setembro 04, 2009

Os sete erros de Xuxa na internet

Especialista em marcas no mundo digital afirma que polêmica com celebridades no Twitter por causa de erros de comunicação pode ser evitada com alguns cuidados básicos para quem lida com a web

Se a apresentadora Xuxa Meneghel tivesse tomado alguns cuidados básicos antes de ingressar no mundo das redes sociais, poderia ter evitado os problemas de comunicação na internet nas últimas semanas, por causa de erros de Português nas postagens de sua filha Sasha no Twitter. É o que afirma o especialista em branding digital Gabriel Rossi, profissional de marketing com foco na criação e na gestão da reputação de marcas, empresas e pessoas no universo digital.


O episódio ocorreu quando sua filha Sasha, ao postar uma mensagem no Twitter na qual dizia que gravaria um filme da mãe, escreveu a palavra “sena”, com S, referindo-se à cena cinematográfica. Em pouco tempo, o universo web discutia e zombava da menina, o que enfureceu a apresentadora.

A apresentadora acaba de retomar sua empreitada na web. Gabriel Rossi listou alguns dos erros que ela cometeu e que são dicas que valem para todas as celebridades e políticos que desejam estreitar o contato com o público através das redes sociais:

1° Antes de tudo, é importante saber "ouvir" nas redes sociais: Analisando com cuidado as conversas que ocorrem na rede, seria possível conhecer a audiência e assim entrar e se manifestar nestas comunidades com relevância, arquitetando as mensagens corretas e se preparando para feedbacks - desejados ou indesejados, conhecendo as etiquetas e definindo se a ferramenta que deseja usar é adequada ou não. É o que ocorre no Twitter. Talvez o primeiro erro de Xuxa foi não estar preparada para o que poderia ouvir nesta plataforma (Twitter).

2° Responder os influenciadores: Quem são os (micro) blogueiros que mais impactam na comunidade web e que deliberadamente estão discutindo sobre o assunto? Como conversar com os mesmos? Xuxa poderia, com o auxílio de profissionais, responder de forma inteligente e planejada tudo o que foi falado a respeito.

3° Identificar os guardiões: Uma celebridade do peso de Xuxa possui diversas pessoas que conhecem sua história e se identificam com se trabalho. É hora de identificar estas pessoas que estão espalhadas nas redes sociais, criando uma espécie de embaixada digital para que estes aliados defendam e fortaleçam a reputação da apresentadora no mundo digital e fora dele.

4° Bilateralidade (O mundo mudou): Não é possível embarcar neste novo paradigma digital sem estar aberto ao diálogo. É necessário, neste caso, descer do pedestal de superstar, falando de igual para igual com a comunidade web. No final das contas, as redes sociais contribuem para um processo de humanização da sociedade em geral. Microcomunidades como as que nascem no Twitter são feitas de pequenas trocas diárias, feitas por pessoas que erram e acertam.

5° Preparar o Website (www.xuxa.globo.com) para responder e se relacionar: Esta é uma parte vital de todo o processo. Plataformas de contato mais visíveis por todo o canal, por exemplo, podem dar a oportunidade para que público de Xuxa se comunique com ela e receba feedback de diversas formas. O website precisaria se transformar em uma ferramenta mais humanizada e menos promocional. Em épocas de crise, o website da celebridade deveria funcionar como um verdadeiro canal de esclarecimento e diálogo, sem barreiras, provendo e recebendo feedback das mais variadas formas (video, FAQ, formulário entre outros).

Se alguém ouviu ou leu (onde quer que seja) que sua imagem ficou abalada e afetada, seu site (ou blog) será muito provavelmente visitado por essa pessoa, que estará em busca de mais esclarecimentos e um posicionamento sobre o rumor. Um vídeo de esclarecimento, por exemplo, seria uma boa idéia.

A posição privilegiada que websites e blogs possuem em sites de busca como Google e Yahoo!, é um dos fatores que tornam essas ferramentas tão importantes para qualquer estratégia de gestão de crise.

6° Bom senso na publicidade: O mundo offline, ou seja, o mundo real, possui uma relação simbiótica com o mundo online. Uma perspectiva mais conservadora é recomendada para que não haja mais "buzz" na internet e isso não reflita principalmente nos sites de busca.

7° Monitorar o Wikipédia, o site que funciona como uma enciclopédia pública na internet: Não é sempre possível alterá-la, porém este site serve de termômetro da mídia gerada na internet. A enciclopédia colaborativa possui muita influência, principalmente, entre os jovens. Além disso, deve se considerar o impacto que a Wikipédia terá nos sites de busca, que jogam quem procura, por exemplo, o nome “Xuxa” para este website.


