fevereiro 23, 2008

Pinho vence prévias e é o candidato a prefeito pelo PT

Por Flávio Fogueral

Waldemar Pereira de Pinho (foto) será o candidato do Partido dos Trabalhadores à Prefeitura de Botucatu, nas eleições de outubro. Seu nome foi ratificado nas prévias que o Diretório Municipal da legenda realizou neste sábado. Pinho obteve 88 votos, contra 65 da ex-coordenadora do Orçamento Participativo, Selma Regina dos Santos e 18 votos do vereador Luiz Carlos Rubio. Ao todo, 172, dos 230 filiados, votaram nas prévias do PT.
Ao todo, Pinho obteve a preferência de 51,16% dos filiados, enquanto Selma teve 38,37% e Luiz Rubio ficou com 10,46% das intenções.
As prévias acontecem em meio a uma das disputas mais acirradas dentro do próprio PT para a sucessão de Mário Ielo. Após o partido entrar em um consenso em 2004 e ter determinado que o atual prefeito novamente disputasse a reeleição junto com Pinho; este ano a história não se repetiu. Dentro do PT surgiram 5 nomes interessados na indicação para a campanha eleitoral: Selma Regina, Waldemar Pinho, Luiz Rubio, além do vereador Lelo Pagani e o coordenador do Procon loca, Renato Caldas. Os dois últimos preferiram abandonar as prévias e apoiar outro pré-candidato.
A movimentação dentro da sede do partido, na Rua Amando de Barros, foi intensa durante todo o sábado. Os pré-candidatos preferiram votar pela manhã e com tiveram um contato maior com os 230 filiados aptos a votar. Até às 11h30, cerca de 90 pessoas já haviam dado seu voto em um dos três nomes dentro da legenda. A votação terminou às 19 horas e a confirmação de Pinho como sendo o candidato a prefeito pelo PT saiu 55 minutos após a apuração.
Pinho se mostrou otimista durante as prévias, mas não descartava cautela, pois havia a chance de que a disputa dentro do PT pudesse encaminhar para um segundo turno, diferentemente do que ocorreu em 2004, quando seu nome foi apenas confirmado como vice na chapa de Mário Ielo. “Naquele momento houve um consenso dentro do partido. A realização destas prévias coloca um dinamismo maior no PT, pois a questão da escolha do candidato passa a ser decidido em comum opinião pelos filiados.”, declara.
Segundo o candidato, após a ratificação de seu nome para encabeçar a legenda, o trabalho agora será formar as bases para a corrida eleitoral, o que inclui a construção de estratégia de campanhas e também a consolidação de apoio com outros partidos que deram base ao governo Ielo. “A partir de agora vou procurar juntamente com o Diretório Municipal definir a nossa tática eleitoral. Além disso, passaremos a pensar no nome para o vice e a formação de nosso plano de governo. Hoje temos mais condições de levar adiante inúmeros projetos que inclusive já começaram na atual administração. E todo este trabalho será construído através de vários debates dentro do partido.”, finaliza Pinho.
A ex-coordenadora do Orçamento Participativo, Selma Regina dos Santos mantinha a expectativa de levar o pleito pelo menos para um segundo turno. Agora com a confirmação do nome de Pinho, pretende trabalhar para a base da campanha do secretário de Saúde.

