junho 22, 2008

CNH: novas regras geram fila no Ciretran

Desde a última sexta-feira, uma longa fila de candidatos interessados em iniciar o processo de emissão da CNH - Carteira Nacional de Habilitação, tem se formado diante do Ciretran de Botucatu - Circunscrição Regional de Trânsito, por conta das novas regras para a liberação do documento.
Segundo o delegado de trânsito, Antonio Soares da Costa Neto, a exigência da presença do candidato na sede da regional, com documentos que comprovem sua qualificação e endereço residencial é o responsável pelo aumento de demanda no atendimento. “Na quinta e na sexta-feira atendemos uma média de 150 pessoas. A fila começa logo que abrimos a porta e se estende após o expediente”, explica a autoridade Ele acrescenta que foi necessária a distribuição de senhas para impedir que o atendimento se prorroguasse por mais tempo.
Costa Neto diz acreditar que a burocracia será útil para inibir casos de falsificação e na seleção de candidatos realmente aptos, entretanto deverá aumentar o prazo de espera para a liberação do documento. “Agora é necessário analisar cada caso isoladamente e quando a documentação apresentada for de outro estado teremos que fazer uma diligência até a casa do candidato para confirmar a sua residência. Esse procedimento vai tomar tempo e vai alongar o prazo. digamos que o que antes levava três meses, passará a levar seis”, explica.
As alterações foram adotadas após a Operação Carta Branca, deflagrada pelo Ministério Público e que desarticulou uma quadrilha especializada em fraudar CNH´s. Antes, o candidato entrava no sistema do Detran quando fazia o exame médico e partir de agora será feito um cadastro preliminar e após isso, o candidato passará pelos exames médico e psicológico.
A autoridade de trânsito acredita que as longas filas se formarão apenas nas primeiras semanas e que, apesar das mudanças, o atendimento se normalize em breve. “Nesses primeiros dias será assim mesmo, mas acredito que logo teremos uma média de 200 atendimentos semanais”.
O açougueiro Márcio Celso de Oliveira, 29 anos, aguardou mais de uma hora para ser atendido e apesar da espera acredita que as mudanças trarão benefícios. “Acho que essas mudanças serão ótimas para os motoristas e evitará falsificações nos documentos. Não abro mão em ficar todo esse tempo na fila”, disse.
O almoxarife Lucas Nascimento da Silva, 20 anos, era o último da fila na tarde de sexta-feira e concorda com a opinião de Márcio. “Eu acredito que medidas como essas reduzirão os índices de acidentes. É importante liberar a CNH apenas à pessoas capacitadas”, argumenta.