junho 09, 2009

Vereadores pedem informações sobre possível uso irregular de veículo da Prefeitura

Na sessão da Câmara Municipal do último dia 8, foi aprovado um requerimento de autoria dos vereadores Lelo Pagani, Carlos Trigo e Prof. Gamito [PT], que solicita ao Poder Executivo, esclarecimentos relacionados às informações de suposta utilização irregular, para fins particulares, de veículo da frota oficial da Prefeitura Municipal, veiculadas no programa 'O Palanque', na Rádio Emissora de Botucatu [PRF-8].

Os vereadores explicam o pedido. “Informações veiculadas no programa “O Palanque”, da Rádio Emissora de Botucatu, por um cidadão de nome Pedro, dizem respeito a utilização de um caminhão da Prefeitura Municipal de Botucatu para retirada de resíduos de espuma e tecidos de uma fábrica localizada nas proximidades da empresa Induscar. A denúncia relata que tais resíduos seriam comercializados por particulares, para enriquecimento próprio, apontando em tese a utilização irregular de veículo da frota oficial para finalidade particular, em flagrante desobediência à legislação pátria. Bem, estamos solicitando informações a Prefeitura Municipal para averiguar a situação já que somos representantes do povo e uma de nossas funções também é fiscalizar as ações da Prefeitura Municipal”, informam Pagani, Trigo e Gamito.

O Poder Executivo tem o prazo de 15 dias para dar sua resposta à solicitação dos vereadores do PT.

Na manhã de hoje o prefeito João Cury, deverá dar a sua posição sobre o caso em entrevista via telefone à Rádio Emissora de Botucatu PRF-8

Pane deixa telefones mudos

Por Renato Fernandes

Problemas em parte da rede de sinalização da Telefônica causaram uma pane na manhã de ontem, deixando telefones mudos em São Paulo e cidades do interior. No twitter registros sobre a pane chegaram de tuiteiros de várias cidades da região, entre elas Bauru, Rio Claro, Santa Gertrudes e Corumbataí.

Os problemas relatados pelos usuários são que: as ligações não completam ou então o número chamado permanece ocupado.

A pane não atingiu os serviços de internet.

“Não quero mais trabalhar....! Onde já se viu um setor de call center sem telefone?!”, comenta a tuiteira @thataveneroso.
“TODOS os PABXs da prefeitura estão inoperantes... por isso que tá esse sossego... odeio atender telefone “, relata @netocury.

“Lutando contra o telefone - pane geral! Espero que não atrapalhe o retorno de entrevistas. Deadline chegando. Ansiedade”, reclama @rubensrinaldi.

Informações da Telefônica, o problema foi detectado por volta das 9 horas e menos de uma hora depois parte dos serviços já estavam restabelecidos.

Segundo a própria empresa alguns consumidores podem continuar a sentir os efeitos da pane, entretanto ela continua trabalhando para normalizá-la os serviços.

A causa do problema ainda não foi encontrada.
Em nota oficial a Telefonica informa que:

"A Telefônica informa que, por volta de 9h00 da manhã de hoje, detectou problemas em parte da sua rede de sinalização, necessária ao completamento de chamadas de voz - aí incluídas ligações locais, de longa distância nacional e internacional, serviços 0800 e para call centers e chamadas para redes de outros serviços, como, por exemplo, celulares.

A Telefônica informa que está trabalhando prioritariamente na recuperação desta rede e, às 9h55, já havia restabelecido uma parte importante dos serviços. Porém, alguns problemas podem estar ainda sendo sentidos pelos clientes.

Ainda não foram detectadas as causas que originaram estes problemas.

“A Telefônica lamenta os transtornos e manterá a população a par da situação assim que novas informações estiverem disponíveis.”

CDHU construirá 200 casas em Botucatu

O terreno já foi adquirido pela Prefeitura Municipal de Botucatu e a construção dos 200 imóveis deverão ocorrer em duas empreitadas de 100 casas, a primeira ainda esse ano e a próxima em 2010.

O anúncio dos imóveis aconteceu em reunião realizada na manhã de 8 de junho, em São Paulo, quando o secretário estadual de Habitação, Lair Kraehnbuhl, recebeu a vista do deputado Milton Flávio e do prefeito João Cury, ambos PSDB. Também participou da reunião o secretário de governo Caco Colenci.

As residências deverão ser construídas entre o conjunto Arnaldo Leota de Mello (Cohab II) e o Jardim Peabiru.

FCA reativa Comissão de Atividades Culturais

A expectativa dos integrantes é que, a partir de agosto, aconteçam duas ou três atividades artísticas e culturais mensais no Lageado.

No dia 05 de junho, aconteceu a primeira reunião da nova Comissão de Atividades Culturais da Faculdade de Ciências Agronômicas em 2009.

O professor José Matheus Yalenti Perosa, vice-diretor da FCA, fez uma avaliação positiva do início dos trabalhos da Comissão. “Quando reunimos pessoas interessadas e temos vontade política para realizar coisas, as boas idéias surgem”.

A expectativa do professor Perosa é que, a partir de agosto, aconteçam duas ou três atividades artísticas e culturais mensais no Lageado.

Para tanto, os participantes da reunião vão elaborar propostas de atividades que possam ser desenvolvidas até o final do ano. “A partir das propostas vamos decidir o que iremos executar. Existem idéias muito simples e interessantes e existem outras mais complexas, para as quais que nós teremos que buscar parcerias”.