Opiniões Semelhantes- Pelo menos em um aspecto ambos os pré-candidatos que disputaram a indicação do PT concordaram: as eleições deste ano deverá ser mais concorrida do que a anterior, quando Mário Ielo foi eleito com grande margem de diferença para o segundo colocado. “Contamos com uma avaliação positiva da população botucatuense, mas não será por causa disso que seremos eleitos. Temos que levar um programa de governo que faça o município avançar ainda mais”, destaca Pinho. Já Selma frisa que a possibilidade de uma terceira administração petista tem dois lados em uma mesma moeda: se por um lado houve o ganho de experiência, por outro existiu um desgaste da imagem, o que ela considera normal. “O PT pode ir para sua terceira gestão em Botucatu. Se por um lado ganhamos em experiência, no outro há um desgaste, mesmo com essa grande aprovação por parte da população”, comenta. “Nesses últimos anos também sentimos que surgiram novas lideranças, nomes que podem disputar esta eleição”, complementa Selma.
A mesma visão tem o vereador Lelo Pagani, que era um dos nomes que concorriam à indicação do partido. “Como na administração petista foi implantado um novo sistema de se administrar, com maior participação popular, houve um avanço significativo em Botucatu nos últimos anos. Vemos que com isso outros partidos também querem estar à frente da Prefeitura”, ressalta Pagani que, após a desistência em concorrer pela indicação partidária e manifestar seu apoio a Pinho, deverá tentar a reeleição na Câmara Municipal. “Abri mão de minha candidatura para manifestar meu apoio ao Pinho. Acredito que este seja o momento dele dar continuidade neste trabalho que já realiza na Prefeitura Municipal”, finaliza o parlamentar.

Confira o resultado final das prévias do PT

Total de filiados aptos: 227
Total de votantes: 173

PINHO: 88 VOTOS; 51,16%
LUIZ RÚBIO: 18; 10,46%
SELMA: 65 VOTOS; 38,37%

VOTOS VÁLIDOS: 172
BRANCOS: 0
NULO: 01
TOTAL GERAL: 173



Abaixo imagens das prévias do PT

































































Lívia Almeida: o olhar feminino na publicidade

Por Flávio Fogueral
Entrevista publicada originalmente na edição 80 do Jornal Mulher
O velho ditado diz que a propaganda é a alma do negócio. Realmente, como dizia José Abelardo Barbosa, o Chacrinha, ‘quem não se comunica, se trumbica’. E é a partir desta máxima que se pode definir o trabalho do publicitário. A de fazer com que uma marca ou empresa seja conhecida por seu público e faça parte da preferência dele. Ser um profissional desta área exige criatividade, paixão pelo que faz.
Foi desta forma que Lívia Oliveira Almeida optou por seguir carreira em uma profissão que tem atraído cada vez mais pessoas: a publicidade.
Botucatuense, Lívia é formada em Publicidade e Propaganda pela Universidade Paulista-UNIP, em Bauru, e tem pós graduação em Administração Estratégica, pela Faculdade Marechal Rondon, em São Manuel. Como todo profissional, ela começou a carreira muito antes de cursar uma faculdade. Foi assistente de criação pela Mitake, uma antiga agência publicitária de Botucatu. Logo após montou uma pequena gráfica, a "MiniGrafica", onde fazia cartões de visitas e artes para cartazes.
Decidiu, após se formar, tomar rumo próprio e tem há 8 anos agência própria, a L.Almeida. Em sua carteira de clientes estão empresas tradicionais de Botucatu e região, além de campanhas filantrópicas para a Catedral Metropolitana de Botucatu e a Casa das Meninas. Como confidencia, são estes trabalhos com caráter beneficente que mais a motivam e lhe dão satisfação pessoal.
Assume que é publicitária em tempo integral e mesmo em momento de descanso ou viagem, não deixa de observar e anotar qualquer idéia que possa se tornar uma campanha. Lívia é também praticante de esportes como tênis e também adepta do pára-quedismo. Integrou ainda o Rotary Clube Botucatu Bons Ares e deu aulas de marketing em cursos de pós-graduação da Uninove.
Em entrevista ao Jornal Mulher, Lívia Almeida comenta sobre a escolha de ser publicitária, os desafios que o mercado impõe aos profissionais e a relação da publicidade com as novas mídias, como os telefones celulares e a internet. Para ela, o mercado do interior é muito atrativo, apesar de ser considerado difícil. A propaganda, como Lívia saliente, tem que ser dinâmica. Na conversa, ainda deixou claro que existem diferenças entre criar uma campanha voltada para os públicos masculino e feminino. Salienta ainda que é possível empresas de pequeno porte investirem em marketing, mas que é preciso também se adequarem ao atendimento ao cliente, o que pode ser um dos fatores decisivos entre o sucesso e o fracasso de uma campanha.

