julho 28, 2008

FGV constata preços mais altos em feiras livres do que em supermercados

Da Agência Brasil

Os produtos vendidos nas feiras livres saem mais caros aos consumidores do que os adquiridos nos supermercados, em pelo menos três capitais do país.

A constatação é do economista da Fundação Getúlio Vargas, André Braz, feita a partir de pesquisa realizada em três das maiores capitais do país: Rio de Janeiro, Belo Horizonte e São Paulo.

Embora os produtos adquiridos nas feiras livres destas capitais sejam mais frescos e em maior variedade, o poder de comprar no atacado, em maior quantidade, dá aos supermercados condições de praticar preços mais em conta para o consumidor.


Divulgado hoje (29), o levantamento de preços, feito em junho pela FGV, constata, ainda, uma “intensa” variação de preços entre as feiras livres e os supermercados, em produtos como batata inglesa, tomate, alface, limão, maçã e laranja pêra.

“Entre os preços médios das três cidades pesquisadas no levantamento, os praticados nas feiras livres estão entre 13% a 25% mais caros que nos supermercados”, afirma a FGV.

A pesquisa ressalta, porém, que nos finais das feiras, no horário chamado pelos próprios consumidores de “chepa da feira”, a situação tende a se inverter, com os preços oferecidos pelos feirantes podendo ficar abaixo dos praticados pelos supermercados.

A FGV cita como exemplos da diferença nos preços praticados no Rio de Janeiro os cados da batata-inglesa, do tomate e do limão. Enquanto nos supermercados os produtos custam em média, respectivamente, R$ 1,89, R$ 3,00 e R$ 0,68 o quilo de cada um dos produtos, nas feiras-livres, chegam a custar R$ 2,14, R$ 3,47 e R$ 1,20.

Gestante carente pode ter transporte grátis para pré-natal

O Projeto de Lei 3481/08, da deputada Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM), em tramitação na Câmara, garante à gestante carente transporte gratuito para a realização de assistência pré-natal nas unidades básicas do Sistema Único de Saúde (SUS). A assistência pré-natal compreenderá pelo menos seis consultas, abrangendo atendimento médico, nutricional, pedagógico e social. De acordo com o projeto, o gestor do SUS, seja federal, estadual ou municipal, deverá manter cadastro completo das mulheres gestantes e acompanhar o efetivo cumprimento do pré-natal.

O transporte gratuito deverá ser garantido pelo Poder Executivo, por meio de um cartão de identificação, para assegurar o deslocamento da gestante. Para tanto, o projeto prevê a autorização de crédito orçamentário suplementar ou especial. A gestante, em contrapartida, fica obrigada a seguir todas as normas médicas do tratamento, e pode perder o direito ao transporte gratuito se registrar três faltas não justificadas.

Assessoria Jurídica

Prematuros
Vanessa Grazziottin argumenta que vem crescendo no País o nascimento de prematuros, o que indica a necessidade de aperfeiçoar o tratamento pré-natal. Conforme dados do Ministério da Saúde, entre o período de 2000 a 2005, o nascimento de prematuros cresceu 13%. Além disso, o índice de mortalidade materna, embora venha sendo reduzido, ainda é de 75 para cem mil partos - acima da média mundial. A meta fixada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) é de 16 mortes por cem mil partos até o ano de 2015. "Apesar do avanço notório da assistência pré-natal no Brasil, a gestante brasileira, em média, faz hoje 5,2 exames, abaixo da meta de 6 exames preconizada apela OMS", acrescenta a deputada.

Tramitação
O projeto, que tramita em caráter conclusivo, foi encaminhado à Comissão de Seguridade Social e Família. Depois, deverá seguir para as comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Da Agência Câmara

Reitoria da Unesp investe mais de R$ 150 mil para aquisição de livros didáticos

Por Flávio Fogueral

Nos próximos meses, a Biblioteca do Campus de Rubião Júnior da Unesp deverá receber novos livros didáticos. Em maio, a reitoria da universidade liberou R$ 153.931,48 que serão destinados para a compra dos títulos. A biblioteca atende às Faculdades de Medicina; Medicina Veterinária e Zootecnia e Instituto de Biociências.

