dezembro 05, 2008

Jardim de Infância

Clique na imagem para ampliar

Do site: www.noisnatira.com

Vídeo produção é tema de curso

Por Renato Fernandes

Entre os dias 08 e 19 de dezembro, das 19h30 as 22h30, o Centro Cultural de Botucatu (CCB), em parceria com a Secretaria Municipal de Turismo e Lazer, vai promover oficinas de produção audiovisual, ministradas pelo cineasta Renato Arena Scorsato. As aulas acontecerão na sede do CCB (Praça XV de Novembro, 30 - Centro).

Durante as oficinas serão abordadas as seguintes disciplinas: roteiro, linguagem cinematográfica, fotografia e produção. “No encerramento do curso serão entregues certificados de conclusão aos participantes”, explica o cineasta.

A secretária municipal de Turismo e Lazer, Lúcia Peduti, explica que a intenção é desenvolver a manifestação popular no que diz respeito à produção de vídeos caseiros, possibilitando o aprendizado técnico relativo à sétima arte. “O nosso foco é voltar o olhar dos participantes aos atrativos turísticos da cidade, apresentando técnicas que possam alavancar talentos."Muitas pessoas têm se dedicado à produção de vídeos e decidimos apresentar à esses interessados uma capacitação adequada”, disse.

Para João Carlos Figueiroa, presidente do CCB, essa é uma das formas de despertar uma das vocações latentes da cidade. “Botucatu é um importante pólo de distribuição cinematográfica, essa é um característica histórica. O que está faltando é nos destacarmos, também, como um centro de produção cinematográfica. Isso não é algo espontâneo, temos que dar o começo”, argumenta.

Os avanços tecnológicos vâm popularizando os vídeos amadores e aproximando os recursos técnicos da população em geral. “A possibilidade de postar os vídeos na internet e a facilidade que estão sendo apresentadas, com equipamentos cada vez mais compactos tem tornado, esse tipo trabalho bastante atraente. O que falta é o desenvolvimento do olhar artístico. O que queremos é que esse curso atenda qualquer pessoa com a meta única da capacitação”, defende Lúcia Peduti.

A aceitação da população já está se espelhando no número de inscrições. “Abrimos as matrículas na semana passada e já temos praticamente metade da turma fechada (16 pessoas). Esse é o primeiro passo para a cidade se tornar um núcleo de produção”, ressalta Figueiroa.

O cineasta - Em outubro deste ano, José Arena Scorsato venceu o Festival do Minuto do bimestre setembro/outubro, na categoria Melhor Minuto, que teve como Tema “Dinheiro”, com o vídeo “Mãonólogo”.

Esse foi o segundo Festival do Minuto que o cineasta venceu. No bimestre anterior, participando da produção do vídeo “Melodraminha” assinado por Marcelo Dorsa, ele também chegou em primeiro lugar.

Durante este ano, o cineasta também conquistou o segundo lugar no Festival de Cinema promovido pela Unespar (Universidade Estadual do Paraná), recebendo em junho o troféu Pinhão de Prata, pelo vídeo-documentário de 20 minutos, “Santuccilândia”.
Em abril, ele também exibiu o documentário “Estação Fantasma”, no Centro Cultural de Botucatu, documentário que mostra o abandono da estação da extinta Fepasa, sob a ótica do ferroviário aposentado José Góes.

Informações pelo telefone: (14) 3815 - 0989.

Botucatu recebe a exposição “Leonardo da Vinci – O Gênio do Futuro”

Exposição mostra inventos e maquetes em tamanho real

Foi aberta na manhã de quinta-feira, dia 27, no ginásio do Colégio La Salle, a exposição “Leonardo da Vinci – O Gênio do Futuro”. O evento contou com a presença do prefeito Antonio Mario Ielo, dos secretários Gilberto de Azevedo Borges [Educação], Marco Pinheiro [Cultura], e Sergio Parada [Comunicação], do diretor do La Salle, José Benildo Flach, e da organizadora da exposição, Vera Loeb.

Participaram também da abertura professores e alunos do Colégio La Salle.

O acervo acolhe 35 peças, em tamanho real, construídas a partir de desenhos de Leonardo da Vinci, bem como objetos inspirados na vida e obra do autor, cientista, arquiteto, engenheiro e inventor italiano, um dos maiores gênios da Humanidade.
O evento, segundo o diretor do Colégio La Salle, José Benildo Flach, ficará à disposição de toda rede de ensino da cidade. “O espaço ficará aberto de segunda a sábado para a visitação de outras escolas e do público em geral. Para nós é uma honra sediar um evento tão importante para a nossa cultura”, disse o diretor.

