a dizer. Houve um menosprezo quanto ao trabalho do produtor, aí não! Enquanto a postura da Secretaria de Cultura for essa eu encerro as minhas atividades”, reforça.

Questionado sobre as razões específicas dessa decisão, o empresário explica que em administrações anteriores o sentido da palavra parceria era melhor interpretado. “Nos consideravam como parceiros mesmo. Não no sentido de dar alguma coisa, mas trabalhar junto de forma administrativa ou logística, ou simplesmente ouvindo o que tínhamos a dizer. Tudo começa pela falta de disponibilidade para ouvir. A única vez que fui atendido foi com hora marcada mas, com arrogância, de olho no relógio durante a reunião, atendendo celular e abrindo e-mail ao mesmo tempo. Se é para receber assim não receba”, reclama.

Diante do que considera menosprezo e mal atendimento, Marques tentou parceria com outras Secretarias e garante que foi melhor recebido na Subsecretaria Municipal de Turismo. “Percebemos que na mesma estrutura, na Subsecretaria de Turismo, deram maior atenção para as coisas simples e formalizamos parceria no mesmo dia. O que pedimos foi  intermediar o contato com a Secretaria de Esporte para alojamento, assinatura de um ofício para a Sabesp, a fim de facilitar o repasse de uma verba. São coisa que passei  mais de dois meses solicitando na Secretaria de Cultura sem retorno. O patrocínio da Sabesp, que necessitava apenas de um ofício, caiu de R$ 2 mil para R$ 900, o que refletiu no valor de ingressos”, diz.

Além do relacionamento tumultuado entre o produtor e o secretário da Cultura, também são citados motivos técnicos para a desistência. “Faltando dois dias para um evento me ligaram do teatro comunicando que não teriam o iluminador. Eu precisaria disponibilizar um técnico. Era um dos principais eventos da ‘Primavera Cultural’, o show com o ‘Bee-Gees Cover’, e de uma hora para outra não tem mais o iluminador.  Teriam que, ao menos, descontar esse valor da contratação do técnico da taxa de teatro, era uma situação de emergência. Lavaram as mãos e deixaram por conta do produtor”, relata.

Para ele é importante a população tomar conhecimento das razões pelas quais está deixando a produção de espetáculos. “Minha intenção é comunicar a população. Têm pessoas que conhecem o meu trabalho e por respeito ao público tenho que fazer esse comunicado. É importante que saibam o motivo pelo qual estou parando com as atividades. Esse comunicado também será  disparado em meus contatos de e-mail”, justifica.

Diante de tantas dificuldades, Marques encaminhou, no dia 28 de setembro, um ofício ao prefeito municipal, João Cury Neto, onde solicita esforços para a formalização de uma parceria. “O ofício não resultou em nada. Após isso, cheguei a  conversar com o prefeito e mostrei o ofício, concordou com o exposto e disse que iria falar com o secretário (Osni Ribeiro), pediu uma relação prioridades que a Prefeitura poderia ajudar. Não estava pedindo dinheiro, mas sim o apoio para alojamento e veículo para translado, além do ofício para a sabesp”, afirma.

Marques ainda deixa claro que alguns eventos que fizeram parte da “Primavera Cultural”, foram repassados a ele através da administração do Teatro Municipal Camillo Fernandez Dinucci. “Ligaram lá (Municipal) e fizeram o agendamento da pauta, depois procuraram um produtor, isso é normal. Ligam para confirmar a disponibilidade de data e em seguida pedem referência de produção local. Cheguei a ouvir que nem era eu realmente quem estava trazendo o evento. Que a atração viria de qualquer forma, e isso não é verdade, as companhias fazem o contato, mas se não tiver um produtor local eles não se apresentam”, ressalta.

O empresário faz questão de citar as atribuições do produtor local. “Cabe aos produtores locais a captação de patrocínio, divulgação da atração, preparar o camarim, reservar o dia para receber o artista, cuidar das negociações burocráticas e toda a logística de permanência dos artistas na cidade. Enfim, é tudo o produtor local, o artista acompanha o trabalho de longe. Quando ele (Osni Ribeiro) me recebeu, disse que não é interesse da Secretaria fazer produção, mas então, que exista um reconhecimento sobre a importância do trabalho. É necessário que revejam as maneiras para se garantir a ajuda. Cheguei a ouvir o seguinte: Porque ajudar se você ganha com isso? Não vejo problema em receber pelo trabalho? Sempre defendi que se fizessem as contas abertas, se tiver renda extra, destinamos para doação. Repito: não vejo problema em ganhar dinheiro trabalhando”.

