dezembro 02, 2007

Crise ameaça a Casa Santos Anjos

Renato Fernandes

Os administradores da Casa Santos Anjos, Jair de Moraes e Adriana Moraes, estão preocupados com a entidade que presta assistência aos moradores de rua, fornecendo alimentação, encaminhamento a clínicas de tratamento no trabalho de resgate dessas pessoas para as suas famílias.
Jair explica que atualmente a entidade está com uma dívida de R$ 1.254,26, referentes ao aluguel, água, luz e telefone.“Nunca atrasamos o aluguel e esse mês as dificuldades impossibilitaram esse pagamento”, reclama.
Para conseguir equilibrar as finanças a entidade estuda a possibilidade de se desligar da Fraternidade Sagrado Coração, de São Manuel.
“Para conseguirmos recursos dos botucatuenses e tentar uma parceria com o poder público temos que fundar uma associação local”, explica Jair.
Um grupo de trabalho já foi montado para estruturar a nossa entidade, que passará a se chamar Associação Santos Anjos.
“Esse processo também vai ter custos, apenas o registro fica em R$ 600. Não estamos com dificuldades com a alimentação a nossa maior preocupação no momento é com as despesas básicas”, acrescenta Jair.
Adriana teme que a entidade seja obrigada a deixar de atuar no município. “Temos fé em Deus e vamos trabalhar para que isso não aconteça, mas o risco de fecharmos as portas realmente existe. Estamos passando por uma provação e tenho confiança de que até o Natal tenhamos conseguido vencer essa etapa”, disse.
O cálculo do grupo responsável pela criação da nova associação estima que para sanar as dívidas e arcar com as despesas de fundação da entidade são necessários algo em torno de R$ 3 mil.
“Não sabemos o que fazer. Pedimos aos empresários e à população que puder nos ajudar que venham nos visitar, no horário de almoço para entender o nosso trabalho”, disse Adriana.
Além de fornecer alimentação aos moradores de rua, a Casa Santos Anjos reserva um dia da semana para que a pessoas assistidas tomem um banho e busca através de contato com as famílias dessas pessoas a recolocação social do indivíduo.
“Temos casos de pessoas que antes morava na rua a acabaram arrumando emprego após conhecer a entidade. Enquanto estávamos filiados a São Manuel contávamos com o encaminhamento dos doentes a uma entidade de lá. Agora, com essa provável separação estamos planejando estruturar uma equipe de voluntários, com enfermeiros, psicólogo e outros profissionais”, explica Jair.
A Casa Santos Anjos fica na Rua Expedicionário Almiro Bernardes, nº 390, vila Maria. Informações pelo telefone: (14)3814-1593.

Campanha Papai Noel dos Correios já começou

Renato Fernandes

Aproximadamente 200 cartas de famílias e crianças carentes já estão disponíveis para a população interessada em adotá-las e atender o pedido destinado inicialmente ao Papai Noel.
Segundo a auxiliar administrativa dos Correios, Natalina Gamito, 80 cartas já foram adotadas.
“Recebemos as cartas até o dia do Natal, mas infelizmente só poderemos disponibilizar os pedidos para adoção até o dia 20 de dezembro”, explica.
De acordo com ela os pedido surpreendem, já que muitas vezes os brinquedos são substituídos por roupas, alimento, remédios e até cadeira de rodas.
Como é o caso da carta que emocionou os funcionários responsáveis pela triagem.
“Uma mãe de seis filhos está pedindo roupas alimentos e uma cadeira de rodas, já que uma de suas crianças tem deficiência física”, explica Natalina.
As pessoas que adotam as correspondências do Papai Noel têm duas opções para entregar o presente. Pessoalmente ou levando até os correios para que o Papai Noel dos Correios presenteie as crianças.
“No dia 17 vamos fazer a entrega de presentes na Apape (Associação de Pais e Amigos de Pessoas Especiais), como acontece todos os anos”.
Ainda há tempo para enviar a carta ao Papai Noel, para isso basta endereçar o envelope ao Papai Noel, entregar aos carteiros ou então nas agências dos Correios.
O Projeto Papai Noel dos Correios é uma ação corporativa, desenvolvida em todas as diretorias regionais, que tem como foco principal o envio de carta-resposta às crianças que escrevem ao “Papai Noel”. O objetivo central é manter a magia do Natal.
O projeto é destinado as crianças que enviam pelos Correios uma cartinha ao Papai Noel. As cartas que partem das comunidades carentes em todo o País são separadas e colocadas à disposição da sociedade para quem quiser adotá-las. Ou seja, nem todas as crianças carentes serão necessariamente atendidas.
Inicialmente são descartadas as correspondências que não contêm remetentes ou as com endereços repetidos.
É importante preenchimento correto do nome e endereço do destinatário, com CEP. Cartas de adultos não são atendidas, bem como pedidos de medicamentos, celular, MP3, DVD, notebooks e afins. Os critérios de atendimento de pedidos são razoabilidade e possibilidade.
Todas as pessoas da sociedade podem colaborar, tanto como voluntários para auxiliar na leitura e triagem das cartas, como para adotar um pedido.

Em 2005 foram recebidas em todo o Brasil 395.183 cartas. Deste número, 145.474 foram respondidas e 130.655 foram adotadas. Em 2006 foram recebidas 501.605 cartas, sendo que 177.549 foram respondidas e 226.934 foram adotadas.