outubro 07, 2008

Botucatu receberá o Circuito Sesc de Artes

Motta e Fátima preparam a realização do evento na cidade

Por Renato Fernandes

A unidade do Sesc (Serviço Social do Comércio) de Piracicaba, com o apoio do Sincovab - Sindicato do Comércio Varejista de Botucatu, jornal Diário da Serra, Prefeitura Municipal de Botucatu e BTC - Botucatu Tênis Clube, promoverá em Botucatu o Circuito Sesc de Artes 2008.

O evento será realizado no dia 25 de outubro, na Praça Martinho Nogueira, em frente à Escola Cardoso de Almeida (Cardosinho). A proposta é desenvolver atividades artísticas como: teatro infantil, literatura, artes visuais, dança, cinema e música, entre as 16 e 22 horas.

Segundo o técnico da unidade do Sesc, José Roberto Motta, para receber o evento será armado um palco com 80 m2 por 4 metros de altura. “Ficaremos dois dias na cidade para que a equipe prepare todo o equipamento, que conta com iluminação, sonoplastia e palco. Temos boas expectativas de público”, disse.


Empregos Manager Online


A presidente do Sincovab lembra que a parceria entre as entidades existe há vários anos e ressalta que a última passagem do Circuito de Artes na cidade ocorreu em 2006. “A expectativa e que se repita o mesmo sucesso que conseguimos naquela data”, coloca Fátima.

Confira a programação do evento na cidade:
• 16 horas - Teatro infantil - Grupo: Histórias da Caixola;
• 17 horas - Literatura e artes visuais - Grupos: Na Tábua, Redemoinho e Risco;
• 19h30 - Dança - Grupo: Quasar Versus;
• 20 horas - Cinema - Grupo: Curtas na Praça;
• 20h30 - Música - Grupo: Nó em Pingo D´Água e Época de Ouro.

FCA realizará dia de campo de cereais de inverno

A Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA) da Unesp, campus de Botucatu, e o Cenagri Jr. Consultoria Agrícola realizam, no dia 11 de outubro, a terceira edição do Dia de Campo de Cereais de Inverno.

O evento ocorrerá no terreiro de café da Fazenda Experimental Lageado, em Botucatu, a partir das 8h e é destinado a demonstrar a importância dos cereais de inverno, suas utilizações e principais práticas de manejo.

AondeNamoro.com! Totalmente Gratuito!


Serão exibidas as culturas de trigo, triticale, aveia, aveia preta, cevada e azevém, além de demonstrações práticas de fenação e um ensaio comparativo de adequação de cultivares de trigo para a região de Botucatu, com palestras de profissionais da área.

O evento, coordenado pelo vice-diretor da FCA e professor do Departamento de Produção Vegetal, área de Agricultura e Melhoramento Vegetal, Sílvio José Bicudo, é gratuito e aberto a alunos, produtores rurais, profissionais e demais interessados no tema.

Cresce número de prefeitas, mas mulheres ainda são minoria

As mulheres continuam minoria na política, mas o Brasil terá no próximo ano mais prefeitas do que atualmente. De acordo com dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 498 mulheres foram eleitas prefeitas de seus municípios já no primeiro turno das eleições deste ano. Esse número representa 9,16% do total de candidatos eleitos para as prefeituras. Em 2004, esse índice foi de 7,32% e, em 2000, de 5,72%. No total, 12.944 homens e 1.620 mulheres concorreram à eleição para prefeito em todos os municípios brasileiros neste ano. Entre os homens, 4.986 venceram no primeiro turno.

Apesar do aumento de quase dois pontos percentuais nos dados relativos às mulheres na comparação com 2004, a deputada Luiza Erundina (PSB-SP), integrante da bancada feminina da Câmara, considera que é preciso aumentar mais a participação da mulher na política brasileira. "O ritmo é muito pequeno. Para melhorar, os partidos políticos devem contribuir para a capacitação política das mulheres, para que elas tenham melhores condições de disputar eleições", afirma.

Erundina defende a aprovação de projetos com essa finalidade, como o PL 6216/02, de sua autoria, que reserva 30% dos recursos do fundo partidário para a formação política feminina. A proposta também reserva 30% do horário político gratuito para as mulheres.