Há 11 anos você atua com publicidade. De que forma e também por quê você se interessou por esta área?
Quando fui prestar o vestibular, pensei em cursar arquitetura. Só que eu não queria deixar Botucatu. Depois prestei desenho industrial e passei nas Belas Artes, em São Paulo. Fiz a matrícula, mas não fui e optei por ficar em uma faculdade próxima à cidade. Prestei publicidade na Unip e comecei a cursar. Antes disso fiz estágio no Mitake como assistente de criação e descobri que era isso que eu gostaria de fazer.


O que mais a fascina na publicidade?
É esta questão de você pensar, toda hora, para um tipo de cliente. Cada um é único e não existe uma fórmula. Você pode ter uma estratégia parecida, mas nunca vai usar a mesma coisa para dois clientes, nunca. É como se tivesse várias empresas ao mesmo tempo. Uma agência pensa no geral, mas também atua de maneira diferente para cada cliente.

Há quanto tempo sua agência está no mercado e quais são alguns de seus clientes?
Como L.Almeida, a agência tem oito anos. Comecei com uma gráfica rápida, que era a "Mini-Gráfica", onde eram feitos cartões de visitas e artes de cartazes. Atualmente a agência atende empresas como Casa dos Materiais, Unimed, Autilus, Automix, Lápis e Papel, Provence, entre outras. Faço algumas campanhas filantrópicas para o Rotary Clube, por exemplo, a título de colaboração, assim como na Catedral. Também fizemos a campanha para a Casa das Meninas. O trabalho da agência não se limita a Botucatu, pois já desenvolvi uma identidade corporativa para uma empresa em Mato Grosso do Sul.

Na era da internet, a mídia sofre cada vez uma transformação maior e há uma mesclagem de cada meio de comunicação. De que forma a publicidade vai atuar nesta nova realidade da mídia?
A publicidade tem que ser algo dinâmico. Hoje se uma empresa de publicidade tem uma estrutura somente de agência, não consegue sobreviver. Ela tem que integrar, fazer coisas que o mercado pede. Atualmente não faço apenas um anúncio, mas sim uma estratégia de comunicação. Não há mais somente a agência, é necessário estar em sintonia com tudo, pois a comunicação dentro da empresa é essencial; já que vai desde o atendimento dentro dela até quando se coloca a propaganda na rua.

Qual seria o segredo para que uma campanha publicitária obtenha o sucesso e o resultado esperado pelo cliente?
O segredo é levar a mensagem de uma forma que o público alvo entenda e pelos meios corretos para que ele receba. Por exemplo, se você falar inglês para quem não entende o idioma, essa pessoa não irá assimilar a mensagem. O sucesso de uma campanha é, além de vender uma verdade, levar uma linguagem para que o público compreenda. Outro fator é escolher o meio de comunicação onde esse consumidor em potencial será atingido.

O interior tem atraído o mercado publicitário?
Botucatu é um bom mercado, por exemplo. O mercado no interior é muito difícil, pois as pessoas não têm a postura de valorizar o publicitário, o marketing de uma empresa. Muitos acham que elas mesmas podem fazer uma campanha para divulgar sua marca. Teve um caso em que fui atender um cliente e o mesmo me confidenciou que ele estava contratando uma agência porque havia cansado de fazer toda a divulgação da empresa. É complicado ter que ouvir uma coisa dessas pois as pessoas não dão o devido valor para a importância de se ter uma agência. Muitos acreditam que eles mesmos podem criar uma logomarca; que o sobrinho, por exemplo, desenhou algo bonito e que pode ser usado como divulgação. Qualquer pessoa pode fazer um desenho bonito. Mas a diferença está em saber o porquê daquela cor, desenho, de sua funcionalidade. A função da agência é fazer algo bonito com estratégia e planejamento, que busque o resultado.