As reclamações e o ofício acabaram garantindo que o prefeito João Cury estabelecesse contato com o produtor. “O prefeito me ligou dizendo que o Osni me procuraria, mas até agora nada”, garante.

Secretário da cultura diz que está disposto a conversar sobre o caso

Em nota, o secretário municipal da Cultura, Osni Ribeiro, disse que está disposto a covnersar.

Confira a nota: “Eu lamento a posição do Robson de deixar o trabalho de produção, são profissionais necessários para a cena cultural do município, mas me espanta a maneira como ele coloca a sua relação com a Secretaria. Todos os produtores que se utilizam do Teatro Municipal tem igual tratamento. O Administrador do Teatro pode dar maiores detalhes, mas o procedimento é esse:

   1. As companhias ou artistas fazem uma pré-agenda no Teatro Municipal, essa agenda gera um processo normal de locação do espaço, cujas receitas são depositadas no Fundo Municipal de Cultura.

   2. Alguns solicitam informação sobre produtores para apoio local, a administração do teatro fornece uma relação de produtores cadastrados.

   3. À partir daí, os contatos e entendimentos sobre o trabalho fica entre artistas e companhias e os produtores locais. Não há interferência da Secretaria ou da Administração do Teatro nesse processo.

   4. Os produtores locais são remunerados diretamente pelas companhias ou artistas que se utilizam de nosso equipamento cultural.

Nenhum dos outros produtores locais se utiliza da prática de solicitar apoio logístico à Secretaria quando realiza eventos com caráter comercial. É justo que o profissional receba pelo seu trabalho mas é necessário que sejam adotadas práticas comuns nessas relações. Nesse caso específico havia eventos que já tinham pré-agenda no municipal e adotamos a mesma política que foi utilizada em mais de uma centena de outros espetáculos que aconteceram no Teatro.

Assim, não consigo identificar a citada falta de apoio e nem mesmo questões pessoais nessa situação.

Não é nossa intenção causar descontentamento ou alimentar situações que não colaboram para a construção de nosso movimento cultural e me coloco a disposição para atender ao Robson ou a qualquer outro produtor que  tiver interesse, para esclarecer esses e outros procedimentos.”


Curso pré-vestibular dará carro ao melhor aluno

O Colégio Anglo de Botucatu dará de presente ao melhor aluno do ano um carro Celta, zero quilômetro, em festa que acontecerá no dia 5 de fevereiro.

Segundo o empresário Jonas Colaute Filho, o colégio toma como base o desempenho do estudante durante o ano, tendo como referência as notas conquistadas em 8 simulados. “Somando os simulados temos um total de 680 questões aproximadamente”, explica.

A premiação já é tradicional. Em 2008 o prêmio foi concedido a Caroline Mazetto, que foi aprovada em seis cursos de medicinas, em Universidades Públicas. Na ocasião, a premiação foi entregue pelo jogador de futebol Biro Biro. “Para o próximo ano, pensaremos uma forma de premiar uma quantidade maior de alunos. Em 2009 foram apenas 20 pontos de diferença entre o primeiro e o segundo colocado”, explica.

Para este ano a programação do evento tem início no próprio colégio, na Avenida Santana, nº 653, por volta das 20 horas. “A partir da meia-noite a festa tem continuidade na casa noturna Éden. “Os alunos que passaram no vestibular terão a entrada franca”, revela. 



Dragões da Vila conta com nova diretoria

A Associação Recreativa Dragões da Vila está com nova diretoria, para comandar suas atividades durante o biênio 2010/2011.