Para a FMB serão disponibilizados R$ 48.470,99 e os exemplares deverão ser entregues à biblioteca no final do ano, conforme explica a diretora técnica do local, Enilze de Souza Nogueira Volpato.

A quantidade a ser adquirida, bem como o início do processo licitatório, dependerá da relação de títulos feita pelos departamentos da FMB. Após análise da Comissão de Biblioteca o pregão para a tomada de preços terá início.



Para Enilze, a liberação da verba pela reitoria tenta suprir um problema encontrado em boa parte das bibliotecas das universidades do país: a demanda de exemplares por alunos. De acordo com a diretora técnica, a recomendação da Secretaria de Ensino Superior é de que esteja disponível um exemplar para cinco acadêmicos, necessidade que segundo Enilze dificilmente é suprida. “Será importante esta aquisição, pois há déficit de livros, principalmente em quantidade de exemplares. Muitos dos títulos disponíveis não suprem a meta mínima que é de um livro para cinco alunos. Tais compras tendem a desafogar esta carência”, ressalta.

Acervo- A Biblioteca do Campus, instalada próxima aos prédios administrativos da Administração Geral e também da Faculdade de Medicina de Botucatu é um dos locais de maior fluxo de acadêmicos, pesquisadores, estagiários, residentes com cerca de 8 mil usuários inscritos. Ocupa uma área total de 2.755 m² e alguns de seus números impressionam. O local tem um acervo estimado de quase 30 mil livros, e engloba ainda 5.773 teses, 246 CD-ROMs, 274.668 fascículos de periódicos.

A biblioteca é responsável, entre suas atribuições, pela catalogação na fonte (para publicação local e teses), consulta e empréstimo, comutação bibliográfica nacional e internacional, assessoria para publicações periódicas e monografias, entre outros serviços prestados. Os usuários também têm à disposição laboratório de digitação, serviço de fotocópias, editoração eletrônica e conta com amplo espaço para leitura e estudo. É freqüente também a realização de exposições artísticas em suas dependências.

Proposta quer reduzir em dois anos a idade mínima para jovem trabalhar

A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 268/08, do deputado Celso Russomanno (PP-SP), permite que o adolescente trabalhe a partir dos 14 anos de idade - ou dos 12 anos, como aprendiz. A proposta altera artigo 7º da Constituição, que proíbe o trabalho de menores de 16 anos, salvo na condição de aprendiz, a partir dos 14 anos.

Russomanno critica a idade estabelecida na Constituição, que, segundo ele, já não contempla a realidade do País e a dos jovens desempregados, que têm buscado outras formas de sobrevivência, à margem da lei. O parlamentar acredita que a redução da idade mínima poderá mudar a realidade de crianças e adolescentes que estão nas ruas pedindo esmolas ou vendendo balas a fim de conseguir algum dinheiro para ajudar a família. "Sem citar aqueles que são usados pelo tráfico", lembra o deputado. Ignorar essa realidade, alerta Celso Russomanno, é condenar inúmeros jovens brasileiros a permanecerem na miséria em que se encontram.

Empregos Manager Online

De acordo com o parlamentar, a permissão para que o adolescente possa trabalhar a partir dos 14 anos e seja aprendiz a partir dos 12, contribuirá para a sua formação profissional e permitirá que ele tenha uma renda mensal para sua sobrevivência de maneira digna. Além disso, frisa o autor, "enquanto o jovem estiver ocupado, não terá tempo para se envolver em atividades ilícitas e nem de buscar no crime uma forma de sustento de suas necessidades básicas".

Tramitação
A proposta, que tramita apensado à PEC 191/00, que trata do mesmo tema, será apreciada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Da Agência Câmara

Projeto cria Secretaria Nacional do Teatro e permite deduções do IR para patrocinadores do setor

Projeto de lei que deve ser analisado a partir de agosto pela Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) cria a Secretaria Nacional do Teatro na estrutura do Ministério da Cultura e institui mecanismos de fomento à atividade teatral.

