dezembro 26, 2007

Camila Finn: a top que conquistou o mundo

Texto/foto - Flávio Fogueral
entrevista originalmente publicada no Jornal Mulher

A história de Camila Finn pode ser considerada como um conto de fadas. Em poucos anos, de forma meteórica, passou de uma menina simples no interior a uma das mais bem pagas e requisitadas top models de todo o mundo.
Descoberta pela proprietária de uma agência de modelos no ano de 2002, enquanto fazia compras com a mãe, foi somente no começo de 2004 que a família da modelo, tendo a mãe ainda um tanto quanto relutante, a encaminhou para a agência, quando então foi inscrita no concurso Super Models of The World. Ela foi a primeira brasileira a vencer a etapa mundial da disputa, considerado uma das maiores vitrines para os novos talentos no mundo da moda. Com a conquista abriram-se portas e o contrato com uma grande agência de modelos, a Ford. Sua rotina então passou a ser de glamour e cobranças. Atualmente mora em Nova York, junto com o pai, que a auxilia e é um dos que administram a carreira da modelo.
Após completar 16 anos em outubro, Camila poderá desfilar no São Paulo Fashion Week, em 2008. A organização do evento determinou que modelos abaixo desta idade sejam impedidas de entrarem nas passarelas, devido a casos de anorexia entre as modelos. Medida esta que a botucatuense aprova.
Simples, Camila participou recentemente de um desfile beneficente em Botucatu. Esteve ao lado da família e de amigos, os quais matava a saudade através da internet, um ‘vício’ assumido por ela mesma. E é dentro da rede mundial de computadores que a modelo se diverte, mantém um canal de comunicação dos fãs, onde posta fotos e mensagens. Com jeito ainda de menina, adora ler poemas e visitar websites de jogos.
Alguns projetos ainda aguardam a top model para 2008. Ainda sem confirmação, Camila negocia para a campanha de uma marca mundial de produtos para beleza. Além disso, a participação no São Paulo Fashion Week e mais alguns eventos pelo mundo todo deverão ter a presença da bela e ilustre botucatuense.
Abaixo, segue a entrevista que Camila Finn concedeu ao Jornal Mulher, em meio a preparação para mais um desfile que ela participou juntamente com o ator Domingos Meira. Entusiasmada com o fato de pisar, pela primeira vez em uma passarela em sua cidade natal, a modelo não perdeu o bom humor e se autodefiniu ainda como uma ‘moleca’, mas também alguém que amadureceu muito rápido com sua trajetória. Não deixou de comentar as comparações que a imprensa especializada faz entre ela e a top model Gisele Bündchen, onde colocam a botucatuense como sua substituta.
Dois anos após a conquista do Ford Models, sua vida mudou completamente, desde a assinatura de um contrato com uma grande agência e despontou para o mundo da moda. Mas, internamente, quais foram as principais mudanças na Camila Finn?
Muita coisa mudou. Um pouco do meu jeito, da maneira como me comportava antes e como estou hoje em dia, acredito que sofreu mudança. Atualmente sou um pouco mais vaidosa, entre muitos outros aspectos. Antes era uma moleca. O jeito que eu pensava, que via as coisas, isso foi o que mais mudou em mim. Tenho 16 anos e encarar uma carreira como a de modelo, te faz amadurecer mais rápido. É uma coisa que você abandona muito rápido, as suas bases, e passa a partir dos 13 anos a usar salto alto, começa a trabalhar, a ganhar dinheiro e mostrar a todos quem realmente você é.
O que pensava para seu futuro antes de ser modelo? Quais eram seus planos?
Antes de tudo isso acontecer, pensava em ser veterinária. Na verdade, sempre gostei muito do mundo da informática, tinha esse desejo também de fazer uma faculdade de Ciências da Computação. Não tenho mais essa pretensão. Sinto que mais para o futuro pretendo estudar psicologia.
Por causa da carreira, você se mudou para Nova York, uma das capitais mundiais da moda. O que costuma fazer na ‘Big Apple’ quando não está na passarela ou em uma sessão de fotos?
Geralmente fico em casa, na internet.
Em uma recente entrevista, você se declarou como uma ‘viciada’ em internet...
Sim, fico bastante na internet. Uso muito o MSN (comunicador de mensagens instantâneas) e falo muito com minha mãe, meus amigos. Uso muito o Skype também. Com relação a sites de internet, procuro um pouco de tudo, pois tenho um Flog (site onde se pode publicar fotos e mensagens), gosto muito de site de jogos e às vezes acesso algumas páginas onde se tem poesias.
Por causa dos problemas que envolveram casos de anorexia no mundo da moda, determinou-se que menores de 16 anos não poderiam desfilar no Brasil. Você foi um desses casos, sendo que apenas agora você tem permissão para subir nas passarelas brasileiras. Qual sua posição com relação a essa determinação?
Sou a favor do impedir que menores de 16 anos sejam proibidos de desfilar porque há muita menina nova. Comecei com 13 anos e se alguém com essa idade chegasse para mim hoje e dissesse que gostaria de ser modelo, falaria para ela ir brincar de boneca. Há muitas meninas novas que querem entrar nesse mundo.
De que forma você lida com a exigência cada vez crescente dentro do mundo da moda em que as modelos precisam estar com o físico perfeito?