Há alguma campanha que ainda deseja fazer?
Na verdade não seria uma campanha. O meu sonho seria poder atender somente entidades filantrópicas. O que mais gosto de fazer são campanhas publicitárias para este tipo de entidades. Gostaria muito de me focar no Terceiro Setor, sem custo algum. Faço sempre que possível. Recentemente tenho feito alguns trabalhos para a Catedral Metropolitana.

Você foi a responsável pela criação de campanhas para a Catedral e também no trabalho de recuperação da Casa das Meninas, logo após o incêndio, em 2004. Como surgiram estes convites e o que representou dedicar-se a estes trabalhos?
Antes de tudo, no caso da Catedral foi porque sou católica. Quando o padre Ânderson viu o logotipo da Apape, que eu também havia feito quando era integrante da diretoria, disse que havia gostado do trabalho. Um dia ele me chamou e disse que queria uma identidade visual para a Catedral. A partir daí passei a fazer vários projetos para eles, como a divulgação da Festa de Sant’Anna. Já a Casa das Meninas foi uma oportunidade, pois conhecia algumas pessoas da diretoria da entidade na época em que ocorreu esse incêndio e nos aproximamos. Acabei por ajudar nessa divulgação, na arrecadação de verba para a reconstrução. Fazer esse tipo de campanha é algo que me realiza.
Muitas empresas, principalmente as pequenas, ainda têm medo de investir em propaganda. No entanto, há uma necessidade delas divulgarem suas marcas. Há como ter uma boa campanha a um custo acessível ? E qual o pior tipo de propaganda que uma empresa possa ter?
Sim, é possível ter uma campanha investindo conforme o orçamento delas. A propaganda é um investimento, desde que feito da maneira correta, e não mais um custo. Tenho um cliente que começou com uma verba que limitava a sua atuação: ou ele fazia rádio, jornal, ou folhetos e outdoors. Hoje, esse mesmo empresário faz em um só mês televisão, mídia impressa e está como anunciante em três emissoras de rádio. Além disso, opta por uma mídia diferente para investir. O maior pecado que uma empresa possa ter é achar que sozinha ela consegue fazer o marketing dela. É achar que o bonito vai trazer resultados. Não é essa a realidade. O que realmente vai ter efeito é aquilo pensado, planejado e direcionado da forma correta. Por isso que muitas pessoas acham que não têm o retorno esperado com a propaganda. Para se obter o resultado desejado é algo muito complexo. A propaganda lhe mostra ao mercado, conquista o seu cliente e ele vem; mas se for mal atendido, perdeu a venda por causa do atendimento. A função da propaganda é trazer o consumidor até você; mas a partir do momento em que ele vem até a sua empresa, depende da parte interna, de quem vai lidar com esse cliente.
Muitas propagandas, voltadas ao público masculino, seguem lugares-comuns para transmitirem a mensagem. No entanto, vemos que os anúncios voltados às mulheres já são melhores trabalhados. O que é mais difícil, criar uma campanha publicitária que atinja os homens ou as mulheres?
Na minha concepção é mais difícil fazer um anúncio para as mulheres. O público masculino já tem alguns ícones que são colocados e na hora chamam a atenção. Já para elas não acontece desta forma, é muito diversificado, principalmente porque hoje é diferente do que eram há algumas décadas. Talvez a única diferença que ambos tenham seja o sexo, o feminino e o masculino, pois a mulher está muito próxima do homem, não há mais aquela coisa de dona-de-casa, de alguém para passar a roupa. É a mulher que vai comprar, escolher o próprio carro, por exemplo. Inclusive é ela quem decide qual modelo o marido vai comprar. O perfil da mulher é mais abrangente. Tem alguns ícones que são chaves para chamar a atenção do homem, mas para o público feminino é algo mais diversificado, não há um padrão.