A nova diretoria já iniciou os trabalhos e tem como presidente Romualdo Pinton. O quadro geral ficou composto da seguinte forma: vice-presidente - Antônio Cecílio júnior; 1º secretário - Luiz Pereira; 2º secretário -   Dr. Lourenço Talamonte Neto; 1º tesoureiro - Carlos Eloy Pereira, 2º tesoureiro - Nilseu Giacóia; Diretor Social - José Antônio Gragnani e diretor de patrimônio - Antônio Cláudio Moraes.

A gestão anterior teve como presidente o empresário Antônio Cecílio Júnior, que deixou o comando  defendendo o idealismo de não continuismo, deixando o cargo para novas lideranças. “Sangue novo sempre é bom”, diz Cecílio.

Enquanto esteve no comando Cecílio foi responsável pela substituição do forro de gesso por PVC, no salão da sede social - Vila dos Lavradores; aquisição de 250m cadeiras de ferro e exaustores para a renovação do ar ambiente. “Agradeço a todos os colaboradores e simpatizantes do dragões da Vila e desejo sucesso ao Romualdo e equipe”, diz.


Semana cultural traz comitiva do consulado Japonês para Botucatu

Em maio, Botucatu terá uma semana especial dedicada à cultura japonesa, com atividades desenvolvidas pela Associação Botucatuense de Cultura Japonesa, Prefeitura Municipal de Botucatu e acompanhamento e auxílio do Consulado do Japão no Brasil e da Fundação Japão e Jica e  apoio da Unesp.

Para discutir o assunto Botucatu recebeu na sexta-feira, dia (22) a visita de uma comitiva do Consulado composta pelo  cônsul e diretor geral do Departamento Consular, Takeshi Goto, o diretor de intercâmbio cultural da Fundação Japão, Goki Yamashita e o assessor consular Masaki Furusugui. O grupo foi recepcionado na sede da Associação de Cultura Japonesa por seu atual presidente João Gushiken.

Em seguida, esteve em reunião na Prefeitura Municipal de Botucatu onde se reuniram com o prefeito municipal João Cury e o secretário do prefeito Marcos Aparício Cordeiro. Juntaram-se à comitiva, Minoru Sakate e Julio Nakagawa, da Associação de Cultura Japonesa.

O grupo visitou vários pontos da Cidades e teve a oportunidade de conhecer a estrutura disponível para a realização da Semana da Cultura Japonesa, evento que tem como data provável a última semana de maio.

A comitiva foi apresentada ao Teatro Municipal Camillo Fernandez Dinucci, Espaço Cultural Antônio Gabriel Marão, Praça Brasil Japão e ao jornal Diário da Serra. “Esse evento é um importante intercâmbio cultural entre as culturas. Queremos garantir a realização de várias atividades, entre elas exposições e shows”, explica o cônsul.

Para Cordeiro, o evento poderá movimentar não apenas os setores culturais, mas também a rede hoteleira fomentando o turismo. ‘Queremos que a Cidade se prepare para essa festa. Que os hotéis ostentem uma decoração especial e adequada. Afinal, serão convidadas comunidades japonesas de vários pontos do Estado de são Paulo’, sugere.

Além disso, o cônsul fez questão de conhecer o câmpus da Unesp de Botucatu. No local, foi recebido pelo Professor Dr. Sérgio Swain Muller, diretor da Faculdade de Medicina, que garantiu o apoio da instituição ao evento.

Segundo nota da Subsecretaria Municipal de Comunicação da Prefeitura de Botucatu, Goto destacou que Botucatu é uma cidade com grande potencial cultural e se mostrou encantado com a estrutura que lhe foi apresentada.

Após o almoço, Takeshi Goto e Goki Yamashita receberam das mãos do prefeito João Cury Neto, o título de hóspedes oficiais do município. A promessa é de que em maio, o cônsul geral do Japão no Brasil esteja presente para a solenidade de abertura da Semana da Cultura Japonesa.

Imprensa intensifica ensaios para o Carnaval de 2010

Há poucos dias do desfile de Carnaval em Botucatu, o Bloco da Imprensa intensifica os ensaios da bateria e confecção das fantasias. A bateria se reúne todas as quartas, quintas-feiras, às 19 horas e aos domingos, às 14h30, na Associação Atlética Ferroviária (AAF). A oficina de bateria ocorre todos os dias nas casas dos integrantes do Bloco dos Comunicadores.