São José do Rio Preto sedia penúltima etapa do Arena Cross

A maior cidade do noroeste do Estado de São Paulo é palco do evento no dia 26 de setembro; Ingressos já podem ser trocados por dois quilos de arroz ou de feijão

São José do Rio Preto se torna a capital do motocross no dia 26 de setembro. A cidade do noroeste paulista vai receber a sexta e penúltima etapa do Arena Cross, campeonato que reúne os principais pilotos brasileiros da modalidade. O ingresso já pode ser trocado por dois quilos de arroz ou de feijão nas concessionárias Honda da cidade Danda Motos e Faria Motos. Crianças com mais de dois anos também precisam adquirir o ingresso. Todos os alimentos arrecadados serão doados ao fundo social da prefeitura do município.

Seguindo o exemplo das etapas anteriores, cujos ingressos estiveram esgotados no dia do evento, vale a pena garantir o bilhete de forma antecipada nos postos de troca. As provas serão realizadas às 19 horas, na Represa Municipal, ao lado do Palácio das Águas, e os treinos começarão às 13h. A competição é formada por sete etapas com a participação de cerca de 80 pilotos em cinco categorias: Pro, Júnior, 85cc, 65cc e 50cc.

Após cinco etapas, a classificação geral da Pro, a categoria de elite, tem o campeão brasileiro de motocross de 2009, Wellington Garcia, na frente com 137 pontos. Na categoria Júnior, Hector Assunção continua na liderança com 93 pontos, mas o piloto Gustavo Takahashi se aproxima com 72 pontos. Os líderes do campeonato em outras categorias são Everaldo Filho (85cc, com 80 pontos), Pedro Bueno (65cc, com 84 pontos) e Enzo Lopes (50 cc, com 80 pontos).

O Arena Cross 2009 possui ainda o campeonato por equipes, no qual cada time soma o número de pontos de seus dois pilotos na categoria Pro. A equipe Honda/ASW, dos pilotos Wellington Garcia e Swian Zanoni, está na frente com 246 pontos, seguida pela Honda/Pirelli (Leandro Silva e Jean Ramos - 209 pontos), Suzuki/Petrobras (Roosevelt Assunção e Rafael Zenni – 181) e Honda/Mobil (Marcello “Ratinho” e Thales Vilardi – 175).

Arena Cross 2009 – 6Ē etapa em São José o Rio Preto (SP)
Data: 26 de setembro (sábado)
Local: Represa Municipal (ao lado do Palácio das Águas)
Ingressos: Troque dois quilos de arroz ou feijão por um ingresso nas lojas da concessionária Honda Danda Motos e Faria Motos.

Programação
Treinos: 13h
Provas: 19h

O Arena Cross tem os patrocínios de Honda e BB Seguro Auto e co-patrocínios de Consórcio Nacional Honda, Red Nose e a Revista da Moto! E conta com o apoio da da Prefeitura Municipal de São José do Rio Preto e BAND FM. O evento é uma realização da Carlinhos Romagnolli Promoções e Eventos.

Parque Tecnológico de Botucatu é cadastrado ao Sistema Paulista de Parques Tecnológicos

Em solenidade realizada dia 03 de setembro no Auditório da Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp, câmpus de Botucatu, foi assinado o Termo de Convênio para o credenciamento provisório do Parque Tecnológico de Botucatu no Sistema Paulista de Parques Tecnológicos.

Compuseram a mesa da sessão solene: professor Herman Cornelis Jacobus Voorwald, magnífico reitor da Unesp; Geraldo Alckmin, secretário de Desenvolvimento do Estado de São Paulo; Edivaldo Domingues Velini, diretor da Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp; João Cury Neto, prefeito municipal de Botucatu; o vice-prefeito de Botucatu Antonio Luiz Caldas Junior; Reinaldo Moreira, presidente da câmara municipal de Botucatu e os deputados estaduais Bruno Covas, Milton Flávio e Pedro Tobias.

Na abertura dos trabalhos, o professor Velini fez um breve histórico sobre o processo de criação do Parque Tecnológico, incluindo a definição de seu foco de atuação. “Depois de muito debate, o tema bioprocessos foi definido como o eixo orientador dos trabalhos”.
Solenidade aconteceu nesta quinta-feira, na FCA. Iniciativa é uma parceria entre Unesp, governo estadual e município

Segundo a definição do professor Velini, bioprocessos são os procedimentos tecnológicos que utilizam sistemas biológicos, organismos vivos e seus componentes e derivados para produzir ou modificar produtos ou processos para um determinado uso. “Existe uma infinidade de aplicações para os bioprocessos, tais como produção de vacinas, medicamentos, biocombustíveis, alimentos e até recuperação ambiental. Todos os centros de pesquisa e tecnologia de Botucatu guardam relações com esse tema”.

Outros tipos de atividades devem ser desenvolvidas no Parque Tecnológico de Botucatu, como enumerou o professor Velini. Dentre elas estão produtos naturais da fauna e flora; políticas públicas; serviços ambientais e, principalmente, tecnologias sociais. “Essa é uma vocação, não da FCA, mas de toda a Unesp, que consiste em transformar ciência e tecnologia em ações sociais que gerem benefícios para toda a sociedade”.