Quais são os publicitários e quais campanhas se espelha o seu trabalho?
Gosto muito das propagandas do Washington Olivetto, de alguns ícones da publicidade. Geralmente me atraem alguns trabalhos mais limpos, nada muito poluído, mas com a mensagem direta. Em termos de publicidade acho fantástica a propaganda das Havainas, a nova campanha da Fiat, que mexe com a questão social, da inclusão de pessoas, em que falam sobre a mudança de conceito. A Bombril também me agrada a sua divulgação e é algo engraçado, pois a empresa aliou o personagem e ele praticamente é o produto. Tentaram separar, mas não deu para desvincular. Quando se fala em Carlos Moreno (ator que faz a campanha da marca de palha de aço há mais de 20 anos) é Bombril.

Qual será o futuro da publicidade com esse desenvolvimento rápido dos meios de comunicação?
O futuro, principalmente, serão veículos virtuais como internet, celulares, entre outros meios. Muito da propaganda se dará por estes meios, pois a tecnologia avança cada vez mais. E a publicidade tem que acompanhar o mercado, ou você chega onde está o consumidor, ou não vende. A geração mais jovem, de consumidores em potencial, é completamente tecnológica. E a propaganda tem que descobrir os novos meios de comunicação, achar oportunidades que estão no que acontece com o mercado. Conforme o ele muda, as agências têm que ser mais criativas, fazer algo diferente.

Atualmente você dá aula em uma faculdade local na área de marketing. Há um interesse maior dos alunos por esta área?
As pessoas gostam muito do marketing. Pelo que percebi nas aulas, ele é algo que brilha, a ‘menina dos olhos’ e fascina as pessoas. Por isso que muitos acham que sabem fazer uma campanha. Levei muitos filmes, fiz estudos de casos, foram aulas dinâmicas e isso os alunos gostaram muito. Hoje a disciplina marketing tem em quase todos os cursos universitários. Quando terminei minha pós-graduação, minha monografia era uma comparação e abordava esse interesse maior, pois o marketing é tão importante quanto o departamento financeiro e tornou-se parte fundamental dentro de qualquer empresa. E a agência vem a pensar, de forma global, não mais apenas para levar a mensagem, mas sim apensar na empresa como um todo.

O que Lívia Almeida costuma fazer quando sai da agência ou não está envolvida com alguma campanha?
Posso dizer que sou completamente publicitária. Quando saio da agência é difícil desligar-me totalmente dela. Às vezes estou dormindo, acordo e tenho que escrever aquela idéia; ou estar na praia e tenho que anotar qualquer sugestão que possa virar uma arte. Sou 100% publicitária. Não adianta, é algo que vem de mim. Amo minha profissão e é difícil separar da parte pessoal. Mas gosto de jogar tênis, inclusive já participei de campeonatos. Geralmente uso meus momentos de descanso para ajudar na igreja, no TLC (Treinamento de Liderança Cristã), o qual faço parte e é um movimento que prezo muito. Gosto muito do Rotary Clube Bons Ares, apesar de estar afastada. Não consigo ficar parada. Adoro saltar de pára-quedas, inclusive já saltei três vezes e isso era um sonho que tinha.

Caso não fosse publicitária, o que seria profissionalmente?
Seria publicitária.