O puxador do Bloco, Marcos Rogério Morecci, destaca que as pessoas ainda podem comparecer aos ensaios para terem um lugar no desfile com a Imprensa. “Os foliões devem aproveitar as últimas semanas de preparação e garantir um lugar”, destaca.

Neste ano, o Bloco trabalha o samba enredo “Doe Vida”, destacando as pessoas que fazem o bem, além da importância da preservação ambiental. O grupo de Carnaval tem apoio da AAF.
Informações (14) 971818-52 ou blocodaimprensa@gmail.com.

Nerso da Capitinga pode abrir a programação teatral de 2010

Segundo informou o diretor do Teatro Municipal Camillo Fernandez Dinucci, Tico Vilela, o humorista Pedro Bismark, conhecido como Nerso da Capitinga, poderá abrir a agenda teatral de 2010, com o espetáuclo “Neversário do Nerso”, no dia 26 de fevereiro. “A apresentação já está 80% certa. So falta assinarmos o contrato’, explica.

O espetáculo comemora os vinte anos de carreira do ator e humorista. Na apresentação ele conta novos “causos”, apresentando também, uma seleção dos melhores momentos de sua carreira. A direção é do próprio Pedro e de Lúcia Martins. O espetáculo conta ainda com figurino de Lúcia Sobreira, trilha sonora de Sérgio Leite e produção de Geraldo Magela Lauro.

Recesso - Villela ressalta que até a data da apresentação o Municipal permanecerá em recesso e fechado para manutenção. “Iria tirar férias nesse início do ano, mas acabei transferindo o descanso para poder acompanhar os reparos necessários”, explica.

Segundo ele, aproximadamente 100 poltronas precisam de manutenção, além disso também passaram por revisão a iluminação cênica do teatro, com a troca de lâmpadas, refletores e aprimoramentos no sistema de áudio, com revisão dos cabos. “O que surpreendeu foi a roupagem cênica, levamos tudo para a limpeza. São mais de 369 m² de tecido”, explica.

Villela não descarta de antecipar o retorno das atividades. “Dependemos apenas do agendamento de eventos, mas acho difícil, devido ao Carnaval”, declara.

Centro Cultural de Botucatu investirá na biblioteca em 2010

Por Renato Fernandes

Nos últimos dois anos, o Centro Cultural de Botucatu (CCB) tem assistido uma grande evolução em sua estrutura física e quadro de associados, oferecendo à população cursos, sessões de cinema, shows musicais, espetáculos teatrais, dentre outras atividades.

Segundo o presidente da entidade cultural, João Carlos Figueiroa, o ano que passou foi importante para a transformação do acesso de entrada do CCB em área de exposição e adequação da sala Raymundo Cintra em um pequeno auditório. Agora, a meta para 2010 é trabalhar diretamente na readequação na biblioteca da entidade. “Em 2009 consolidamos o saguão como área de exposições. A agenda ficou tomada todos os meses com obras de diferentes propostas artísticas. Transformamos a sala Raymundo Cintra em um auditório versátil, que pode receber palestras, cerimônias, lançamentos de livros, peças teatrais e shows musicais, Isso está consolidado”, coloca Figueiroa.

Ele ressalta que a participação da secretaria Municipal de Cultura, na transformação da entrada do CCB vem sendo fundamental. “No saguão mantemos uma parceria constante com a Secretaria, ela nos fornece os banners das exposições, convites e também empresta os painéis onde ficam dispostas as obras. No auditório, eles auxiliaram fornecendo o praticável”, esclarece.

O primeiro passo para a adequação da Biblioteca será a impermeabilização de uma das paredes laterais, que fica entre o CCB e um acesso de veículos da Prefeitura Municipal. “Ano passado, um caminhão entrou nesse acesso e acabou afundando um pouco o terreno, permitindo a entrada da água e a infiltração. Já estou em conversação para fazermos esse reparo com auxílio do Poder Público”, explica Figueiroa.

