maio 29, 2009

Botucatu: agressora de idosa pode ter problemas mentais

Vídeo exclusivo, fornecido pela empresa de segurança, sobre o caso de agressão a idosa, em Botucatu

Por Renato Fernandes

Em entrevista à TV Tem, no dia 29 de maio, Sandra Regina Barbosa, irmã da empregada flagrada por um sistema de segurança, agredindo uma idosa de 70 anos, cega, muda e com dificuldades de locomoção, disse que a agressora sofre com problemas mentais.

Na reportagem ela apresenta laudos, remédios e receitas de medicamentos psiquiátricos e afirmou que a família da idosa tinha consciência dos problemas de sua irmã quando a contratou. “Ela é agressiva e irritada”, disse ao repórter da emissora .

Em seu depoimento, a empregada disse não se lembrar das agressões, mas informou que brigava com a idosa por causa de uma boneca.

Na tarde de ontem, os advogados responsáveis pela defesa da empregada abandonaram a cliente.

A suspeita de que a idosa vinha sendo constantemente agredida passou a fazer parte do cotidiano da família há cerca de dois meses, quando perceberam que a mesma vinha apresentando hematomas pelo corpo.

Entrevistado pela reportagem do blog O Grito Notícias, o proprietário da empresa Eletro Peres, Rogério Peres, responsável pelas filmagens explica que a instalação de sistemas semelhantes deve acontecer sempre que existam suspeitas. “Esse não é o primeiro caso que minha empresa registra, existem outras situações em que trabalhamos, mas geralmente não temos autorização da família para a divulgação. Nesse caso é diferente, as agressões são mais violentas e a família nos autorizou”, disse o empresário.

Apesar na experiência no ramo, Peres destaca que ficou impressionado. “ em outras situações vemos agressões contra pessoas que tem condições para se defender, nessa situação não, a idosa é completamente indefesa, as cenas que foram filmadas são realmente chocantes”.

O caso ganhou proporção nacional, com a divulgação de imagens e vídeos em quase todos os canais abertos da televisão brasileira e também na internet. Na tarde de ontem a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, pediu informações sobre o assunto que em Botucatu vem sendo acompanhado pela Delegacia de Defesa da Mulher.

Saiba mais clicando aqui

Exposição “Provocando Olhares” termina domingo

Chega aos últimos dias o período de visitação para a “Exposição MAC 25 anos”, organizada pela Secretaria de Cultura. A mostra começou em abril e exibe as melhores obras do Museu nestas mais de duas décadas.

Em 25 anos de atividades, o Museu de Arte Contemporânea Itajahy Martins de Botucatu orgulha-se em ter desempenhado papel importante na formação da leitura visual do público da Cidade, levando aos seus sentidos as mais diferentes linguagens artísticas.

Fundado em 1984, o Museu apresenta exposições de artistas conceituados no Brasil e no exterior, mas também sempre valoriza a produção local com exposições coletivas e individuais de artistas botucatuenses.

Além da exposição, a Secretaria de Cultura ainda lançou o novo Catálogo do Museu, que reúne todos os nomes dos artistas com obras no acervo e seleção de imagens que dão a idéia da importância e da composição deste acervo.

Exposição 25 anos do MAC
Secretaria de Cultura de Botucatu - Avenida Dom Lúcio, nº 755;
Terça às sextas-feiras, das 9 às 18 horas e aos sábados , das 9 às 13 horas.

Vereadores pedirão informações sobre o Cine Nelli

Por Renato Fernandes

O vereador Lelo Pagani (PT) se reuniu na tarde de ontem com o vereador Benedito José Gamito (PT), para analisar a legislação referente à doação do terreno onde, hoje, se encontra instalado do Cine Teatro Nelli.

O parlamentar lembra que, em dezembro de 1953, a Lei de nº 374 autorizou a doação da Praça XV de Novembro, ao Centro Cultural de Botucatu, Teatro Amador da Escola Normal “Dr. Cardoso de Almeida” (Taenca) e Liga Estudantina Botucatuense para a construção de suas respectivas sedes.

A área passada ao Taenca se transformou no Teatro Nelli, que posteriormente recebeu uma sala de Cinema.