De autoria do presidente do Senado, Garibaldi Alves, e dos senadores Cristovam Buarque (PDT-DF), Ideli Salvatti (PT-SC) e Osmar Dias (PDT-PR), a matéria foi elaborada com base em reivindicação da classe teatral brasileira e tem o objetivo, segundo os autores, de "romper as barreiras para a efetivação da atividade no rol das manifestações culturais passíveis de recebimento de incentivos, quer sob a forma de patrocínio, quer sob a forma de investimento, bem como de superar entraves de natureza administrativa quando do exame dos projetos submetidos à apreciação do órgão responsável por sua aprovação".

O projeto (PLS 226/08), que tem como relator na CAE o senador Flávio Arns (PT-PR), prevê que a Secretaria Nacional do Teatro fará o exame, o registro, o controle e a aprovação de todos os projetos teatrais passíveis de receber incentivos fiscais, além de formular políticas públicas para o setor.

Deduções

De acordo com a proposta, até o exercício fiscal de 2018, "os contribuintes poderão deduzir do imposto de renda devido os valores relativos ao patrocínio de produção de obras teatrais brasileiras, para textos nacionais e estrangeiros de produtores teatrais, aplicados em projetos que tenham sido previamente aprovados pela Secretaria Nacional do Teatro".

A dedução prevista é de 4% do imposto devido para as pessoas jurídicas e de 6% para as pessoas físicas.

Poderão ser credenciados pela Secretaria Nacional do Teatro, para recebimento de incentivos, todos os projetos da área teatral voltados para a exibição, a manutenção e a programação de salas de espetáculo e centros culturais. Também incluem-se entre as atividades beneficiadas pelo projeto os festivais de teatro, a manutenção de temporadas teatrais e de grupos e companhias, a circulação de espetáculos teatrais, as campanhas de acesso, a produção local para espetáculos teatrais, a formação e a capacitação de profissionais do setor, os projetos de pesquisa de linguagem e ainda os projetos de resgate e memória do teatro brasileiro.

A proposta não inclui entre os beneficiários dos incentivos e dos patrocínios as produções de obras teatrais de natureza publicitária nem as ações de marketing institucional de empresas patrocinadoras.

Na justificação do projeto, os senadores argumentam que ele visa tornar mais visível a área teatral, já que esta "fica a reboque" dos sistemas audiovisuais, os quais, por terem maior visibilidade perante o público, são os preferidos quanto ao recebimento de recursos. "De fato, um filme, por exemplo, angaria de forma simultânea um número maior de espectadores que o teatro, por operar com cópias distribuídas a várias salas de exibição, em diferentes localidades, no mesmo momento", explicam os autores.

O projeto foi fruto de uma parceria entre a Associação de Produtores Teatrais do Rio de Janeiro, a Associação de Produtores Teatrais Independentes de São Paulo e vários produtores teatrais de outros estados que, a partir de 2004, iniciaram uma série de encontros com parlamentares da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) visando formular políticas para o setor.
Após votação na CAE, a proposta segue para análise da CE, onde será votada em decisão terminativa.

Da Agência Senado

SP amplia em 50% empréstimo a juro zero para santas casas

O governo do Estado de São Paulo decidiu ampliar de R$ 100 milhões para R$ 150 milhões o valor da linha de crédito a juro zero disponibilizada para auxiliar as santas casas e hospitais filantrópicos de todo o Estado. O motivo foi a grande demanda pelo financiamento, que é oferecido pela Nossa Caixa e tem juros pagos pela Secretaria de Estado da Saúde.

Desde novembro de 2007 foram aprovados 43 pedidos de empréstimo, com prazo de pagamento de até 36 meses. Pelo acordo estabelecido, cada Santa Casa poderá financiar até R$ 5 milhões. O limite depende do faturamento SUS de cada uma. As entidades podem dispor de até 30% do faturamento para o pagamento mensal da dívida.


O financiamento pode ser utilizado para quitar dívidas de outros empréstimos bancários, pagar débitos com fornecedores ou para investir em reforma, ampliação e modernização da unidade. Os recursos somente não podem ser utilizados para pagamento de impostos em atraso ou dívidas trabalhistas, por exemplo.

Pelo acordo, os juros que a Secretaria paga pelos empréstimos concedidos às entidades filantrópicas estão fixados na faixa de 1,69% ao mês. Essa taxa é inferior àquela cobrada para capital de giro oferecido a empresas e que variam entre 2% e 4% ao mês, dependendo do prazo da operação e das garantias oferecidas pelo tomador de crédito.