Além de reformar essa parede, trabalho que exigirá a pintura interna e externa, a atual diretoria tem planos para melhorar a disposição das obras literárias. “O próximo passo será a substituição das cortinas e no segundo semestre pretendemos colocar vinte estantes e trabalhar na organização dos títulos. Ganhamos muito livro através de doações e eles chegam aos montes. A idéia inicial é informatizar, um programa desenvolvido por estagiários da Fatec (Faculdade de Tecnologia de Botucatu) custa em torno de R$ 3 mil, aí vamos precisar também de um bom computador e o salário de dois estagiários. O maior investimento nesse caso seria em material humano, o restante é simples, mas para concretizarmos espero contar com a parceria da Prefeitura”, diz.

Para garantir que o auditório pudesse atuar com plenitude foram necessárias adequações técnicas, como a instalação de um sistema de iluminação e a colocação de praticáveis, para compor um pequeno palco. “A iluminação eu gostaria de dar um acabamento. Completamos a adequação da sala com a colocação de cortinas novas. Graças a essa preparação conseguimos desenvolver no ano passado seis lançamentos de livros, um a cada dois meses. Três apresentações teatrais e quatro shows musicais. A substituição das cortinas foi uma necessidade para o cineclube (Ybitu Katu), as projeções dos filmes têm início às 19h30, e com o horário de verão, neste horário, ainda é dia claro e não tínhamos como escurecer a sala toda. Agora resolvemos esse problema”, garante.

O ano que passou também garantiu à entidade a aquisição de vários equipamentos, fundamentais para o desenvolvimento da agenda. “Conseguimos os equipamentos necessários para o pleno funcionamento do cineclube, como um data show e um DVD com entrada USB, possibilitando que os filmes sejam projetados diretos do pen drive para tela. Também adquirimos ventiladores, aspirador de pó, cortinas e o bebedouro, antes a água que tomávamos era da torneira. Estamos investindo na entidade. A saúde financeira está equilibrada, não temos muita verba, mas conseguimos operar com recursos próprios”, diz.

Uma preocupação que tem acompanhado a diretoria da entidade desde sua posse, em 2007, é a regulamentação plena de suas atividades. “Essa é outra meta para o ano. Estamos na terceira e última revisão das atas, conto para isso com o auxílio do Moacir Bernardo. Um lê o livro original e o outro revisa o livro já digitalizado. A primeira revisão foi feita pelo professor Isaías Barreto, fiz a segunda agora, espero, que seja a última. Temos que ser rigorosos Essa documentação ficará para a história. Já passamos a limpo oito anos de história, entre as décadas de 1942 e 1950. Impomos um ritmo de dez anos por semana”, diz.

Além da regulamentação a revisão das atas também resultará em um livro. “O trabalho de editoração já está pronto, a capa e a diagramação foram definidas pelo professor Sérgio Marques, falta às correções”, comenta Figueiroa.

O volume de atividades e de ações tem atraído ao CCB um volume grande de usuários com idade entre 20 e 40 anos. Na análise de Figueiroa isso representa uma renovação no quadro de associados. “O cineclube é formado, em sua maioria, por universitários com idade entre 20 e 25 anos. No Departamento de Filatelia também estamos assistindo o surgimento de novos integrantes e isso nos animou a preparar o primeiro curso de formação de filatelistas, que já foi batizado de “Aprenda a Colecionar Selos”.

Atualmente esses colecionadores tem faixa etária entre 30 e 35 anos. As aulas de Latim, Francês e Alemão também tem aproximado a juventude da entidade. Vivemos um momento bastante positivo”, garante.

A renovação do público não reflete na retirada de livros e utilização da biblioteca. “Isso acontece porque é necessário outro tratamento das escolas com relação aos livros. É fundamental que os professores recomendem leitura. É necessário que as escolas recomendem a leitura de livros em casa. A biblioteca do Centro Cultural é para a leitura e não pesquisa escolar, essa finalidade é suprida pela Biblioteca Municipal Emílio Peduti Porém temos farto material para atender pesquisadores acadêmicos”, ressalta.

O Centro Cultural de Botucatu funciona na Praça XV de Novembro, nº 30.



Ilusões de óptica da natureza ou intervenção humana?

A tal Mãe Natureza realmente nos surprende com suas criações, e olha que ela nem sabe lidar com o tal do Photoshop ou qualquer outro programa para edição de imagem. Como diria meu avó, foi feito na raça mesmo.