Daniel participa de jogo decisivo neste domingo

Secretaria Municipal de Comunicação - Botucatu

O cantor Daniel estará no próximo domingo, dia 24 de fevereiro, em Botucatu, para participar do jogo que decide a 7ª Copa Laércio Policastro de Futebol Veteranos. Daniel defende as cores do Botucatu Fazendo Caridade, que vai enfrentar a AA Botucatuense/Serralheria São Luis.
A partida será marcada pela solidariedade, pois o torcedor terá a oportunidade de ajudar os menos favorecidos, trocando dois quilos de alimentos não perecíveis por um ingresso. Durante o jogo diversos brindes serão sorteados entre as pessoas que portarem o ingresso.
A decisão está marcada para as 15h30, no Estádio Doutor Acrísio Paes Cruz - Ferroviária. No jogo preliminar, às 13 horas, a Associação Atlética Ferroviária vai decidir o terceiro lugar da competição contra o Dinamite Futebol Clube.
Neste sábado os ingressos poderão ser trocados na Associação Atlética Ferroviária, Associação Atlética Botucatuense e na ACE/CDL. No domingo a troca somente será feita na Associação Atlética Ferroviária. Todo alimento arrecadado será encaminhado para o Fundo Social de Solidariedade.
Durante o jogo os torcedores vão concorrer a diversos brindes, entre eles, bicicletas, uma TV de 29 polegadas, três aparelhos de DVD, uma geladeira, um fogão e um forno microondas.
Os brindes foram doados por várias empresas e entidades, como Eletrônica Jamas, Associação Atlética Botucatuense, Casa Pincelli, Serralheria São Luis, Copical Tintas, Farmácia São Bento, Eletro Casagrande, A Libanesa, Comercial B&B, Areia Rays, Eletro Beraldo, ACE/CDL, Empresa Auto Ônibus Botucatu, ME Cartuchos, Quitanda Dona Marina, Depósito de Bebidas Osmaraja, Prodive, Auto Peças Berimbau, Transportadora Aquarium, Rebram, Sindicato dos Empregados do Comércio de Botucatu e Gold Silver.
O evento conta com apoio da ACE/CDL e da Gráfica Igral. A realização é da Prefeitura de Botucatu, através da Secretaria de Esportes e Fundo Social de Solidariedade, HRP e Associação Atlética Ferroviária.

Prefeitura de Botucatu assina convênio para criação da Escola de Capacitação em Serviços Turísticos

Secretaria Municipal de Comunicação - Botucatu

O prefeito de Botucatu, Antonio Mário Ielo, assinou na tarde desta sexta-feira, 22 de fevereiro, um convênio com o SINHORES - Sindicato de Hotéis, Bares, Restaurantes e Similares e FHORESP - Federação dos Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares, para a criação de uma Escola de Capacitação em Serviços Turísticos.
Participaram do encontro, o prefeito Antonio Mario Ielo, a secretária de Turismo Lúcia Pedutti, a secretária de Assistência Social Sônia Maria Del GáudioTorrecillas, empresários do ramo de restaurantes e hotéis da cidade e ministrantes das aulas referentes aos cursos oferecidos.
O objetivo da escola, através dos cursos, é valorizar o profissional. “Nosso foco é mostrar que o trabalho realizado com alegria, prazer e também com muito profissionalismo obtém resultados mais positivos”, comentou o presidente do SINHORES, Roberto Vasconcelos.
O prefeito destacou a importância do convênio para Botucatu. “Nós temos pontos turísticos e essa aptidão para receber muito bem os turistas em nossa cidade, só está faltando mesmo o profissionalismo que esse curso estará abordando”, explicou.

