novembro 03, 2009

Concerto Erudito com Eny da Rocha

Por Renato Fernandes

Como parte da programação da “1ª Primavera Cultural de Botucatu”, o auditório do colégio Santa MArcelina recebe no dia 7 de novembro, às 20h30 Concerto Erudito com Eny da Rocha Em comemoração ao ano da França no Brasil 07/11 – Auditório Santa Marcelina.

Segundo a crítica especializada, Eny é considerada uma das maiores pianistas brasileiras de renome internacional, natural da Cidade de São Paulo, diplomou-se pelo Conservatório Dramático e Musical de São Paulo.

A artista é detentora de inúmeros prêmios em Concursos de Piano Nacionais e Internacionais, medalhas de mérito, comendas, troféus e títulos, entre eles o de Artista da Steinway (EUA). Apresentou-se em recitais e como solista de orquestra no Brasil,  Argentina, Estados Unidos, França, Espanha, Portugal, Itália, Bélgica, Alemanha, Áustria, República Tcheca e Inglaterra. Eny da Rocha comemorou em 2003, o Jubileu de Ouro de sua carreira.

Bubamara é atração, dia 13, no Municipal

Por Renato Fernandes

Unir dança, teatro e circo, essa é a proposta do espetáculo Bubamara, que será apresentado no dia 13 de novembro, no Teatro Municipal Camillo Fernandez Dinucci, em sessão às 20h30.

A montagem conta com a participação de aproximadamente 50 artistas entre dançarinos e atores circenses.

A história gira em torno de três palhaços tristes, que perdem Bubamara - O Menor circo Mágico do Mundo.

O texto é assinado pelo dramaturgo Robert Coelho, responsável pela Quadrilha de Teatro Notívagos Burlescos e a encenação ficará sob responsabilidade da Oficina da Dança, com participação do grupo circense Atrupelados.

Ingressos custam R$ 15  (inteira) e R$ 7,50 (meia).

O Teatro fica na praça Coronel Moura, nº 27. Informações pelo telefone (14) 3882-9004.


Concurso premiará as melhroes decorações natalinas de Botucatu

Por Renato Fernandes

Prefeitura Municipal de Botucatu, em parceria com a união ACE / CDL (Associação comercial e Empresarial de Botucatu / Câmara de Dirigentes Lojistas), Sincovab (Sindicato do Comércio Varejista, Ciesp e Fiesp, desenvolverá este ano um concurso de decoração natalina, que premiará as fachadas que se destacarem nos quesito: criatividade, beleza, originalidade e harmonia.

Segundo o secretário do Prefeito, Marcos Aparício Cordeiro a intenção é resgatar o espírito natalino proporcionado pelas luzes e cores. “Como no corredores comerciais serão utilizadas as mesmas peças decorativas do ano passado, tomamos a decisão de incentivar a decoração dos ambientes externos e fachadas. A ideia é envolver indústria, comércio, empresas de serviço e residências”, explica.

A intenção, é contar com a parceria do comércio para premiar os vencedores. A solenidade deverá ocorrer no Largo da Catedral, local onde a Prefeitura estuda instalar um espaço voltado parta a apresentação artística e cultural.
O período de inscrições deverá ser aberto na segunda quinzena de novembro. O julgamento e a premiação devem acontecer até o dia 20 de dezembro.

“A idéia é criar um sistema de inscrição simples, envolvendo os parceiros, ou seja: o interessado poderá procurar pelas fichas na Subsecretaria Municipal de Turismo, Secretaria de Descentralização e Participação Comunitária, no site da Prefeitura Municipal (www.botucatu.sp.gov.br), além de outros pontos e formas que ainda estamos estudando”, coloca.

Sem burocracias, no ato da inscrição o participante deverá informar apenas o nome e o endereço. “Caso o seu imóvel venha a ser vencedor, pediremos ao concorrente que prove os vínculos que mantém com o endereço. Todos os imóveis serão catalogados através de fotografias, material que poderá ser exposto posteriormente e também servir de consulta para os jurados”.

Na década de 1990, Botucatu se mobilizava em concursos de decoração natalinas. Aparício se lembra deste período e ressalta que o hábito de aplicar luzes nas áreas externas do imóveis foi inibido devido a crise energética, que ficou conhecida como  ‘apagão’. “Quando começamos a discutir o tema natal, não podemos deixar de lado o resgate da tradição e do clima natalino. É isso que estamos fazendo ao promover esse concurso e levar para a praça uma estrutura previamente desenvolvida, com  palco, iluminação, e condições técnicas para vários tipos de apresentações. A ideia é favorecer a família com o seu envolvimento direto no Natal da Cidade. Vamos trazer as pessoas, para o espírito de natal. O concurso é apenas um incentivo.  Queremos resgatar essa tradição que ficou ofuscada pelo apagão”.

Câmara rejeita regras para ocupação de calçadas por lojas e bares

A Comissão de Desenvolvimento Urbano rejeitou na quarta-feira (28) o estabelecimento de regras para a ocupação de calçadas e áreas públicas por lojas, bares e restaurantes.

As regras foram propostas pelo deputado Sandes Júnior (PP-GO) no Projeto de Lei 4266/08, válidas em cidades com mais de 50 mil habitantes, onde a ocupação máxima de áreas públicas seria de 40%.

Como foi rejeitada em caráter conclusivo pela única comissão que lhe analisou o mérito, a proposta será arquivada, caso não haja recurso para que o projeto seja votado pelo Plenário.


Competência municipal
A relatora da proposta, deputada Emília Fernandes (PT-RS), argumentou que a competência para estabelecer esse tipo de limite é dos municípios, e que não seria possível fazer uma lei que interfira em interesses locais.

Em matéria de ordenamento do solo e da ocupação urbana, cabe à União definir apenas diretrizes gerais, que atualmente estão no Estatuto da Cidade (Lei 10.257/01). "A definição de regras para a ocupação de áreas públicas pelo comércio, cabe ao município, que deverá estabelecê-las por meio da edição de um Código de Obras e Posturas", explicou.

A relatora ressaltou que a diversidade de situações encontradas nos municípios inviabiliza uma regra nacional para o tema. Para ela, em certas locais pode-se admitir a ocupação de 40% da área da calçada pelo comércio, em outros não se pode sequer considerar a hipótese, sob pena de dificultar, ou mesmo inviabilizar, o trânsito de pedestres.

Emília Fernandes argumentou ainda que seria impossível ao Poder Público federal fiscalizar o cumprimento de norma dessa natureza nas calçadas situadas nos mais de 500 municípios brasileiros com mais de 50 mil habitantes.

Da Agência Câmara