Em meio a tantos sinais de fúria do meio ambiente, decidi mostrar que nem tudo é catástrofe, quando falamos do planeta Terra e seu clima louco. Existem também imagens impressionantes, verdadeiras ilusões de óptica, naturais e, logicamente, aquelas que receberam uma mãozinha para ficarem ainda mais surpreendentes.

Nesta seleção, feita com a ajuda do bom e velho Google, encontrei de tudo, mas parece que a Natureza gosta mesmo é do corpo humano. Pois a maioria das fotos fazem referência a ele, de uma forma ou de outra.




 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Mobilização de ajuda ao Haiti completa uma semana na FMB/Unesp

Uma semana após o início da campanha de arrecadação de donativos para as vítimas do terremoto que flagelou o Haiti, na América Central, a Faculdade de Medicina de Botucatu/Unesp (FMB), Hospital das Clínicas (HC) e Famesp já registram grande adesão à mobilização.

Segundo a supervisora substituta do Serviço Social do HC, Adriana Henriques Ribeiro, foram coletados até esta quarta-feira, dia 27, 14 litros de água, 6 litros de leite, entre outros alimentos como açúcar, farinha e latas de leite em pó. No entanto, grande quantidade de roupas e calçados foram entregues por servidores, alunos e usuários do hospital e faculdade.

“Esta primeira semana de arrecadação nos surpreendeu pela quantidade de roupas doadas. A comunidade tem se mostrado entusiasmada e receptiva com a campanha”, declarou Adriana. Ela ressalta que a iniciativa deve prosseguir por tempo indeterminado.

A arrecadação acontece em dois pontos do HC: corredor central do hospital, em frente à entrada da enfermaria de Pediatria e ao lado do setor de Registro. Na Famesp, as doações podem ser depositadas em sua sede administrativa. Vale lembrar que os materiais que podem ser doados são: água, roupas, calçados e produtos de higiene pessoal e limpeza. As caixas para o recebimento dos donativos estão devidamente identificadas.

O Cursinho Desafio, mantido por alunos da FMB, também integra a campanha e deverá arrecadar doações no dia do seu processo seletivo, que ocorre em 7 de fevereiro.

A mobilização que ocorre na Unesp de Botucatu integra campanha promovida pela Prefeitura de Botucatu e Rádio Municipalista AM. Empresas, entidades e populares têm feito suas doações em diversos pontos da cidade. Toda a mobilização tem apoio das direções da Faculdade de Medicina e Famesp, Hospital das Clínicas, Serviço Social do HC, Assessoria de Comunicação e Imprensa (ACI) da FMB e HC/Unesp, Assessoria de Segurança da FMB e HC e Núcleo de Ensino à Distância e Tecnologias da Informação em Saúde (NEAD.TIS).

Mais informações podem ser obtidas no Serviço Social do HC e na Assessoria de Comunicação e Imprensa, pelos telefones: (14) 3811-6226 e 3811-6140 (123 ou 120), respectivamente.

Inscrições para processo seletivo de professores terminam dia 29 em Avaré

A Prefeitura da Estância Turística de Avaré informa que será realizado processo seletivo para contratação temporária, até o final do ano e formação de cadastro reserva para eventuais contratações, para o cargo de Professor – PEB I (90 vagas).

A data para inscrição teve início dia 24 e se encerrará dia 29, sexta-feira. Os interessados deverão se inscrever através do site www.consesp.com.br e efetuar o pagamento da taxa referente à inscrição, cujo valor será equivalente a R$ 18,77 (boleto bancário). A prova será realizada no dia 07 de fevereiro, domingo, às 8 horas, em local ainda a ser divulgado.

Os requisitos para preenchimento da vaga são: licenciatura plena em pedagogia, com habilitação específica ou, normal superior ou, nível médio com habilitação no magistério, para as séries iniciais do ensino fundamental.

A carga horária constará de 20 horas semanais, mais 04 horas de HTPC (Hora de Trabalho Pedagógico Coletivo). O salário será R$ 702,78 (setecentos e dois Reais e setenta e oito centavos), mais benefícios.

Fonte: Secretaria de Educação de Avaré