Para solicitar a linha de crédito, cada santa casa precisa apresentar um projeto à Nossa Caixa justificando a necessidade do recurso e sua aplicação. O pedido será avaliado pela Secretaria de Saúde, que poderá aprovar ou não a proposta. Após uma avaliação positiva o dinheiro será liberado.

“Por muito tempo as Santas Casas viveram asfixiadas financeiramente por conta da baixa remuneração das tabelas do SUS e acumularam dívidas. O objetivo deste empréstimo é justamente ajudar as entidades a equilibrar suas contas e iniciar um novo ciclo, só que desta vez virtuoso”, afirmou Luiz Roberto Barradas Barata, secretário de Estado da Saúde.

Atualmente, os hospitais filantrópicos são responsáveis por 57% das internações feitas pelo SUS no Estado de São Paulo.

Da Secretaria da Saúde

Bolsa Família vai capacitar beneficiários para a construção civil a partir de setembro

Da Agência Brasil

Cerca de 185 mil beneficiários do Programa Bolsa Família serão capacitados em áreas da construção civil a partir de setembro, em 12 regiões metropolitanas do país. Os cursos vão formar profissionais em ocupações como pintor, azulejista, encanador, carpinteiro, mestre de obras, operador de trator, eletricista e gesseiro.

As propostas dos cursos começam a ser apresentadas hoje (28) aos gestores do Bolsa Família, inicialmente nas regiões metropolitanas de Rio de Janeiro, São Paulo e Fortaleza. Esses gestores vão receber informações sobre os cursos para poderem orientar os beneficiários durante a capacitação.

AondeNamoro.com! Totalmente Gratuito!

Segundo a diretora de Gestão do Bolsa Família, Camile Mesquita, a idéia é, depois da capacitação de aproximadamente 200 horas, contratar os beneficiários para trabalhar nas obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

"Desde o início do Programa [Bolsa Família] a gente tem buscado trabalhar com a articulação de outras políticas públicas para desenvolver capacidades de beneficiários do Programa".

A diretora afirmou que essa é a primeira ação de maior escala, mas o programa tem outras iniciativas, como a ampliação de escolaridade dos beneficiários, por meio de uma articulação com o Brasil Alfabetizado, ações de microcrédito e de inclusão bancária.

"Com isso, o Programa passa a atuar de forma também importante, na redução das desigualdades sociais, levando oportunidades para todas essas famílias que são mais vulnerabilizadas e mais pobres".

Serra autoriza concurso no Iamspe para contratar médicos

O governador José Serra autorizou o Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual. (Iamspe) a realizar concurso para contratação de médicos e preenchimento de pelo menos 76 vagas em especialidades como emergência, clínica médica, terapia intensiva, unidades coronariana e vascular.

Publicado na edição do Diário Oficial de sexta-feira, 25, o despacho ainda autoriza a contratação imediata de 46 médicos e 6 técnicos de laboratório que foram aprovados em concursos anteriores. Caso haja desinteresse dos profissionais já concursados, as vagas remanescentes serão preenchidas também por concurso.

Empregos Manager Online

Também foi liberada a reposição automática de vagas abertas em decorrência de aposentadoria, demissão ou falecimento de funcionários.

Do Iamspe

A arte de formar atores teatrais

O diretor teatral Robert Coelho prepara um grupo de atores
iniciantes para o espetáculo “Ativar!”, que estréia no dia 2 de agosto


Por Renato Fernandes


O diretor teatral Robert Coelho, está prestes a estrear o espetáculo “Ativar!”, trabalho que consiste na apresentação de cenas curtas desenvolvidas pelos alunos das oficinas de teatro desenvolvidas por ele, através da “Quadrilha de Teatro Notívagos Burlescos” e Secretaria Municipal de Cultura de Botucatu. Ao todo, são cerca de 30 participantes que se dividirão em duas cenas, um exercício de improviso e um trecho do espetáculo “Mirabelli”.

As cenas foram desenvolvidas através do improviso dos três núcleos de trabalho das oficinas: iniciação, improviso e avançado. “Sentamos, discutimos diferentes temas e escolhemos os assuntos em consenso. Em seguida trabalhamos cada assunto improvisando. Assim que surge a história faço a dramatização e elaboro o texto. É importante que os alunos tenham contato com o texto e saibam a necessidade de decorar as cenas”, explica Coelho.