O deputado estadual Bruno Covas ressaltou os benefícios da instalação do Parque Tecnológico para Botucatu e região. “Esse investimento em ciência e tecnologia vai gerar emprego e renda para a população e oportunidades para os jovens e as empresas regionais”, afirmou. “O Parque Tecnológico vai oferecer a alternativa que faltava em Botucatu para que os egressos das nossas universidades possam exercer sua competência em benefício da região”, complementou o deputado Milton Flavio.

Na sequência, o magnífico reitor da Unesp professor Herman Jacobus Cornelis Voorwald discursou destacando a parceria pública tripartite entre universidade, governo estadual e município. “A união do poder público com a competência intelectual da universidade tem tudo para ser bem sucedida”, disse. “Principalmente pela qualidade das unidades que compõem o câmpus da Unesp em Botucatu, notadamente a Faculdade de Ciências Agronômicas que integra a área de ciências agrárias da Unesp, certamente a mais pujante no país”.

O prefeito municipal de Botucatu João Cury Neto também salientou a importância da parceria institucional. “Precisamos aproveitar a capacidade intelectual que temos no nosso município, através das pesquisas desenvolvidas na universidade, para melhorarmos a vida das pessoas. Transformar ciência em produtos e negócios que vão gerar empregos e renda para a população. Através de ações como esta, a universidade faz o seu gesto na direção de atender as necessidades de desenvolvimento de Botucatu e região”.

Em seguida, foi assinado pelo reitor da Unesp, o prefeito municipal de Botucatu e o secretário estadual do Desenvolvimento o Termo de Convênio para o credenciamento provisório do Parque Tecnológico de Botucatu no Sistema Paulista de Parques Tecnológicos.

O texto do documento dispõe que a Prefeitura Municipal de Botucatu “se compromete a envidar esforços na sua área de atuação para tornar realidade o citado empreendimento”. Segundo o mesmo Termo, a Unesp “se dispõe a se empenhar para o sucesso do citado empreendimento por meio da capacitação e formação de recursos humanos para atendimento das demandas decorrentes do Parque e da realização de pesquisas e geração de conhecimentos aplicáveis às atividades produtivas”.

No encerramento da cerimônia, o secretário do Desenvolvimento do Estado de São Paulo Geraldo Alckmin fez uso da palavra e também saudou a união dos diversos atores sociais envolvidos na constituição do Parque Tecnológico. “O Parque Tecnológico vai integrar os empreendedores, a iniciativa privada a um centro de pesquisa e formação como a Unesp, universidade pública, gratuita e parceira do povo de São Paulo. A cidade de Botucatu dá um grande passo ao conseguir unir tudo isso. Agora cabe ao governo local coordenar esse processo e garantir condições para que a iniciativa prospere”.

A ciência e a tecnologia como fatores fundamentais para o desenvolvimento do país também foram destaques na fala do secretário. “Esse é o caminho ideal para o país crescer, com melhoria de renda e geração de empregos. Será a tecnologia que fará a diferença para que o Brasil consiga vencer os desafios que o futuro nos apresenta”.

A solenidade também contou com a presença do professor Julio César Durigan vice-reitor da Unesp; do professor José Matheus Yalenti Perosa, vice-diretor da Unesp; professor Iraê Amaral Guerrini, diretor-presidente da Fundação de Estudos e Pesquisas Agrícolas e Florestais; Ricardo Antonio de Arruda Veiga, secretário municipal do Desenvolvimento Econômico e professor emérito da Faculdade de Ciências Agronômicas, além de diversos prefeitos, vereadores e secretários de municípios da região de Botucatu.

Após a cerimônia, os presentes participaram de um coquetel na sede da Fundação de Estudos e Pesquisas Agrícolas e Florestais (Fepaf).

Parque Tecnológico
O Parque Tecnológico de Botucatu será implantado em duas áreas paralelas, que somam 286 mil m² – equivalentes a 34,6 campos de futebol com as mesmas dimensões do Maracanã. O empreendimento terá como objetivo principal incentivar e promover o desenvolvimento socioeconômico sustentável da região, por meio do fomento à inovação tecnológica em bioprocessos, serviços ambientais, produtos florestais, produtos naturais da fauna e da flora, tecnologias sociais e logística.

As áreas ficam localizadas à margem da Rodovia Gastão Dal Farra, a 3 km da Rodovia João Hipólyto Martins [SP-209] – que liga a Rodovia Castelo Branco a Botucatu. Os locais estão estrategicamente posicionados nas proximidades da Faculdade de Tecnologia [Fatec], do aeroporto municipal, da Empresa Brasileira de Aeronáutica [Embraer], do Centro de Treinamento da Prefeitura e da Estância Demétria.

Dentro do plano, está prevista a implantação de um condomínio industrial para empresas de base tecnológica, além de auditório, praça de alimentação, laboratórios, estacionamentos, biblioteca, incubadora de empresa, e centros de ensino, pesquisa, e difusão de indústrias de base tecnológica.

ASSESSORIA DE IMPRENSA - Faculdade de Ciências Agronômicas da Unesp de Botucatu - FCAFundação de Estudos e Pesquisas Agrícolas e Florestais - FEPAF