janeiro 12, 2010

Luiza Erundina consegue saldar dívida

“Fico feliz por saber que ela quitou sua dívida e me sinto um colaborador premiado que lutou por uma causa justa”. Assim o Deputado Milton Flávio referiu-se ao fato da Deputada Luiza Erundina ter conseguido saldar sua dívida de 350 mil por ter sido condenada devido a uma Ação Popular movida quando era prefeita de São Paulo, gestão 1988/93. A ação visava obter a reposição aos cofres públicos de dinheiro utilizado pela Prefeitura com publicações jornalísticas nas quais a então prefeita manifestou apoio à greve geral de 1989.

A sentença entendeu que a matéria publicada não atendia ao interesse público e condenou pessoalmente Luiza Erundina a pagar o elevado valor de R$ 350 mil. Como se trata de uma decisão definitiva, foram penhorados o apartamento onde mora (seu único imóvel), seu carro e ainda 10% da remuneração mensal como deputada. Mesmo assim, seu patrimônio era inferior ao total da dívida. Diante disso, o Deputado Milton Flávio resolveu ajudá-la a angariar recursos para saldar a dívida. 

Um jantar suprapartidário foi articulado por Milton Flávio e realizado dia 8/12 na Pizzaria Speranza, com grande sucesso. Para os participantes, o evento tornou-se quase um libelo a favor da democracia e dos políticos sérios do País, num tempo em que as denuncias de corrupção se multiplicam a cada dia que passa no noticiário político nacional.

No evento, Milton Flávio agradeceu a presença de todos, falou sobre a honestidade e sobre a lisura de Erundina a frente da Prefeitura de São Paulo. Estavam presentes deputados de vários partidos - entre eles PT, PSDB e PSB - o presidente da Assembléia Legislativa Barros Munhoz e o Secretário de Desenvolvimento do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin.

Como o recurso arrecadado ultrapassou o valor da dívida, Erundina destinará o excedente a uma instituição de caridade. 



Deputado garante creche para atender 70 crianças em Arandu

O Deputado Milton Flávio foi recebido dia 12/01 pelo Secretário de Estado da Habitação, Lair Krähenbühl, para tratar da construção de uma creche na cidade de Arandu. O Deputado acompanhou o prefeito do município, Paulo Sérgio Guerso, que assinou os documentos que autorizam a construção da creche teve liberada uma verba no valor de 200 mil reais.

Conforme o prefeito Paulo Sérgio, a creche será construída no Conjunto Habitacional Maria do Carmo Sodré, onde foram construídas 350 casas populares. A creche vai atender 70 crianças da comunidade, dando aos pais mais tranqüilidade para trabalhar e pode criar os filhos. “É mais uma demonstração de que o Governo Serra é municipalista e tem respeito para com as crianças e o povo mais humilde de nosso estado”, disse o Deputado.

Elvis não morreu

Ricardo Barros*

Se estivesse vivo, Elvis completaria 75 anos neste mês de janeiro. Ele marcou as gerações dos anos 50, 60 e 70 com suas músicas inovadoras e eletrizantes.

Estive em Tupelo, pequena cidade do Mississipi, em 2002 e visitei a casa onde Elvis nasceu. A residência, localizada no subúrbio da cidade, tem um quarto, uma sala e uma cozinha. Não dava para imaginar, naquela oportunidade da minha visita, que um dos maiores ícones da música popular mundial do século 20 teria nascido naquele lugar tão humilde e tão desprovido de recursos.

Elvis Aaron Presley nasceu em 8 de janeiro de 1935. Quando era jovem, assistia os cultos da Igreja Pentecostal em sua cidade e gostava bastante. Era aficcionado pelas músicas gospel que eram cantadas na Igreja. Quando jovem entrou em contato também com as músicas country e o blues, que eram ritmos típicos da sua região. Ainda na adolescência aprendeu a tocar violão e chegou a ganhar um concurso para talentos jovens na sua cidade. Apesar de gostar muito da música, Elvis teve de se dedicar a outra profissão para sobreviver: virou caminhoneiro.

Em 1953, enquanto gravava algumas músicas para o aniversário de sua mãe, chamou a atenção do produtor musical Sam Philips, proprietário da Sun Records, e no ano seguinte foi convidado a gravar suas primeiras canções. Naquele ano, duas de suas músicas - “Take” e “Blue Moon of Kentucky” - ganharam as paradas de sucesso no Tennessee e também no Mississipi. Em 17 de julho, Elvis fez seu primeiro show na cidade de Memphis. Em 1955 Elvis é contratado pelo selo RCA e no ano seguinte passa a fazer sucesso internacionalmente.

Entre 1958 e 1960, Elvis serviu o exército norte-americano numa base na então Alemanha Ocidental. Essa fase ajudou ainda mais a alimentar sua condição de ídolo pop norte-americano. Nos anos 1960, Elvis consagrou-se um dos maiores ídolos da música no mundo inteiro. Presley também participou de alguns filmes, sendo o primeiro deles “Love me Tender”, em 1956. Depois vieram outras películas que fizeram um estrondoso sucesso em todo globo.