Obra de ligação do Setor Leste e Sul vai custar mais de R$ 1,2 milhão

Secretaria Municipal de Comunicação - Botucatu

A obra de abertura da rua que vai ligar o Setor Sul e Leste da cidade vai
custar mais de R$ 1,2 milhão aos cofres do município. A obra beneficia, principalmente a população dos Conjuntos Habitacionais Clemente Jorge Roncari, Doutor Antonio Delmanto, Roque Ortiz Filho, Joaquim Vernini e Leandro Alarcão Dias.
A ligação parte da Avenida Rafael Serra, que passa atrás do Ginásio de Esportes e ch
ega até a Estrada Municipal, seqüência da Rua Roberto Sidney Bueno. A obra beneficia ainda a população de toda região do Jardim Peabiru e Brasil, no Setor Leste e Lavapés, Vila Cidade Jardim e Conjunto Habitacional Humberto Popolo, no Setor Sul, além de todos os bairros da região. Aproveitando as condições do tempo, a Prefeitura aumentou o contingente de homens, maquinas e caminhões no trabalho de preparação da rua. Para que isso ocorresse a Secretaria de Obras interditou a via para o trânsito de veículos.
Estão sendo utilizadas, cinco máquinas, duas motos niveladoras e três pás carregadeiras, além de diversos caminhões. “Dependendo das condições do tempo, nós vamos trabalhar no final de semana. Devemos inclusive, aumentar o número de equipamentos no local”, disse o secretário de Obras, Rubens Bicudo.
Nesse início das obras, a Prefeitura está realizando o corte no barranco para fazer a abertura e nivelamento da rua e a construção das guias. “Nós conseguimos a autorização da proprietária da fazenda para cortarmos o barranco e fazer a abertura. Nesse primeiro momento o movimento de máquinas e caminhões no local será bastante intenso”, comentou o secretário.
O secretário comenta ainda, que a Prefeitura deverá asfaltar alguns quarteirões que ainda esperam a benfeitoria. “Existem alguns quarteirões, principalmente próximo à escola, à creche e ao centro comunitário que ainda não contam com o asfalto. Vamos completar esse trabalho”.
O asfaltamento da Avenida Rafael Serra é demanda do Orçamento Participativo que já estava no cronograma. “Como a obra estava prevista para ser realizada neste ano, a administração resolveu fazer a interligação dos dois setores. Além de ser muito aguardada pelos moradores, a interligação vai aliviar o intenso movimento de veículos das Ruas Curuzu e Amando de Barros”, finalizou o secretário.
Galerias – Para completar a interligação, a Prefeitura vai construir galerias de águas pluviais. Na Rua Sidney Bueno a obra já foi concluída. Foram construídos aproximadamente 1.000 ml. O próximo passo será a construção de cerca de 350 ml de galerias na Rua José Freire Villas Boas. Essas obras deverão custar R$ 472.500,00. Números – O investimento total nessa interligação vai ser de cerca de R$ 1.260.000,00. Somente em pavimentação asfáltica a avaliação é que serão gastos, R$ 673.155,00. As galeiras de águas pluviais vão consumir R$ 472.500,00, enquanto que a construção de guias e sarjetas está avaliada em R$ 120.000,00. Local Guias/ml Asfalto Avenida Rafael Serra 1.000,00 7.250,00 m² José Freire Villas Boas 104,00 343,20 m² Roberto Sidney Bueno 1.010,00 4.040,00 m² até Vicente Garavelo Estrada [da Av. Rafael Serra 700,00 2.800,00 m² até Estrada da Usina Indiana] Estrada [da entrada da Usina 1.200,00 4.800,00 m² Indiana até Comerciários IV] Total – 4.014 ml de guias e 19.233,20 m² de asfalto.

Campeonato Sub-21 reunirá 13 equipes

Treze equipes disputarão a 7ª edição do Campeonato Botucatuense de Futebol Sub-21, que será promovido pela Secretaria Municipal de Esportes e organizado pela Associação Botucatuense de Futebol Sub-21.
As equipes foram divididas em três grupos. No grupo 'A' estão Dinamite FC [atual campeão], Paraná FC, Arco Íris Pintura FC e EC Rubião Júnior/EC Inca. Fazem parte do grupo 'B' Unidos de Botucatu, Galo da Madrugada, Trivial FC e SC Independente [Bofete]. O grupo 'C' está formado por Bilher Materiais para Construção, Monte Mor FC, Pardinho FC, Beira Rio FC e SC Marajoara.
De acordo com o regulamento da competição, as duas primeiras equipes de cada chave avançam à fase seguinte. A competição deverá ter início no dia 2 de março, com jogos realizados no Estádio Municipal Professor João Roberto Pilan e Estádio do Sete de Setembro FC.

Carnês de IPTU e ISS devem ser retirados na Prefeitura a partir de segunda-feira

Secretaria Municipal de Comunicação - Botucatu

A Prefeitura de Botucatu comunica que os carnês de IPTU - Imposto Predial Territorial Urbano e ISS - Imposto Sobre Serviços, não recebidos nas residências pelos contribuintes, devem ser retirados no Setor de Fiscalização de Renda a partir desta segunda-feira, dia 25 de fevereiro.
Quando o contribuinte retirar o carnê na Prefeitura, terá uma nova data para o primeiro pagamento. “A partir do momento que o carnê for retirado, o contribuinte terá dez dias para efetuar o pagamento”, explicou Cleide Parré, chefe de divisão da receita.
Para facilitar e agilizar o processo de retirada, a orientação é para que o contribuinte compareça ao Setor de Fiscalização munidos de um carnê anterior.