Nesse processo saíram três histórias que após uma série de ensaios e oficinas acabaram resultando em duas cenas, uma delas enfocando um prefeito com mania de construir monumentos a outra mostra a misteriosa morte por envenenamento de toda uma cidade.

Assessoria Jurídica

A aceitação dos participantes e o ritmo de ensaios acabam atraindo os alunos a seguir carreira nas artes cênicas. “Dois participantes das oficinas do Notívagos Burlescos (João Alves e Vinícius Gil) estão estudando artes cênicas e pretendem seguir carreira. É uma satisfação muito grande saber que através desse trabalho estou contribuindo para o fortalecimento da cena teatral na cidade”, disse.

O diretor explica que ao trabalhar na formação desses atores se vê no passado, quando iniciou a sua formação teatral no grupo de teatro da escola La-Salle, comandado pela diretora Marli Bonome. “No início não imaginava que iria trabalhar com teatro, mas o tempo passou, saí do grupo do La Salle e acabei participando praticamente de todos os grupos da cidade. Quando me dei conta não poderia exercer outra profissão”, disse.

Coelho desenvolve oficinas em parceria com a Prefeitura Municipal de Botucatu há 4 anos resultando em espetáculos significativos, como “Ana Rosa”, que percorreu os teatros e espaços alternativos da cidade.

O espetáculos “Ativar!” Estará em cartaz no dia 2 de agosto, no Teatro Municipal Camillo Fernandez Dinucci, às 20h30. A entrada é franca.

Teatro Municipal de Botucatu divulga a agenda de agosto

Em “Toalete”, o autor Walcyr Carrasco retrata o
universo feminino pelo buraco da fechadura


Por Renato Fernandes


A Secretaria Municipal de Cultura divulgou a agenda de eventos programados para acontecer no Teatro Municipal Camillo Fernandez Dinucci, durante o mês de agosto. As opções de atrações agradam a todos os gostos, com eventos musicais, teatrais, musicais e dança.

A agenda será aberta no dia 1º de agosto, às 21 horas, com o espetáculo “Humor de Quinta”. Criado por Sergio Rabello, o título “Humor de Quinta” dá a idéia da irreverência do espetáculo, que é o resultado da união de Sergio Rabello, conhecido pelo humor inteligente, com os atores Octávio Mendes e Ângela Dip, atores de vasta experiência e responsáveis pelo sucesso de muitos espetáculos de humor, entre eles o Terça Insana. Ingressos custam R$ 40, R$ 35 (antecipado), R$ 25 (com apresentação de bônus) e R$ 20 (meia entrada), e podem ser encontrados nos seguintes pontos de vendas: Banca de Jornais Paratodos e Serv Fone.



No dia seguinte, a trupe botucatuense “Quadrilha de Teatro Notívagos Burlescos”, sobe ao palco às 20h30, para apresentar o espetáculo “Ativar!!!”. A peça mostra o resultado do ciclo de oficinas realizado pela quadrilha, em parceria com a Secretaria de Cultura de Botucatu. O projeto envolve a montagem de três peças teatrais que contam a história de três personagens históricas da cidade de Botucatu: Ana Rosa, Mirabelli e Frei Fidelis. Três oficinas fizeram parte das atividades no primeiro semestre de 2008: Oficina de Iniciação, Núcleo de Improviso e Núcleo de Montagem. Cerca de trinta pessoas, das sessenta que participaram do processo, integram o elenco e apresentarão cenas que foram criadas durante os trabalhos. A entrada é franca.
No dia 3 de agosto o clássico infantil “Chapeuzinho Vermelho”, será atração às 16 horas. A peça reconta a clássica história de Charles Perrault e os Irmãos Grimm, mostrando de maneira simples e objetiva os detalhes da conto infantil. A produção é assinada pela Companhia Realce.