De acordo com Vera Loeb, a proposta da exposição é mostrar essa faceta menos conhecida do mestre. “A partir dos fragmentos de estudos e de anotações do artista foram produzidos objetos em laboratórios de design, na Itália, utilizando os materiais descritos pelo inventor, tais como corda, madeira e algodão”, explica a organizadora.

As peças são expostas ao lado de desenhos e de textos explicativos, de maneira que o público possa acompanhar como alguns princípios científicos por ele formulados tornaram-se realidade com o passar do tempo, originando, por exemplo, a bicicleta e o macaco hidráulico.

Para o assistente da direção, Marcos Corsato, essa é uma oportunidade para que a população conheça os principais eventos de Da Vinci. “É uma oportunidade única de conhecimento. A mostra está aberta para visitação pública”, disse.

A exposição, que já percorreu nove cidades brasileiras, é uma promoção da Casa Brasil [braço cultural do Grupo CBM – Companhia Brasileira de Multimídia, do qual faz parte o jornal Gazeta Mercantil, Jornal do Brasil e Editora Peixes], com apoio da Prefeitura de Botucatu, através da Secretaria Municipal de Educação, e Empresa Vale do Sol.

CineclubeYbitu Katu traz o Cinema Japonês como tema das projeções de dezembro

O cineclube Ybitu-Katu, divulgou em seu blog (www.cineclubeybitukatu.blogspot.com) a programação que será desenvolvida neste trimestre. Em dezembro o tema das exibições será: “Cinema Japonês - Décadas de 90 / 00”, em janeiro e fevereiro o tema muda para “Animações de Todo o Mundo”.

Em 1897, platéias do Japão tomaram conhecimento de uma nova forma de entretenimento, através da demonstração do sistema de projeção de filmes da Vitascope, empresa americana formada por Thomas Armat e pelo inventor Thomas Alva Edison. Poucos anos depois, o Japão já estava formando sua própria indústria cinematográfica, produzindo seus próprios filmes mudos, geralmente retratando aventuras de época e história de samurais injustiçados. Enquanto no mundo inteiro o cinema era mudo, no Japão os filmes eram parcialmente sonorizados com a presença do benshi, uma pessoa que reproduzia os diálogos do filme, interpretando as vozes dos vários personagens durante a projeção – uma espécie de dublador ao vivo.

A primeira grande produção do cinema japonês ocorreu em 1913, quando o diretor/produtor Shozo Makino uniu-se ao ator Matsunoke Onobe para realizarem a primeira de várias versões de Chushingura (Os 47 Ronins). Em 1923, o grande terremoto de Tokyo devastou os estúdios que havia na cidade, o que obrigou o Japão a reconstruir sua nascente indústria cinematográfica.
Um dos divisores de água dos filmes japoneses foi o diretor Akira Kurosawa, que mostra ao mundo histórias que se afastam um pouco dos temas clássicos "samurais" e "Japão feudal", e se aproximam de problemas existenciais, resultando em filmes de belíssima estética e com diversas premiações em festivais internacionais.

O Cine Clube Ybitu Katu exibe no dia 6 de dezembro o filme “Sonhos”, de Akira Kurosawa (1990); no dia 13 o filme será “Dolls”, de Takeshi Kitano (2002) e fechando o mês o cineclube exibe “Depois da Vida” , de Hirozaku Kore-eda (1998).
As sessões ocorrem no Centro Cultural de Botucatu (CCB), às 19h30, na Praça XV de novembro, nº 30. Os ingressos podem ser trocados por um quilo de alimento não perecível, momentos antes das exibições.

Livro ensina a história de Botucatu

Por Renato Fernandes
A Secretaria Municipal de Educação pretende lançar no dia 12 de dezembro, na Secretaria Municipal de Educação o livro Didático “Conto, Canto e Me Encanto com a História de Minha Cidade - Botucatu”, pela editora Novha América. O trabalho foi coordenado pelo historiador João Carlos Figueiroa, e uma equipe técnica multidisciplinar.

“Foram três anos de trabalho, que resultaram em 4 modelos que passaram por três avaliações e revisões de conteúdo. Os alunos receberão um livro atual, amplo e que cobre importantes aspectos da cidade”, explica Figueiroa.
A publicação deverá ser usada durante anos pelas redes pública e particular de educação. “A obra já está de acordo com a nova ortografia”, explica Figueiroa.

