maio 14, 2009

Itatinguense com sintomas da Gripe Suína (H1N1) continua internado em Botucatu

O paciente com sintomas da Gripe A (H1N1), popularmente conhecida como Gripe Suína, que está em monitoramento no HC da Unesp de Botucatu continua internado em isolamento, apresentando-se em bom estado geral, mantendo tosse e diminuição do apetite ele também continua afebril. “Portanto, continua classificado como paciente em monitoramento para Influenza H1N1. Os exames confirmatórios já foram enviados ao Instituto Adolpho Lutz, em São Paulo, e aguardamos seu resultado", explica a nota emitida pela Assessoria de Comunicação e Imprensa da Faculdade de Medicina de Botucatu.

O paciente tem 24 anos, e reside em Itatinga. Como já informou a Assessoria de Comunicação da faculdade, o paciente poderia ter ficado em monitoramento domiciliar, mas, por precaução, foi internado na Enfermaria de Moléstias Infecciosas do HC, em isolamento respiratório e de contato, instalado em um quarto com pressão negativa e todas as demais condições necessárias. Ele foi encaminhado pela rede de saúde de Itatinga, através da Central de Vagas.

Histórico
O rapaz, que permaneceu no Japão durante um ano e meio – onde há quatro casos da doença confirmados – voltou para o Brasil dia 7 de maio. No entanto, durante o percurso de retorno, foi de Tóquio até Los Angeles, Estados Unidos – local onde também há diversos casos confirmados de “gripe suína”. O paciente permaneceu no aeroporto por três horas. No trajeto citado não teria utilizado a máscara protetora.

Ao chegar ao Brasil, viajou para Itanhaém, quando começou a sentir dores de cabeça, muscular, no peito, tosse e diarreia. O paciente disse aos médicos que teve febre, mas não chegou a medir a temperatura, por isso ainda não é possível afirmar que trata-se de um caso suspeito. Segundo os médicos do HC, não há motivo para que os moradores de Itatinga se preocupem.

Dia 9 de maio ele chegou à Itatinga, onde permaneceu até esta quarta-feira, 13 de maio e foi posteriormente encaminhado para o HC. O jovem é classificado como “Caso de Monitoramento”.