A lei apresenta seis condições para a doação da área. Duas destas chamaram a atenção dos parlamentares: “As donatárias não poderão ceder o imóvel, em caráter permanente, a quaisquer pessoa física ou jurídica, bem como não poderão, em caráter eventual, cede-lo para apresetnações profissionais, reuniões ou conferências raciais, políticas e religiosas”. A mesma lei prevê que a entidade que infrigir alguma das condições seria obrigada a a devolver o imóvel ao município. A devolução também deve acontecer em caso de dissolução da entidade.
“Queremos esclarecimentos. Precisamos saber as condições do contrato entre o cinema Nelli e o Taenca, e saber se não conflitam com a legislação”, diz.

O vereador justifica a preocupação ressaltando que nos últimos dias a quantidade de reclamações envolvendo os estudantes e a direção do cinema aumentaram vertiginosamente e resslata que já esteve no Procon para se informar sobre o assunto. “A ironia é que, segundo a lei, o prédio pertence a um grupo de teatro estudantil, e o cinema só esta lá porque esse grupo de estudantes se mobilizou para construir o prédio e hoje eles (os estudantes) não conseguem assisitir aos filmes, se valendo dos direitos que a carteira estudantil lhes dão”, coloca Pagani.

O parlamentar acrescenta que é necessário saber as formas como foi celebrado esse contrato de locação entre o Taenca e o cinema, buscando ainda, informações sobre o Taenca, na atualidade. “É preciso analisar o conjunto de leis que tratam desse assunto. Na segunda-feira (1º de junho) apresentarei um requerimento pedindo explicações aos envolvidos”, ressalta.

A doação deste terreno público às entidades é assunto de vários projetos de leis, entre os anos de 1953 e 1962. Em sua maioria as legislações tratam das dimensões da área, financiamento para as obras e repasses de verba. Em 30 de novembro de 1962, uma lei assinada pelo Prefeito Municipal Emílio Peduti deu autonomia à direção do Taenca a alugar o prédio, desde que o contrato estipule a reserva, pela locatária, de dias determinados, em cada mês, para as representações ou festas promovidas pela locadora.

O último espetáculo teatral do Taenca, de que se tem notícia, é a peça “O Santo Inquérito”, que foi encenado em 1997, no Cine Teatro Nelli.

Fadel deixará a Diretoria Regional de Ensino de Botucatu

Renato Fernandes

O dirigente Regional de Ensino de Botucatu, Bahige Fadel, deixará o cargo ainda esse ano. O professor pediu a cessação no dia 8 de maio, exatamente dois anos após ter assumido a função. Na ocasião ele aproveitou para entrar em férias.

A pedido da Secretaria de Estado da Educação Fadel indicou, cinco profissionais que ele considera aptos a assumirem suas funções, são eles: Magali Chaguri, Regina Bergamasco, Ana Paula Speranza, Silvia Giraldela e Luiz Carneiro.

Também é possível que a sucessão ocorra com nomes que não constem nessa lista. “Aguardo apenas a confirmação de um substituto para aposentar”, diz Fadel.

Câmeras de segurança flagram empregada espancando idosa em Botucatu

Imagens mostram momentos de agressões e sofrimento

Um sistema de monitoramento instalado por uma empresa de segurança de Botucatu no quarto da idosa Maria Helena Lopes, 70 anos, flagraram a empregada de iniciais P.A.G, 33 anos, cometendo atos de violência contra a mulher.

Nas imagens, a empregada dorme ao lado da senhora e no meio da noite levanta para cometer as agressões. Durante São tapas, golpes no rosto, puxões de cabelo e arremesso de objetos.

A família registrou o boletim de ocorrência denunciando as agressões em abril, ao perceber que a vítima, que também é cega, muda e tem dificuldade de locomoção, passou a apresentar hematomas e sinais de agressão pelo corpo.

O Caso está sendo acompanhado pela Delegacia de Defesa da Mulher de Botucatu.

Curta "Era Uma Vez na Biblioteca" tem trailer divulgado no youtube

A Bolando Filmes e amigos disponibilizaram dois trailer do curta metragem "Era Uma Vez na Biblioteca".

O primeiro link (www.youtube.com/watch?v=hSnLHPxnMX0) com 87 MB e o segundo (www.youtube.com/watch?v=l5QIAVPwTx4) com 27 MB.

O lançamento em Boucatu será em julho deste ano.Outro lançamento acontecerá em agosto, na cidade de Curitiba.