A parlamentar lamenta o fato de que justamente os partidos não contribuem para mudar a situação. Ela lembra que as siglas não respeitam, por exemplo, a cota de 30% estabelecida para as mulheres nas candidaturas a cargos proporcionais. "O mais grave é que os partidos não são punidos por isso", lamenta. "Nossa educação não é para que a mulher se coloque nos espaços públicos, nos espaços de poder. O grande problema da mulher na sociedade machista é sua invisibilidade."

A cientista política e consultora do Centro de Estudos e Assessoria Feminina (Cfemea) Patricia Rangel faz a mesma ressalva. Ela comemora os avanços da mulher no mercado de trabalho, nas artes e em outras áreas, mas observa que política ainda é território masculino no Brasil. "A política é tradicionalmente uma esfera de atuação masculina, o que não tem fundamento, porque não há diferença essencial entre homens e mulheres", afirma.

Segundo Rangel, é importante que a mulher ocupe cargos majoritários, como o de prefeito, porque dará atenção a políticas voltadas para as mulheres, mais do que prefeitos do sexo masculino. Essas políticas incluem, entre outras, o combate à violência doméstica e a licença maternidade. "Em geral, os homens legisladores não tem a preocupação de beneficiar as cidadãs."

Eleitas
Entre as prefeitas que assumirão em 2009, há duas deputadas federais: Maria do Carmo Lara (PT), em Betim (MG); e Jusmari Oliveira (PR), em Barreiras (BA). Duas capitais do Nordeste também serão comandadas por mulheres. Luizianne Lins (PT) foi reconduzida à prefeitura de Fortaleza. Já Natal terá como prefeita Micarla de Sousa (PV), que derrotou nas urnas a candidata do PT, a deputada federal Fátima Bezerra. "São mulheres [as eleitas] de muito valor, com liderança política, em plena condição de exercer mandatos executivos e que farão a diferença", declara a deputada Luiza Erundina.

Falta definir, em segundo turno, as prefeituras de 79 municípios, e há mulheres concorrendo ao cargo em duas capitais. Em São Paulo, Marta Suplicy (PT) concorre com o atual prefeito, Gilberto Kassab (DEM). Porto Alegre tem na disputa a deputada federal Maria do Rosário (PT) e José Fogaça (PMDB), que concorre à reeleição.

Nestas eleições, apenas mulheres concorreram à prefeitura em muitas cidades do Nordeste, uma região que tem fama de ser machista. Segundo Patricia Rangel, o fato pode resultar, entre outros motivos, de uma competição menos acirrada em municípios de baixa magnitude, ou seja, com menos eleitores. Ela explica que em estados pequenos, como muitos do Nordeste, as chances para as mulheres acabam sendo maiores e elas precisam de menos recursos financeiros para se eleger.

Da Agência Câmara

Hoje é o último dia para inscrever no vestibular da Unicamp

Termina nesta terça-feira, 7, o prazo de inscrição para o vestibular 2009 da Unicamp. O formulário está disponível no site do Comissão Permanente para os Vestibulares. A taxa de inscrição custa R$ 105. Quem recebeu isenção total ou foi beneficiado com desconto de 50% na taxa devem preencher um formulário específico, também disponível no mesmo site, utilizando o código enviado pela Comissão.

Quem pagou a inscrição deve consultar a matrícula 72 horas após pagamento da taxa. O Vestibular Unicamp 2009 oferece 3.434 vagas em 66 cursos da Unicamp e dois cursos da Famerp (Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto). No ano passado, a Comvest registrou 49.477 inscritos.

Uma das principais novidades são os oito novos cursos do recém-inaugurado campus de Limeira, onde foi instalada a Faculdade de Ciências Aplicadas. São eles: Gestão de Políticas Públicas, Gestão de Agronegócio, Gestão de Comércio Internacional, Gestão de Empresas, Ciências do Esporte, Nutrição, Engenharia de Produção e Engenharia de Manufatura, sendo os quatro últimos em período integral e os quatro primeiros, noturnos. Com isso, o número de vagas oferecidas terá um acréscimo de 17%, o maior já realizado de uma só vez na história da universidade.

