julho 20, 2008

FMB celebra centenário da imigração japonesa

Por Flávio Fogueral

Para celebrar o centenário da imigração japonesa no Brasil, a Faculdade de Medicina de Botucatu realizará uma sessão solene comemorativa no próximo dia 13 de agosto. Está prevista a presença de uma delegação da Keyo University, de Tóquio, com quem a FMB mantém um acordo de cooperação.

A série de homenagens terá início às 19 horas com um discurso proferido pelo diretor da FMB, prof. Sérgio Muller. Na seqüência, acontecerá a apresentação da instituição aos presentes pelo organizador do evento, prof. Milton Massaro Hida.

Toda a trajetória dos pioneiros japoneses no Brasil será retratada na palestra “Imigração Japonesa”; onde a profª Alzira Sakate abordará os aspectos e dificuldades das famílias que estabeleceram residência em São Paulo no início do século XX.

O professor Luiz Antônio Vane abordará os acordos com as diversas universidades japonesas e sua experiência durante visitas ao país em sua mensagem “Impressões sobre o Japão”.

Os docentes, ex-alunos, acadêmicos, pós-graduandos residentes dos cursos de Medicina e Enfermagem receberão na seqüência uma homenagem da organização com um diploma confeccionado em papel washi, de origem japonesa.

Livro- Além das homenagens, os presentes ao evento comemorativo ao centenário da imigração japonesa no Brasil também receberão um livro, de 30 páginas, escrito pelo professor titular aposentado da disciplina de oftalmologia, Milton Massaro Hida (foto), onde estão listados todos os nikkeis que estudaram ou lecionaram na FMB.

Japoneses contribuem com história e crescimento da FMB

Em seus 45 anos de história, a Faculdade de Medicina de Botucatu formou 422 alunos com descendência japonesa, o que representa 11,5% do total de acadêmicos que já passaram pela instituição. Os dois primeiros nipônicos formados pela então Faculdade de Ciências Médicas e Biológicas de Botucatu-FCMBB, em 1969 foram Isao Iutaka e Takajiro Takahashi.

Alguns números mostram a contribuição dos nipônicos no desenvolvimento e na história da instituição. Ao todo, a FMB conta com 33 docentes e mais de 120 acadêmicos japoneses participaram de cursos e aprimoramento na instituição através dos convênios de cooperação.

Imigração reflete integração entre duas culturas
Um século de integração entre duas culturas. Desta maneira pode ser definida a relação entre Brasil e Japão. No dia 18 de junho de 1908, atracava no porto de Santos, vindo de Kobe, o cargueiro Kasato Maru com 165 famílias em busca de melhores oportunidades de trabalho e de vida nas fazendas de café paulista. Desde então, nipônicos e seus descendentes tiveram papel importante no desenvolvimento do país.

Segundo estatísticas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística- IBGE, há no país mais de 1 milhão de japoneses e descendentes. São Paulo acumula o maior percentual de nipônicos, com 72,5% desse total, com 51.445 residentes no Estado.

A contribuição dos japoneses no desenvolvimento econômico e cultural do Brasil é sentida no cotidiano com costumes e palavras de origens nipônicas.