dezembro 10, 2008

Pena Branca faz show de lançamento do Centro de Cultura de Pardinho

Por Renato Fernandes

O cantor Pena Branca fará o show de inauguração do Centro de Cultura Max Feffer, na Praça Ademir Rocha da Silva, em Pardinho, a partir das 18h30. O evento está sendo anunciado como uma festa para toda a família.

O Centro de Cultura foi construido em uma praça da cidade e possui aproximadamente 6 mil m2, área reservada para a disseminação, incentivo e o desenvolvimento da comunidade de Pardinho e municípios vizinhos. O local receberá atividades de lazer, diversão, descoberta, inovação e bem-estar geradas pelo Instituto Jatobás e população local.

A construção respeita normas ambientais, apresentando propostas que respeitam os recursos naturais. A permeabilidade do terreno, reaproveita água da chuva, tem sistema próprio e natural de tratamento de esgoto com raízes de plantas, reutiliza uma série de materiais como madeiras, tubos de ônibus, latinhas de bebidas, portas e paredes de demolição, além disso a cobertura do centro é toda em bambu.

O Centro de Cultura Max Fefferterá biblioteca, centro de inclusão digital com cursos e acesso a internet para a população e palco com auditório aberto com capacidade para 500 pessoas.

O Quebra Nozes estréia quinta-feira, dia 11

Ensaios gerais com todo o elenco do Quebra Nozes, com o
acompanhamento da Orquestra Sinfônica de Botucatu,
já estão ocorrendo no Teatro Municipal


Foto e texto - Renato Fernandes

A preparação para a estréia do espetáculo “O Quebra Nozes” segue em ritmo acelerado. Na noite de segunda-feira (8), teve início um novo processo nos ensaios, recebendo a presença da Corporação Musical Damião Pinheiro Machado, responsável pela parte musical da apresentação. A estréia acontecerá amanhã (11), no Teatro Municipal Camillo Fernandez Dinucci, às 20 horas. Também ocorrerão sessões nos dias 12 e 13, no mesmo horário.

A orquestra, regida pelo maestro Marcos Virmond, ocupará uma área entre o palco e a platéia. Para isso, a Secretaria Municipal de Cultura e a direção administrativa do Teatro Municipal retiraram duas fileiras de poltronas. Fato inédito na história do teatro.

Para Flávia Fázzio, responsável pela Oficina da Dança e uma das principais idealizadoras da montagem, explica que houve uma adaptação reduzindo o tempo do espetáculo em aproximadamente uma hora. A versão original dura em média duas horas e meia.

Participam da produção aproximadamente 200 pessoas, de diferentes entidades e projetos sociais, entre elas: Corpo de Baile da Oficina da Dança, Fundação Casa das Meninas, Piec, Projeto Crescer e participação especial de elementos da Cia. de Teatro Chafariz.

Para trabalhar com esse volume de pessoas, foram necessários ensaios fragmentando as cenas. “Este é o momento de reunir as cenas para se chegar ao resultado final”, explica Flávia Fázzio. “Desenvolvemos ensaios separados, mas com ganchos que formam uma estrutura prévia e uma dinâmica para a apresentação”, acrescenta o coreógrafo Flávio Soares Alves.

A apresentação é uma adaptação da tradicional peça natalina de balé, com música composta pelo russo Tchaikowsky, um dos maiores compositores clássicos do mundo.

Encenado em dois atos, o balé conta a fantasia de Clara, uma garota que na noite de Natal ganha muitos presentes, mas se encanta de uma maneira especial por um deles, um boneco quebra-nozes. Quando todos vão dormir, Clara vai à sala para brincar com seu novo presente adormece e entra no mundo da fantasia.

A entrada é franca. Os ingressos podem ser retirados na Secretaria de Cultura no horário das 8 às 11 horas e das 13 às 17 horas. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone: (14) 3882-0133.

Za Zen Zun no Municipal

Entre os dias 17 e 20 de dezembro, será apresentado no piso superior do Teatro Municipal Camillo Fernandez Dinucci, a apresentação do espetáculo de dança “Za Zen Zun”, em sessões às 20 horas.

“O espetáculo finaliza o projeto Za Zen Zun, iniciado em março deste ano, com o intuito de experimentar caminhos que levem os participantes ao estado de Presença dentro da pesquisa cênica. Neste período trabalhamos com várias linguagens relacionadas às artes do corpo por meio de workshops mensais e encontros semanais”, explica a idealizadora do projeto, Luciana Cah.

O projeto é realizado pela Dynamis- Pesquisa em Teatro e Dança, com o apoio da Secretaria da Cultura de Botucatu e tem como parceria o Instituto Arte e Saúde. O projeto foi selecionado pelo Pipa - Programa de Incentivo à Produção Artístico Cultural.
Ingressos custam R$ 5.