Quem me controla bastante com relação a alimentação é meu pai. Por ser magra, posso comer de tudo. Sei que como estou hoje estou bem. Mas conheço modelos, meninas, que são fissuradas e que têm medo de engordar e são muito magras. Conversamos com elas sobre isso. É um absurdo a situação, que chega até mesmo a ficar com dó por essa situação, elas se prendem a esse objetivo de continuarem magras.
Ser magra se tornou uma obsessão para as modelos?
Sim, pois às vezes os ‘bookers’, que são as pessoas das agências, colocam mal essa exigência. Por mais que eu seja magra hoje com meu biotipo, mas se eu tiver com 92 cm de quadril, vão falar que você está gorda. Para as pessoas que estão fora da moda, gorda é alguém muito acima do peso. Mas para quem está no mundo da moda, ter dois centímetros a mais de quadril, a pessoa já é considerada como gorda. Devido as pessoas se expressarem mal, pode agravar essa exigência e também pode provocar um pouco os casos de anorexia entre as modelos.
Após dois anos, finalmente você pôde pisar em uma passarela em Botucatu, sua cidade natal...
Fiquei feliz em participar de um evento beneficente que teve e poder desfilar em Botucatu pela primeira vez. Foi um momento especial estar com a Malu (Ornellas, que descobriu Camila ao passear pela Rua Amando de Barros).É prazeroso estar aqui sempre.
A imprensa especializada em moda e todo o mundo que gira em torno da beleza a comparam com Gisele Bundchen e chegam inclusive a lhe colocar como sua substituta. Tais conversas ainda existem e é algo que lhe incomoda? Como você lida com os boatos e fofocas dentro de sua profissão?
É uma grande honra uma modelo hoje ser comparada com a Gisele. Acho que ser a substituta dela é algo bem improvável. Ela seguiu a carreira dela e conquistou todos os momentos e as coisas que somente ela consegue.
Há alguns meses você declarou que Paris, considerada como a capital mundial da moda, é um dos locais que não gostou de conhecer. Por quê?
Eu tinha 13 anos quando fui para Paris. Era muito nova e não tinha um corpo legal, quadril, não tinha quase feito muitos desfiles por lá. Isso me deixava constrangida. Além disso, há também a restrição de não poder desfilar sendo menor de 16 anos. Os melhores desfiles são sempre depois das 20 horas e geralmente aos finais de semana e eu não podia fazer. Geralmente não ia muito bem nas coleções de Paris por causa disso, por ser muito nova e ter um corpo pequeno. Mas a cidade é linda, mas brinco que sofri uma rejeição da parte deles. Fiquei um pouco de fora do contexto do que querem.
Qual seria, então,a cidade que mais lhe agradou em todos os contextos?
Nova York. Moro lá e é algo maravilhoso. Nunca imaginei que fosse para lá,muito menos morar lá.
Das modelos que conheceu, em qual você se espelha mais e admira como profissional?
São muitas as modelos. Tenho muita amizade neste meio, por mais que falem que modelos não têm amizade, vejo o contrário. Tanto com as brasileiras quanto as estrangeiras, todas são amigas. Aqui no Brasil me espelho e é muita inha amiga é a Bárbara Berger. Uma vez que meu pai não pôde ficar no desfile comigo, ele pediu a Bárbara que cuidasse de mim. Tivemos um entrosamento muito grande. Mas tem outras modelos também que me espelho. Temos até um grupo, que chamamos de ‘As Manas’, mas quase nunca nos vemos; somente quando desfilamos. Pois quando estou aqui no Brasil, a outra está no Japão, a outra na Grécia e outra em Paris.
Tudo que lhe aconteceu nestes três anos em sua vida, desde sua descoberta até a consolidação da sua carreira, pode ser considerado ainda como um ‘conto de fadas’?
Hoje sei que estou trabalhando, onde estou e o que faço. Às vezes demora para acreditar ainda em tudo o que aconteceu. Alguns anos atrás estava em Botucatu, brincava de boneca com minhas amigas e hoje estou desfilando, fazendo sessões de fotos. Enfim, sou uma modelo. Até meses atrás estava no ranking das 50 melhores modelos do mundo. É algo que faz você parar e pensar se isso é real ainda.
Como faz para matar a saudade de Botucatu, dos amigos, da família? O que costuma fazer quando está de passagem pela cidade?
Na parte física, somente quando volto para cá. Geralmente volto para fazer algum trabalho no Brasil, nas férias, quando é meu aniversário. Vou bastante ao Lageado, andar de bicicleta com meus amigos. ou uma pessoa muito caseira, não costumo sair muito.
Quais os próximos trabalhos ou projetos que terão a sua participação? O que espera para 2008?
Não tenho nada programado ainda. Estou esperando chamar para algumas campanhas, mas ainda não há nada certo. Pretendo o ano que vem participar do São Paulo Fashion Week, já que fiquei um ano longe e sentirei um pouco um gostinho de vitória.
Qual o momento inesquecível para você na passarela e qual gafe que prefere esquecer?
O momento inesquecível foi quando abri o desfile da Channel no Japão. Aquele que lembro e dou risada foi quando caí, bem na boca de cena da passarela, que era de madeira.
Seu ídolo...
Avril Lavigne.
Uma atriz...
Fernanda Lima.
Um ator...
Daniel Radcliffe.
Uma música...
Far Away”, Nickelback
Uma banda...
Simple Plain
Se pudesse trocar de lugar por um dia com alguém, quem seria...
Minha irmã
Botucatu para você...
Minha cidade, meu passado. É o meu bauzinho.
A Camila por ela mesma...
É uma moleca.