O secretário Municipal de Educação, Gilberto Borges, revela que junto com a publicação também deverá ser apresentada uma proposta para um projeto pedagógico que acrescentará o ensino da história local à grade curricular dos alunos. “Inicialmente entregaremos kits com seis livros para cada escola com biblioteca, e aquelas que já estiverem prontas para desenvolver a disciplina receberão em torno de 40 exemplares, para que possa atender uma turma toda, por aula”, disse Borges.

A Secretaria de Educação ainda trabalha nos detalhes do lançamento

Microcosmo na Nobel

O fotógrafo Luiz Felizardo, promove a exposição fotografica “Microcosmos”, na livraria Nobel, até o dia 22 de dezembro.

A exposição apresenta uma visão detalhada do mundo. “O macro de espécies que nem sempre temos tempo de observar, com suas texturas, cores, belezas e funçoes que nos foge do conhecimento simples, mostrando que de fato pertencemos a um universo onde tambem somos microcosmos sujeitos as mesmas observações e indagações”, disse.

A livraria fica na Avenida Dom Lúcio, n° 647 - Centro

Bazar Natalino da Aitiara acontece no domigo

Por Renato Fernandes

Uma boa opção para quem quer encontrar presentes e artigos de decoração criativos para o Natal, é o tradicional Bazar Natalino da escola Aitiara, que acontecerá, no domingo, dia 07 de dezembro, na Escola Aitiara, no Bairro Demétria.

As atividades começam pela manhã com mercado de pulgas, praça de alimentação e a venda de consignados e trabalhos confeccionados pelos pais dos alunos.

O evento contará ainda com Café Concerto, evento que concilia a boa música com pratos doces e salgados. Entre as atividades, constam apresentações de teatro, circo e exposição pedagógica, onde serão mostrados os trabalhos que os alunos desenvolveram em classe durante o ano todo.

A comissão organizadora do evento convida a população botucatuense para participar e anuncia que o leque de produtos oferecidos é amplo. Na maioria das vezes, são peças artesanais desenvolvidas pelos próprios pais.

A Escola Aitiara - "ninho de luz" em tupi-guarani - é uma escola que oferece uma educação com arte, alegria e beleza.

Fundamentada nos princípios da pedagogia Waldorf, a Aitiara possui turmas de Maternal, Educação Infantil, Ensino Fundamental e Ensino Médio. Sua prática pedagógica se caracteriza pela habilidade com que lida com as artes e com a natureza. A construção do trabalho pedagógico pode ser avaliada no resultado do ENEM. A Escola Aitiara foi contemplada com o 2º lugar em 2006, e o 3º lugar em 2007 na classificação do ENEM, em Botucatu.

A Aitiara é membro da Federação das Escolas Waldorf no Brasil e está entre as Escolas Associadas da UNESCO.

Informações pelos telefones: [14] 3814-5253 ou 3813-6441.

Gráfica finaliza o livro Achegas Para a História de botucatu

Capa do livro de Hernani Donato, organizado por João Figueiroa

Por Renato Fernandes

A Gráfica e Editora do Lar Anália Franco, de São Manuel, já finalizou a impressão da 4ª edição do livro “Achegas Para a História de Botucatu”, e o processo de edição agora se encontra na finalização, em São Paulo, onde os cadernos estão sendo costurados, colados e posteriormente receberão a capa. Até o final de semana, o livro deverá estar pronto para o lançamento.

O secretário municipal de Comunicação, Sérgio Parada, explica que a intenção é fazer o lançamento ainda este mês em data que deverá ser marcada de acordo com a agenda do autor, o historiador Hernani Donato. “A idéia é aproveitar a semana que antecede o Natal. Mas, ainda não temos nada fechado”, disse.

Essa edição do livro é dividida em dois volumes, o primeiro terá o custo de R$ 16,10 e o segundo R$ 15,95. Os trabalhos pela publicação da obra começaram em 2005, ocasião em que foi comemorado o sesquicentenário da cidade de Botucatu.

Somando os dois volumes, o “Achegas Para a História de Botucatu” terá um total aproximado de 900 páginas. A obra foi concluída no final do ano passado, desde então várias datas foram apontadas como prováveis ao lançamento. A primeira foi sugerida foi o dia 20 de dezembro de 2007, em seguida a solenidade de lançamento foi transferida para o o dia 19 de fevereiro de 2008.

A obra é luxuosa, capa dura e miolo em papel couchê. A idéia toma como referência de qualidade o livro “100 anos da Paróquia de São João Batista”, da cidade de Laranjal Paulista.

A publicação é organizada pelo historiador João Carlos Figueiroa.