Botucatu vence e está na 3ª fase da Copa Record de Futsal Feminino

Secretaria Municipal de Comunicação - Botucatu

O futsal feminino botucatuense, representado pelas jogadoras do Botucatu/Prefeitura, entrou em quadra na noite de quinta-feira, 21 de fevereiro, em jogo válido pela 2ª fase da Copa Record.
A partida, realizada na cidade de Pratânia, terminou com a vitória de Botucatu sobre a representação de Barra Bonita por 4 a 2. Os gols foram marcados por Michelle [2], Wérica e Cubana.
Com o resultado positivo, a equipe comandada por Edson Castro ficou com a primeira colocação da chave 17, composta ainda por Arandu, e garantiu vaga para a seqüência da competição, que será disputada em forma de mata-mata.
O time botucatuense volta às quadras na próxima terça-feira, 26 de fevereiro, para o confronto diante de Jaú. O duelo está marcado para o Ginásio Municipal de Aparecida, distrito de São Manuel, às 20 horas.
Campanha – Botucatu segue invicto na Copa Record de Futsal Feminino, com 100% de aproveitamento nas quatro partidas disputadas.
Na estréia derrotou Potunduva por 8 a 0 e goleou Avaré por 9 a 2, em duelos válidos pela fase inicial do torneio. Já na 2ª fase, venceu Arandu atuando na casa das adversárias por 3 a 2, e conquistou uma vaga para a 3ª fase após vitória sobre Barra Bonita.
Apoio – O Botucatu/Prefeitura conta com o apoio da Unifac, Pão de Açúcar, Academia Mistic Center, Quitanda do Cláudio, Quitanda do Marinho, Vale do Sol, Microcamp, Cebrac, Diário da Serra e Associação Atlética Ferroviária.

.


Pavão woman

Caro leitor, em uma dessas frias madrugadas de verão (, hoje em dia isso é completamente normal..) a vida me pregou uma peça.
Meus pais saíram, trancaram a casa e eu continuei a me arrumar no meu quarto.
Confesso que tenho a feia mania de me pintar como um índio (feia por não sê-lo).É um tal de olhos bem contornados,bochechas a lá Europa,boca brilhando...Enfim um pavão!
Até esse ponto tudo bem, afinal quase todas as mulheres são "pavoas".
Minha companhia me ligou avisando que já estava a minha espera, e afobada,tratei de terminar a minha maquillage e ir ao encontro de um grande amigo.
Peguei a minha bolsa, fui até a porta mas... CADE a chave?Ah!Quer revolta maior que essa?Meus pais haviam saído e trancado a casa.Eu com um encontro marcado e ...PRESA!!
Destrambelhada, saí a procura da tal chave perdida por todos os cantos, mas nem São Longuinho me ajudou.
Liguei para minha avó, sozinha,já não conseguia pensar em nada.Aquela sensação de perda da liberdade estava me correndo por dentro, já não aguentava mais aquela aflição quando minha a calmamente me respondeu: -, e porquê você não saiu pela outra porta?
Pensei:"Meu Deus que ideia brilhante!", e meu instinto "pavão de ser" logo desapareceu e eu me senti uma anta envergonhada...
No fim não me atrasei, matei a saudade de um grande amigo que há tempos não via e no final, depois de culpar a TODOS pelo misterioso sumiço da chave, minha mãe a encontrou caída em baixo da cama...
Moral da história?Somos pavões e pavoas "reis" que achamos muito mais fácil culpar os outros pelo sumiço de uma chave, pela dor de um amor perdido, uma lágrima e até mesmo um desafeto.Mas voltando a ser "pavoa rei", a culpa disso tudo é esse medíocre instinto humano de sempre possuir a verdade...