abril 13, 2008

Mãe acusa Guarda Municipal de Botucatu de agressão e de recusa de socorro

Mãe reclama para a imprensa sobre a forma como seu filho foi tratado

Por Renato Fernandes
Fotos – David Devidê/Renato Fernandes – Diário da Serra
Vídeo – David Devidê


Na noite de sexta-feria, 4 de abril, Aparecida Fátima Vicente, moradora de uma casa de fundos da Rua Deodato Faconti, em Botucatu, foi para o Largo da Catedral Metropolitana de Botucatu prestigiar o show da cantora gospel Cassiane. Aparecida estava acompanhada de dois de seus filhos, uma menina de um ano e meio e um rapaz de 17 anos.

Poucos minutos após o início do show o garoto teve, segundo a mãe, uma crise de saúde, e entrou em convulsão o público ao redor sem entender o problema tentou ajudar, entretanto, em crise o garoto acabou agredindo involuntariamente quem se aproximava.
A reportagem do blog O Grito acompanhou o momento em que o rapaz foi retirado da multidão por um grupo formado entre 4 e 5 Guardas Civis Municipais, os agentes carregaram o rapaz por uma distância média de 50 metros, passaram a cerca de isolamento que divide a platéia e o palco e o levaram para a parte externa da festa, atrás do tapume que isola o acesso aos camarins.

Área onde não havia qualquer espécie de viatura de resgate ou propícia ao atendimento médico.
A reportagem acompanhou a imobilização do rapaz nos paralelepípedos da rua, em sua bochecha esquerda estava a mão de um dos agentes, seus braços foram cruzados nas costas por outro guarda civil enquanto um terceiro cuidava de cruzar também as suas pernas.
Ao lado a mãe desesperada gritava que seu filho sofria convulsões, em seu colo a criança, de apenas um ano e meio estava calada, agarrada às suas roupas. Ela assistia a tudo chorando e pedia para que os agentes socorressem o garoto e não o tratassem daquela forma.
A cena foi rápida, algo em torno de cinco minutos, foi então que um dos seguranças particulares da festa chegou ao local e conseguiu afastar os guardas. Ele m
anteve as mãos do garoto cruzadas nas costas e chamou pelo pastor Helton Pereira, que acompanhava a cena de perto e dizia conhecer tanto o rapaz quanto a sua mãe. O pastor se aproximou e fez um ritual de exorcismo, minutos depois o rapaz foi solto.
Nenhuma autoridade local chamou qualquer espécie de socorro médico ou a viatura de Resgate do Corpo de Bombeiros. A mãe e seus filhos foram refletir sobre o acontecido sob um poste, na companhia do pastor.
Quando foi abordada pela reportagem as primeiras palavras da mãe foi a respeito de sua situação financeira. “Somos pobres moço. Não sei por que isso aconteceu. Ele é doente, precisa de cuidados e não de tapas”, disse enquanto acariciava os cabelos do garoto. “Eles abusaram. Era só chamar por um médico, não tratar ele assim”, reclamou
.
O pastor também reclamou da forma como o rapaz foi “atendido”. “Usaram excesso de violência, isso não era necessário, o mal dele é espiritual. Estamos em um show gospel, com pastores e fiéis, não era necessário esse tipo de atitude, mas sim alguém para tirar o que o possuiu”, garantiu o religioso.

Opinião –
estando o rapaz possuído ou com qualquer tipo de mal de saúde, a situação requeria cuidados especiais. Primeiro pelo garoto ser menor de idade, segundo por sua mãe estar ao lado orientando sobre a situação crítica, de saúde e de classe
social, em que o rapaz vive.

Curiosidade –
Antes de começar o show uma garota teve um desmaio na área vip das festa. O atendimento foi prestado pela segurança do evento e a Polícia Militar. Os policiais a carregaram até a viatura, um funcionário da Secretaria Municipal de Turismo e Lazer ajudou a conter o tráfego de veículos e liberar a passagem para que o tendimento à garota fosse dado adequadamente.


Dia seguinte –
No dia seguinte a reportagem do Grito procurou pelo comandante da Guarda Municipal o ex-bombeiro José Luiz, para falar sobre o assunto, ele foi encontrado entre o público, ao lado do secretário de administração da Prefeitura Municipal Reginaldo Padovani, entretanto ele não quis falar com a reportagem. “Estou a trabalho”, disse.
A reportagem insistiu, mas o comandante recusou dar entrevista.Na seqüência a reportagem falou sobre o assunto com a secretária de Turismo Lúcia Peduti, que classificou o inciden
te como absurdo. O vereador do PT Luiz Rúbio também foi informado sobre o ocorrido, ele orientou a reportagem a levar o assunto ao Secretário Municipal de Segurança, Ricardo Rodrigues.
Vale esclarecer que a reportagem acompanhou o momento em que o rapaz passou pela lateral do palco e foi levado para a rua. As informações referentes ao ataque entre as pessoas do público foram prestadas por testemunhas que acompanhavam o evento. Câmeras do sistema de filmagem e segurança da festa estavam instaladas próximas ao local e podem prestar maiores esclarecimentos sobre o fato.


As mãos do Guarda municipal está segurando o menor de idade contra o solo

Confira a forma como as pernas do garoto estão cruzadas

Mão aperta a cabeça do garoto contra o solo

Segurança do evento afastou os guardas
e chamou o pastor de calças brancas

Em seguida a guarda municipal libera o rapaz
sem prestar atendimento médico


Momento em que chega o pastor e que o rapaz é liberado,
aos fundos é possível ouvir a mãe alertando
que o filho tem problemas de saúde

São Paulo vence Palmeiras e sai na frente na semifinal do Campeonato Paulista

Com uma mão de Adriano, que abriu o placar do Morumbi usando o braço para empurrar a bola para a rede (assista aos gols no vídeo abaixo), e outra mão do trio de arbitragem, que validou o lance, o São Paulo venceu o Palmeiras por 2 a 1 na primeira partida semifinal do Campeonato Paulista. Com o resultado, o Tricolor reverteu a vantagem e poderá, no próximo domingo, jogar por um empate no Palestra Itália para ir à decisão do estadual. O Verdão, por ter conseguido diminuir o prejuízo no final, precisa vencer – por qualquer contagem – para se classificar.
No sábado, a Ponte Preta mostrou força em casa contra o Guaratinguetá na primeira partida da semifinal do Paulistão. Com um gol de Eduardo Arroz, no segundo tempo, a Macaca venceu por 1 a 0, neste sábado à noite, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas. O resultado faz com que a vantagem agora mude para o lado do time de Sérgio Guedes, que joga por um empate no próximo sábado, em Guatinguetá, para passar à mais uma final de Campeonato Estadual em sua história



Veja os gols das seminfinais do Paulistão 2008