O estilo do Rei do Rock and Roll era contagiante. Ele dançava e requebrava seu corpo tocando sua guitarra, sendo considerado um atentado aos bons costumes pelos mais conservadores.

Os anos 1970 marcaram a decadência do grande ídolo, embora seu sucesso continuasse em alta. Apesar de ficar boa parte do tempo recluso em sua mansão em Memphis, ele chegou a realizar uma grande quantidade de shows naquela época.

Elvis faleceu em 16 de agosto de 1977 de ataque cardíaco fulminante devido ao consumo exagerado de barbitúricos, em sua mansão chamada Graceland, em Memphis, no Tennessee. Ele é considerado por muitos o Rei do Rock and Roll e suas músicas ainda possuem grande espaço na programação das rádios de todo o mundo e nas prateleiras das lojas de CD de todo o planeta.

*Ricardo Barros é professor de História do Colégio Paulista, mestre em Educação pela Universidade de São Paulo, bacharel em História e licenciado em Pedagogia pela mesma universidade.

SOCESP tem novo presidente

O cardiologista Luiz Antonio Machado César assume, no próximo dia 22 a presidência da SOCESP – Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo. A cerimônia de posse será às 10h30, no Renaissance São Paulo Hotel (Alameda Santos, 2233 - Jardins).

Graduado pela Faculdade de Medicina da USP, obteve o título de Doutor em Medicina, área de Cardiologia, pela Universidade de São Paulo. Desde 2002, é Professor Associado de Cardiologia da Faculdade de Medicina da USP e diretor da Unidade de Coronariopatias Crônicas do InCor, onde atua principalmente nas áreas de doença coronária, infarto agudo do miocárdio e aterosclerose.

Como novo presidente, Luiz Antonio Machado César pretende dar continuidade ao trabalho da atual gestão. “Desde que meu nome foi aprovado na Assembléia Geral, Ari Timerman (presidente da gestão 2008/2009) e eu combinamos os projetos em consonância, pois apenas dois anos são insuficientes para o desenvolvimento das ações de mais fôlego. Daremos continuidade de gestão com algumas inovações”, revela. Ele lembra que duas iniciativas relevantes merecerão total atenção: o Mutirão para Prevenção do Risco Cardiovascular (projeto feito em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde, que deve ser ampliado para todo o Estado de São Paulo em 2010) e a criação das macroregionais (feita em conjunto com a Associação Paulista de Medicina).

         Mas a principal novidade da nova gestão será a criação do treinamento de médicos das emergências de hospitais públicos, para um melhor atendimento ao paciente com infarto agudo do miocárdio. “É um plano ambicioso, cujo desenho final ocorrerá no início de 2010. Será destinado especialmente aos médicos de emergência, com a meta de oferecer a toda a população o melhor tratamento possível, semelhante ao ofertado em centros de referência de hospitais públicos, como o Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia e o Instituto do Coração do Hospital das Clínicas da FMUSP (InCor)”, afirma o cardiologista.

A nova diretoria vai manter o padrão de excelência SOCESP nos eventos científicos, como os Cursos de Reciclagem, o Congresso e os eventos das Regionais. “Estamos muito otimistas com o Congresso de 2010, que acontece em maio. Precisamos adequar o espaço físico às novas exigências da Anvisa, mas a SOCESP se preparou para isso e teremos um grande evento científico em concordância com as normas vigentes”.

Para os sócios, também haverá novidades em serviços, como o suporte jurídico, em parceria com a Associação Paulista de Medicina. E a entidade vai continuar subsidiando as bolsas de doutorado. ”A missão da SOCESP é servir bem aos sócios e aos cidadãos no que tange à saúde cardiovascular. Trabalharemos ininterruptamente para bem cumpri-la”, conclui o novo presidente.

Parlamentar fiscaliza queimada em área urbana

O vereador Prof. Nenê  (PSB) atendeu denúncia de moradores do Jardim Riviera, próximo à  Rodovia João Hipólito Martins (Castelinho). De acordo com parlamentar, os munícipes reclamam que existe a queima de madeira e outros produtos na região.

Segundo o vereador, no local tem sido realizado o depósito de detritos de construção e poda de árvores – materiais oriundos de empresas de caçamba privadas.

Diante do problema, Professor Nenê afirma que já notificou a unidade da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) em Botucatu. O vereador também afirma que irá procurar saber sobre o responsável legal pelo terreno.

O parlamentar ressalta que irá entrar em contato com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente para analisar o caso.

Professor Nenê lembra que existe uma Lei em Botucatu que proíbe a colocação de fogo em terrenos urbanos, sejam públicos e privados. “Precisamos buscar saber de quem é a responsabilidade da queimada. Existe uma lei sobre o assunto que deve ser cumprida”, conclui o vereador.

A Lei Municipal (Nº 4.446) que Professor Nenê se refere foi sancionada em 30 de setembro de 2003. O texto é de autoria do ex-parlamentar Cláudio Aparecido Alves da Silva, em conjunto com os atuais vereadores Carlos Trigo (PT) e presidente da Câmara Reinaldinho (PR).