julho 05, 2008

Tese avalia a disseminação do uso de drogas ilícitas e de medicamentos sem prescrição

Por Flávio Fogueral
Originalmente publicado
na edição 2 do Jornal da FMB

Uma tese de doutorado, apresentada, em maio, na Faculdade de Medicina de Botucatu, buscou analisar o uso de drogas ilícitas e de medicamentos psicotrópicos sem prescrição pela população. O estudo foi do acadêmico Paulo Márcio Roseno da Silva, sob a orientação da profª Ivete Dalben, do Departamento de Saúde Pública da FMB.

O objetivo do estudo, intitulado “Uso de Drogas Ilícitas e de Medicamentos Psicotrópicos sem prescrição: um estudo na população geral da Região Metropolitana de São Paulo”, conforme explica o autor, foi estimar a prevalência em uma amostra representativa e identificar a associação do uso de drogas ilícitas com as chamadas legais, como o cigarro e o álcool. Silva buscou analisar como as condições sócio-econômicas podem influenciar no uso de tais substâncias.

De acordo com a análise, foi constatada maior procura de drogas ilegais por indivíduos de sexo masculino, enquanto que os psicotrópicos figuraram como preferência entre mulheres. “A literatura científica tem associado o consumo de drogas com o uso pesado de álcool e com determinadas características sócio-demográficas. Enquanto há um grande número de artigos relatando essa associação nos países desenvolvidos, ainda há uma carência de informações sobre o assunto nos países em desenvolvimento.”, frisa o acadêmico.

Outros dados obtidos pelo estudo mostram que o uso de drogas associado ao consumo de álcool é maior entre os homens que moram longe dos parentes. Mulheres na meia idade e nível sócio-econômico mais elevado são as maiores usuárias de medicamentos sem prescrição. Por conseqüência, são as que consumem menor quantidade de bebidas alcoólicas. A tese ainda enfocou que a maior parte dos usuários de drogas ilícitas ou medicamentos psicotrópicos desenvolvem transtornos mentais e necessitam dos serviços de saúde.

O pesquisador, para chegar a tais análises utilizou informações do banco de dados proveniente do Genacis- Gender Alcohol and Culture: an Internacional Study, formulado pela profª Florence Kerr Corrêa, do Departamento de Neurologia, Psiquiatria e Psicologia da FMB. Foram entrevistadas 2.083 pessoas acima dos 18 anos, residentes nos 39 municípios da Região Metropolitana de São Paulo, entre 2005 e 2007.

Segundo a orientadora do estudo, profª Ivete Dalben, a análise obtida através da tese pode auxiliar futuras pesquisas na área de saúde pública e também na compreensão mais detalhada dos fatores que levam ao uso de drogas ilícitas. “Este estudo pode contribuir para aumentar a compreensão dos complexos fatores envolvendo o abuso de drogas ilícitas, medicamentos psicotrópicos sem prescrição e álcool, o que pode ser útil para o desenvolvimento de programas preventivos específicos e políticas de saúde pública nesta área.”, explica profª Dalben.