Assessoria Jurídica


A Faculdade de Ciências Aplicadas compreende três áreas: Engenharias, Gestão e Saúde. Segundo o pró-reitor de Graduação, Edgar Salvadori de Decca, a intercessão entre os cursos é uma das principais características da nova unidade. Os cursos de Engenharia de Produção e Engenharia de Manufatura, por exemplo, compartilham aproximadamente 40% das disciplinas em seu núcleo comum. Nos cursos de Gestão de Agronegócios, Gestão de Comércio Internacional, Gestão de Empresas e Gestão de Políticas Públicas, esse compartilhamento chega a 75%. “Escolher cursos correlatos como primeira e segunda opção certamente amplia as chances de o candidato ter suas expectativas satisfeitas”, observa o pró-reitor. Conheça o perfil dos novos cursos.

Do ponto de vista das instalações físicas, os alunos que chegarem ao campus de Limeira, em 2009, terão à disposição mais de duas dezenas de salas de aulas, 3 anfiteatros, biblioteca e laboratórios. Ao todo, já foram realizados 10 mil metros quadrados de obras físicas. Entre elas está um bloco de ensino, composto de três prédios de três andares, e um bloco de anfiteatros, todos climatizados. Em dois dos prédios, há quatro salas de aulas por andar, com capacidade para 60 alunos cada uma. No terceiro prédio, funcionarão a biblioteca e salas de informática. Seguem em andamento as providências para a construção dos prédios que abrigarão os laboratórios e o restaurante universitário.

O Kit do Vestibulando está disponível no site do Comvest e é gratuito. O material é formado pelo Manual do Candidato e pela Revista do Vestibulando. Além de orientar o candidato sobre as provas do Vestibular Unicamp 2009 e todo o processo de inscrição e convocação, o kit traz informações sobre todos os cursos, inclusive as novas opções oferecidas pela Faculdade de Ciências Aplicadas (novo campus de Limeira).

Além da criação de oito novos cursos que serão ministrados no novo campus de Limeira, as principais mudanças para este ano são: ao invés de três os candidatos podem fazer até duas opções de cursos; Odontologia não exigirá mais a prova de aptidão; o tempo mínimo de permanência nas salas nos dias de provas passa de duas horas para duas horas e meia; haverá apenas uma nota de corte (NMO) para as provas prioritárias de cada curso e os critérios para convocação e classificação dos candidatos estão mais simples; a prova terá uma mudança gráfica: deixa de ter um caderno separado para as respostas, que passarão a ser feitas no próprio Caderno de Questões. Porto Alegre não abrigará mais as provas do Vestibular Unicamp.

Datas

A primeira fase acontece no dia 16 de novembro de 2008 com uma prova que inclui a Redação e 12 questões gerais dissertativas: Matemática, Física, Química, Biologia, História e Geografia. Dia 17 de dezembro a Comvest divulga a lista dos que passaram para a segunda fase e os locais de prova. A segunda fase será realizada de 11 a 14 de janeiro de 2009, com oito provas dissertativas (duas por dia) das disciplinas obrigatórias do núcleo comum do ensino médio: Língua Portuguesa e Literaturas de Língua Portuguesa, Ciências Biológicas, Química, História, Física, Geografia, Matemática e Inglês. As provas de aptidão, para os cursos de Arquitetura e Urbanismo, Artes Cênicas, Artes Visuais, Dança e Música acontecem em Campinas, entre os dias 19 a 22 de janeiro. A primeira chamada será divulgada dia 5 de fevereiro e a matrícula dos convocados em primeira chamada deve ser feita dia 10 de fevereiro.

Da Unicamp

“Beatles 4 Ever” em Botucatu

O Beatles 4 Ever! se apresentará em Botucatu, no próximo mês. O evento é produzido pela empresa AGfest

Por Renato Fernandes

A AGfest promove no dia 29 de novembro um baile show de final de ano, com a banda “Beatles 4ever!”, na Associação Atlética Botucatuense (AAB).Os empresários Gustavo Aguiar e Alexandre Haddad, sócio proprietários da AGfest, antecipam que o evento será promovido no mesmo formato dos espetáculo “The Platter´s” e “Bee Gees”, que transforamam o local da apresentação com uma estrutura profissional, com rebaixamento do teto, iluminação especializada e decoração temática.