Além dos representantes da unidade, a reunião teve a participação do vice-diretor da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, professor José Paes de Almeida Nogueira Pinto, e do docente aposentado do Instituto de Biociências e ex- secretário de Cultura de Botucatu, Wilson Nakamoto.

A próxima reunião da Comissão de Atividades Culturais da FCA acontece no dia 19 de junho.

Vereadores pedem isenções na cobrança de taxa do Ecad

Os vereadores Prof. Nenê (PSB), Abelardo (PV), Fontão (PSDB) e Curumim (PSDB) apresentaram um requerimento na Sessão da Câmara Municipal de Botucatu, na sessão de segunda-feira (8) solicitando a o responsável pelo ECAD - Escritório Central de Arrecadação e Distribuição - Botucatu, Dr. Renato Caldas a isenção de cobrança de direitos autorais nas execuções de músicas em eventos públicos e festas comemorativas sem fins lucrativos.

Os vereadores reforçam seu pedido tendo em vista que o próprio Superior Tribunal de Justiça (STJ) já se mostrou favorável pela não cobrança dos direitos em situações desta natureza ocorridas em outras localidades.

“Direito Autoral é um conjunto de prerrogativas conferidas por lei à pessoa física ou jurídica criadora da obra intelectual, para que ela possa gozar dos benefícios morais e intelectuais resultantes da exploração de suas criações. Em razão da promulgação da Lei de Direitos Autorais, através da Lei Federal nº 5.988, de 14 de dezembro de 1973, surgiu o ECAD passando a centralizar toda a arrecadação e distribuição dos direitos autorais de execução pública musical. Bem, segundo informações veiculadas na imprensa local pelo responsável do ECAD de Botucatu, tal Escritório pode cobrar direitos autorais da execuções públicas musicais realizadas em festas comemorativas sem fins lucrativos, ficando o entendimento de que se incluem neste caso, portanto, a cobrança dos direitos autorais das citadas execuções musicais em, por exemplo, festas juninas sem fins lucrativos realizadas no âmbito municipal e em outras de natureza análoga. Ora, no que se refere a este polêmico assunto, há precedentes do próprio Superior Tribunal de Justiça, pela não cobrança de direitos autorais em festas comemorativas sem fins lucrativos. Acreditamos que a ação de cobrança será prejudicial a realização de nossas festas tradicionais, por isso, estamos solicitando que o ECAD não realize essa ação”, informam os parlamentares.

No requerimento, os vereadores ainda citam artigos da Constituição Federal onde no artigo 215 do Título VIII, Capítulo III, Seção II, preconiza que “o Estado garantirá a todos o pleno exercício dos direitos culturais e acesso às fontes da cultura nacional, e apoiará e incentivará a valorização e a difusão das manifestações culturais onde o Estado protegerá as manifestações das culturas populares, indígenas e afrobrasileiras, e das de outros grupos participantes do processo civilizatório nacional”.

O Angolano do Farol a alegria da panfletagem em Botucatu

Vídeo do canal http://www.youtube.com/rafaelsomera


Por Renato Fernandes

Cássio Aparecido, 44 anos, é uma figura popular em Botucatu, onde é conhecido como o Angolano do Farol, nome que ele mesmo adotou. Pai de quatro filhos e morador do distrito de Rubião Júnior, em um barraco embaixo de uma árvore. Moradia essa emprestada.

Em sua atividade profissional, distribuição de panfletos, ele se destaca pela animação e simpatia e energia irradiante, cumprimenta todos que passa por ele.

Apesar das dificuldades, o Angolano mantém a alma caridosa e no período de Natal se veste de Papai Noel e parte em busca doações para distribuir em regiões carentes da cidade.

Para exercer sua profissão, o Angolano cumpre uma dura rotina diária, percorrer os oitos quilômetros entre Botucatu e Rubião, um trajeto de muitas subidas, guiando uma bicicleta com um caixote adaptado, o peso chega próximo aos 100 quilos. Na estrada são comuns as quedas.

Em um desses tombos angolano recebeu o auxílio do empresário Rafael Somera, que impressionado com a simpatia do personagem decidiu documentar parte dessa rotina em um vídeo documentário, divulgado em seu canal do youtube (http://www.youtube.com/user/rafaelsomera).

“Já havia visto ele algumas vezes pela rua entregando panfleto. Um dia o encontrei no chão com a bicicleta e fui ajudar a levantar, acabei caindo também de tão pesada que estava a bicicleta. Ele me ajudou, e começamos a conversar. Mesmo naquela situação ele continuava sorrindo e dando bom dia para todo mundo. Quis saber mais e criar uma forma de ajudar”, disse.
Após editar o documentário Somera escreveu uma carta para o Programa Caldeirão do Huck, indicando o Angolano ao programa Lata Velha.

A sugestão é que seja preparada uma bicicleta especial e adequada às necessidades do popular entregador de panfletos:

Sugestão de bicicleta apresentada ao programa

Uma bicicleta que tivesse recipiente para que ele carregasse o material impresso sem molhar e com segurança.
Uma bicicleta que não caísse, quatro rodas ou coisa assim, talvez com motor para que ele pudesse continuar trabalhando mesmo com a chegada da idade ao carregar 90 quilos de material.
Uma bicicleta adaptada com som para que ele pudesse fazer propaganda de áudio também.
Uma bicicleta com cartaz ao lado, tipo outdoor para ser mais um fundo de investimento para ele.
Se possível um pequeno terreno para que ele não precisar viajar e ter onde guardar sua bicicleta nova!