O envolvente universo da dança e uma grande história de amor são os temas principais do musical “Dance, Dance, Dance”, que estará em cartaz no dia 9 de agosto, às 20h30. A montagem é inspirado no fenômeno da TV, homônimo, e conta a história de Sofia, garota que foi criada em um pequeno povoado pela avó russa que lhe ensinou balé desde cedo. Ela tentará superar as deficiências com as quais conviveu, e também aquelas que terá de confrontar ao chegar na cidade grande.

Às 20 horas do dia 10 de agosto, será apresentado o espetáculo “Toalete”. A peça retrata o universo feminino através do buraco da fechadura do banheiro de um hotel de luxo. Na comédia os segredos das mulheres que o freqüentam, passando por diversas realidades: as executivas, prostitutas, empresárias e diversos personagens. O texto é assinado por Walcyr Carrasco e tem a direção de Cininha de Paula, com as atriz Alexandra Richter e grande elenco. Ingressos custam R$ 30 (inteira), R$ 20 (com apresentação de bônus) e R$ 15 (meia entrada).

“A História da Gatinha Mi Mi”, será encenada no Teatro Municipal, nos dias 12,13, 26 e 27 de agosto. A peça aborda a posse responsável de animais domésticos, e foi desenvolvida pela Secretaria Municipal de Saúde. A intenção é narrar, com muita informação, a história de uma gatinha e seus filhotes abandonados no Sítio do Pica-pau amarelo. A entrada é franca e exclusiva para a rede de ensino.

A troupe teatral “Notívagos Burlescos”, retorna ao palco do Municipal no dia 14 de agosto, às 20h30, com o espetáculo “Ana Rosa”. Segundo o diretor da companhia, Robert Coelho, essa é uma re-estréia da peça, com novo elenco e contando a história da santa não-canônica de Botucatu . Entrada franca.

Nos dias 15 e 16 de agosto, o grupo de teatro "Fábrica de Sonhos" apresentarão o espetáculo “Circênico”, espetáculo circense com palhaços, equilibristas, acrobatas e mágicos que se multiplicam para levar ao público o sempre encantado mundo do circo. A produção tem uma hora de duração, onde números de habilidades e equilíbrio são intercalados pelos tradicionais quadros cômicos, estabelecendo ritmo alegre e dinâmico à apresentação. No dia 15 de junho, as apresentações ocorrerão às 9, 14 e 20h30 para alunos da educação municipal e no dia seguinte ocorrerão sessões às 16h30 e 20h30, com ingressos a R$ 10 e R$ 5 (com apresentação do bônus).

A Orquestra Sinfônica Municipal realiza o tradicional concerto em prol ao Asilo Padre Euclides, no dia 17 de agosto, às 20h30. No palco será apresentado o “Concerto para Piano e Orquestra nº 23 - em lá maior”, com Telma Habermann. Além do concerto nº 23, K488 de Mozart, também estão previstos o concerto para clarineta e orquestra de Mercadante (com solos do musicista Franklin). Ingressos a R$ 10.

O espetáculo “Sagarana”, será a atração do dia 20 de agosto, em sessão às 20h30, a montagem retrata os contos do livro homônimo, “Sarapalha” e “Corpo Fechado”, de Guimarães Rosa. Ingressos serão vendidos a R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia) e R$ 8 (grupos fechados).

O clássico infanto juvenil do escritor botucatuense, Francisco Marins, “Taquara Póca”, sobe em cena no dia 24 de agosto, em sessão às 16 horas. A peça é uma montagem do Grupo Chafariz. Ingressos custarão R$10 e R$ 5 (meia).

Expo Botu será apresentada para a imprensa

A organização da 4ª Edição da Expo Botu vai realizar na próxima sexta-feira, dia 1, uma apresentação especial do evento para a imprensa local e regional. Os profissionais do meio estão convidados a participar do encontro que será realizado a partir das 10h no auditório do Primar Plaza Hotel.

Representantes da empresa Carlinhos Romagnolli Promoções e Eventos e da Prefeitura de Botucatu estarão apresentando números referentes a comercialização dos espaços, bem como o mapa da Feira e a relação dos expositores. Também serão anunciadas de forma oficial todas as novidades programadas para a Expo Botu 2008.


Na ocasião, também serão anunciadas novidades sobre o show de abertura do evento, que está a cargo da banda botucatuense ABR3 no dia 27 de agosto. "Além de revelarmos algumas participações especiais, apresentaremos algumas informações que marcarão de maneira decisiva esta nova fase da carreira da ABR", diz Carlinhos Romagnolli.