A intenção da empresa é repetir o sucesso alcançado em outros eventos. O último deles foi o Carnabotuca, micareta que aconteceu no dia 20 de setembro, no mesmo clube.”O Carnabotuca foi um sucesso, contamos com a casa lotada apesar do clima frio e tempo chuvoso. Colocamos tendas nas ruas, e mudamos o conceito de eventos. Com o show do ‘Beatles 4ever!’ esperamos repetir esse sucesso”, disse Aguiar.



A banda - A banda Beatles 4ever oferecerá para a cidade um espetáculo de duas horas de duração, onde são interpretadas cerca de 25 músicas, das mais diversas fases do conjunto, utilizando para cada uma destas fases e para cada "beatle" o instrumental e os adereços (roupas, perucas e bigodes) correspondentes.

A riqueza de detalhes chega ao ponto dos intérpretes copiarem os trejeitos, a maneira de entrar em cena e agradecer ao público como os Beatles. A fim de cobrir a fase de estúdio da carreira dos Beatles, a banda Beatles 4ever conta com um tecladista e com equipamentos de alta tecnologia, reproduzindo sons de orquestra.

Durante o show, são reproduzidos, através de áudio, fatos históricos que marcaram a década de 60.

Fases Interpretadas

1a Fase: 1963-1966 - O grupo se apresenta com terninhos pretos como nas primeiras apresentações dos Beatles.

Músicas - Please Please Me, I Want to hold your hand, She loves you, Twist and Shout , A Hard Day’s Night, Can’t Buy Me Love, Help!, The Night Before, Ticket To Ride, You’ve Got to Hide your Love Away, Norwegian Wood, If I Needed Someone, In My Life, Yesterday

2a. Fase: 1967 - A fase áurea dos Beatles. O disco Sgt. Peppers é o marco da música contemporânea. O grupo se apresenta com fardas, como na capa do disco.

Músicas- Sgt. Peppers, With a Little Help from My Friends, Lucy in the Sky with Diamonds, A Day in the Life, Sgt. Pepper´s Reprise, Yellow Submarine.

3a. Fase: 1968 - A fase psicodélica dos Beatles, onde interpretam músicas do filme que fizeram para TV "Magical Mystery Tour".

Músicas - Magical Mystery Tour, The Fool on the Hill, I´m the Walrus, Strawberry Fields Forever, Penny Lane, Hello Goodbye.

Fase Final 1969-1970 - Nesta fase cada beatle já se veste informalmente, com os cabelos longos. Era o início da separação.

Músicas - Hey Jude, Revolution, Come Together, Something, Here Comes the Sun, While My Guitar Gently Weeps, Get Back, Dig it / Let it Be, The Long and Winding Road, The Ballad of John & Yoko, Octopu´s Garden, Golden Slumbers/Carry that Weight/The End
Informações e reserva de mesas pelos telefones: (14) 8111-1404 ou 8111-9401.

Câncer envenenado

Da Agência Fapesp

Cientistas do Laboratório de Genética do Instituto Butantan estão testando os efeitos da jararagina, uma toxina presente no veneno da jararaca (Bothrops jararaca) para tratar o melanoma, a forma mais agressiva de câncer de pele. De acordo com a coordenadora dos estudos, Itamar Romano Garcia Ruiz, os resultados obtidos até agora são promissores.

Segundo ela, a literatura científica internacional indica que toxinas presentes em diversos organismos são eficientes para diminuir a proliferação de células tumorais in vivo e in vitro. Isso levou o grupo, que trabalha com a genética do câncer desde 1996, a investigar os efeitos da toxina da jararaca sobre tecidos cancerosos.

“Estudamos culturas de células de melanoma tratadas com a jararagina, uma das toxinas que compõem o veneno da jararaca. Tivemos uma série de resultados, incluindo uma significativa inibição da proliferação do tumor”, disse Itamar à Agência FAPESP.



A pesquisadora afirma que o grupo está testando os efeitos da toxina na morfologia, adesão, migração e invasão celular. Em todos os casos, segundo ela, os resultados são promissores. O tratamento mostrou uma importante redução das metástases. “No entanto, ainda falta um longo caminho para que essas pesquisas resultem efetivamente em uma alternativa para o tratamento da doença”, afirmou.