Imprensa de Botucatu em campeonato Internacional de truco

Por Géro Bonini

Na próxima sexta-feira, 28, acontecerá o 1º Campeonato Internacional de Truco da Imprensa Botucatuense.

A partir das 20horas, na Rádio Emissora de Botucatu (PRF-8), membros da imprensa de Botucatu formarão duplas para a competição.

Os organizadores do evento, Sheila Adriana (PRF-8), Anderson França (Criativa FM) e Thiago Lucas (Rádio Clube FM) explicaram o objetivo do evento. “Na verdade será uma grande festa de confraternização. Após o campeonato acontecerá um churrasco, onde poderemos rever os amigos, contar histórias, piadas, lembrar das gafes e muito mais”, disse Thiago Lucas.

O valor da inscrição é de R$ 10 reais. “Todas as pessoas ligadas a imprensa de Botucatu estão convidados”, avisou Anderson França.

Os vencedores do 1º Campeonato Internacional de Truco da Imprensa Botucatuense serão premiados pela Secretaria Municipal de Esportes de Botucatu.

Thiago Lucas explicou o motivo de o campeonato receber o nome de Internacional. “Isso se deve pelo nível dos jogadores de truco da imprensa, todos falam que já disputaram competições internacionais e são campeões. Todos são bons, pelo menos para contar histórias”, brincou o locutor.