A Expo Botu será realizada de 27 a 31 de agosto no Aeroporto Estadual Tancredo Neves. Os ingressos serão vendidos a R$ 15,00 individual e R$ 50,00 o pacote. Os camarotes para 10 pessoas com ingresso incluído vão custar R$ 900,00 para todas as noites. Mais informações pelo telefone (14) 3815-5090 ou 3882-6353. Outra opção é o site www.expobotu.com.br.

HC de Ribeirão fará transplante de pâncreas e rim

O Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto (HCRP) foi credenciado pelo Ministério da Saúde para a realização de transplantes de pâncreas. A perspectiva é de iniciar as atividades em 2009, com transplantes duplos de rim e pâncreas. "Os primeiros pacientes atendidos deverão ser diabéticos dependentes de insulina e com falência renal", anuncia o médico-cirurgião José Sebastião dos Santos, professor do Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP) da USP.

Divulgado em maio, o credenciamento do HCRP é resultado de um processo iniciado há aproximadamente dois anos, pelas equipes das especialidades de cirurgia digestiva, urologia, nefrologia e endocrinologia. Segundo o professor, as futuras adequações exigidas pelo Ministério e o desempenho do serviço permitirão também a realização de mais duas modalidades de transplantes de pâncreas.


"Após desenvolver a primeira fase do transplante de pâncreas junto com rim, poderemos obter a autorização para realizar o transplante de pâncreas em quem já recebeu o rim e, finalmente, solicitar o credenciamento para o transplante de pâncreas isolado", explica Santos. "É importante enfatizar que esse tratamento é mais uma alternativa para pacientes diabéticos dependentes de insulina".

De acordo com o médico, a utilização inadequada de insulina ou o seu efeito insuficiente provoca lesões sistêmicas e irreversíveis no paciente, depois de um período estimado em dez ou 15 anos. "O rim sofre lesões e pára de funcionar", ressalta. "Dessa forma, os pacientes com insuficiência renal e diabetes podem se beneficiar do transplante duplo (rim e pâncreas) e então, nos casos bem sucedidos, ficarem livres da diálise e da insulina"

Intervenções

As três modalidades de transplante de pâncreas serão implementadas com o apoio da Unidade de Transplante Renal do HCRP de maneira gradativa. Segundo o professor, a experiência acumulada do serviço de transplante renal será fundamental para a viabilização do transplante conjugado de rim e pâncreas.

"A nossa expectativa é que estabelecida esta fase e os resultados, aí possamos realizar o transplante de pâncreas pós-rim". Nesta segunda modalidade, serão atendidos os pacientes diabéticos transplantados de rim, que são dependentes das aplicações de insulina.

Na terceira fase, o objetivo é introduzir o transplante de pâncreas isolado para o diabético jovem dependente de insulina. "Este transplante, quando bem sucedido, evita as complicações que podem ocorrer no paciente diabético crônico, tipo insuficiência renal, retinopatia, lesões vasculares e nervosas", afirma Santos.

Antes de dar início à realização dos primeiros transplantes duplos de rim e pâncreas, a equipe responsável pelas intervenções fará a identificação dos pacientes diabéticos, dependentes de insulina e que aguardam na fila de espera do transplante renal no HCRP. "Estes dados ainda precisam ser obtidos para que sejam relacionados os possíveis candidatos para o transplante duplo", aponta o professor.

Espera

Dados do Ministério da Saúde apontam que, em junho de 2007, havia no Estado de São Paulo uma lista de espera de 8.998 pacientes para o transplante de rim e 336 para o transplante duplo de rim e pâncreas. Antes do credenciamento do HCRP, o Estado tinha seis serviços credenciados na Capital e um em Campinas para a realização deste tipo de transplante.

"No HCRP deverão ser atendidos os pacientes que já têm acompanhamento clínico nos serviços de endocrinologia e nefrologia", informa Santos. "De início, as intervenções serão realizadas com órgãos de doador cadáver, mas não está descartada a possibilidade da doação inter vivos, pois há autorização desde que inclua o pâncreas e o rim".

Da Agência USP