O trabalho é feito em parceria com a Divisão de Ciências Fisiológicas e Químicas, que extrai a jararagina do veneno das serpentes do Instituto Butantan. “O veneno das serpentes é uma sopa de vários tipos de substâncias que produz um efeito anestésico e degrada os tecidos. A jararagina é uma proteína que faz parte dessa sopa”, explicou Itamar.

O veneno dos animais, em especial as cobras e os anfíbios, serve como proteção ou arma natural, instalada durante a evolução. “Cada um tem seu mecanismo. No caso das cobras o veneno é importante, já que elas não têm braços para agarrar as presas. As substâncias presentes ali anestesiam e paralisam a presa. Procuramos aproveitar a riqueza desse composto de substâncias”, disse.

Um metal posicionado em determinado local de sua estrutura dá à jararagina a capacidade de degradar outras proteínas. “O que possibilita o uso contra o câncer é que essa proteína tem a capacidade de reconhecer uma parte da membrana da célula tumoral, ligando-se a ela e impedindo sua evasão, bloqueando a metástase. A literatura científica mostrava que o nível de metástase diminuía com o uso do veneno. Nós começamos a usar apenas essa componente do veneno para aumentar a eficiência dessa propriedade”, disse.

Biomarcadores e clonagem

Além de estudar as culturas de células tumorais do melanoma, o grupo realiza uma série de pesquisas sobre a estrutura do DNA e a expressão gênica desses tumores. “Outra linha que estamos começando envolve a clonagem e o seqüenciamento do gene que codifica a jararagina, com a finalidade de obter uma ferramenta que, no futuro, seja útil para combater o melanoma”, explicou Itamar.

No laboratório, os estudos sobre o câncer tiveram início em 1996, segundo a pesquisadora, sempre com o apoio da FAPESP. Na linha que trata da regulação gênica e da estrutura do DNA, os estudos são feitos em colaboração com o Departamento de Dermatologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

“Eles nos forneceram os tumores dos pacientes, que usamos para analisar o DNA, comparando-o com o próprio tecido saudável ou com o sangue do paciente. Com isso, temos estudado o RNA-repetitivo para tentar desenvolver biomarcadores que nos permitam mostrar se as intervenções cirúrgicas foram suficientes. Além da utilidade imediata para os médicos, esse tipo de estudo nos dá novas informações sobre como se desencadeiam e progridem os processos tumorais”, afirmou.
Quando um paciente com um tumor é submetido a cirurgia, uma margem de tecido saudável é extraída, para evitar que o câncer retorne. “Quando a pele é costurada, uma pequena parte que fica saliente é extraída, servindo como controle para estudo do tecido perto do próprio tumor. O mesmo é feito com o sangue – estudamos os leucócitos, que têm DNA. Com isso, estudamos a estrutura do DNA tumoral, tentando correlacionar a gravidade do tumor com as alterações observadas”, contou.

A outra linha de estudos do laboratório é voltada para a investigação dos genes que codificam toxinas como a jararagina e a botropsina. “O DNA é formado por partes codificadoras, conhecidas como éxons, e partes intermediárias, ou íntrons. Estamos estudando a estrutura total, considerando éxons e íntrons. Para isso temos que clonar e seqüenciar esses genes, o que fazemos em colaboração com a área de biotecnologia”, disse Itamar.

Até há pouco tempo os íntrons eram conhecidos como “DNA-lixo”, mas hoje, de acordo com a pesquisadora, sabe-se que 80% deles codificam o RNA e estão ligados à regulação dos genes.

A parte molecular dos estudos sobre os efeitos da jararagina em cultura de células de melanoma deverá ser concluída até o fim do ano. A clonagem da jararagina começou a ser feita este ano, pela mestranda Alessandra Finardi de Souza.

“O seqüenciamento já está bastante adiantado. O objetivo da clonagem é usar o domínio interessante da toxina para combater a célula tumoral. Em vez de fazer todo o processo bioquímico de extração da proteína, separando a jararagina de todas as outras componentes do veneno, teremos o gene clonado e poderemos expressar e produzir só o que nos interessa para agir sobre a célula tumoral”, explicou.