Jardim Brasil será palco das apresentações do projeto “Talentos da Nossa Cidade"

Secretaria Municipal de Comunicação - Botucatu

No próximo sábado, 29 de dezembro, às 20 horas, a Praça China Mel, no Jardim Brasil, receberá as apresentações musicais do projeto “Talentos da Nossa Cidade”. Todos estão convidados a participar.
O projeto itinerante tem por objetivo manter a tradição da música Caipira, valorizando e incentivando os artistas da nossa terra. A idealização fica a cargo do músico Ramiro Viola e alcançará diferentes localidades do município.
Todos os artistas que farão parte dos shows foram pré-selecionados por apresentarem um perfil condizente com as características do evento. Nesta ocasião, a programação do evento contará com as duplas Zé Viola & Graziela, Luiz Roberto & Garcia, Augusto & Gustavo e Régis & Reginaldo.
O projeto “Talentos da Nossa Cidade” tem o apoio da Prefeitura de Botucatu, Rádio PRF-8 e Transportadora Aquariun. Confira abaixo o cronograma e os artistas que participarão das próximas apresentações:

Dia 05 de janeiro – Jardim Paraíso – Perto do Bar do Pescador
Samuel & Amigos.
Rodrigo & Rodolfo.
Rio Bonito & Taquarí
Áureo & Pedrinho

Dia 12 de janeiro - Praça da Matriz - Distrito de Vitoriana
Cristino Oliveira
Marcos & Maurilio
Bily & Bêne
Caroline
Alan & Daniel

Dia 19 de janeiro – Distrito de Rubião Júnior – Próximo ao Museu do Boiadeiro
Luiz Roberto & Garcia
Rio Bonito & Taquarí
Ramiro Vióla & Pardini
Carreiro & Pardinho Filho




Inscrições para “Férias na Biblioteca” terminam nesta sexta-feira

Secretaria Municipal de Comunicação - Botucatu

A Biblioteca Municipal “Emílio Pedutti” promove a partir do dia 03 de janeiro, atividades para crianças entre 8 e 10 anos, com o objetivo de oferecer mais uma opção de lazer nas férias.
O evento “Férias na Biblioteca” conta com o apoio da Secretaria Municipal de Cultura e será realizado todas as terças e quintas-feiras do mês, no período da tarde, das 13h30 às 16h30. Dentre as atrações, haverá contação de história, oficinas de bonecos, jogos, brincadeiras e exibição de filmes.
As inscrições para os interessados estão abertas e podem ser feitas gratuitamente até sexta-feira, dia 28 de dezembro, nas dependências da própria Biblioteca, no horário de atendimento ao público de segunda a sexta-feira, das 8 horas às 17 horas.
A Biblioteca Municipal “Emilio Pedutti” está localizada à Rua João Passos, 808, Centro. Mais informações podem ser obtidas através do telefone 3882-9636.



Lei sobre regularização de desdobramento de lote e de obra clandestina já está em vigor

Secretaria Municipal de comunicação - Botucatu

A Prefeitura de Botucatu, através da Secretaria Municipal de Planejamento, comunica que a Lei nº 4.855, que dispõe sobre a regularização de desdobramento de lote e de obra clandestina, já está em vigor.
Os lotes de terrenos localizados nas zonas de uso constantes na Lei nº 3.899, de 9 de junho de 1999, Z2 a Z6 e ZCR-1 a ZCR-7, com área superior a 125 metros quadrados e com testada igual ou superior a 5 metros, que já se encontram desdobrados de fato, poderão ser regularizados após parecer da Secretaria Municipal de Planejamento e respeitadas as restrições convencionais registradas no cartório competente.
Segundo a lei, as construções existentes na zona urbana no município de Botucatu, clandestinas ou cujas dimensões e áreas estejam em desacordo com as especificações da Lei nº 3.899/99 e 2.482/85, em condições de habite-se na data do protocolo do requerimento, também poderão ser regularizadas e terem expedidos os correspondentes certificados de regularidade.
O prazo para regularização é até o dia 27 de fevereiro de 2008. Os proprietários de lotes e de construções clandestinas deverão procurar a DIPROURB, que fica no prédio da Prefeitura de Botucatu, para entrega da documentação exigida na Lei. O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8 às 10h30 e das 13 às 17 horas.
A Lei completa pode ser consultada no site www.botucatu.sp.gov.br, em Leis e Decretos.